A Escolha - Irmandade da Adaga Negra, 15 - J.R. Ward

20 de outubro de 2019

Título: A Escolha - Irmandade da Adaga Negra, 15
Autor: J.R. Ward
Páginas: 528
Ano: 2017
Editora: Universo dos Livros
Gênero: Erótico, Fantasia, Ficção, Literatura Estrangeira, Romance
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:   
Sinopse: Emocione-se e se surpreenda com a tão aguardada sequência da série best-seller Irmandade da Adaga Negra, da autora best-seller do The New York Times, J. R. Ward! Xcor, líder do Bando de Bastardos e acusado de traição contra o Rei Cego, enfrentará um interrogatório brutal e um destino tortuoso nas mãos da Irmandade da Adaga Negra. Todavia, depois de uma vida marcada pela crueldade e por decisões infelizes, ele aceita seu destino de soldado, sendo que seu único lamento é a perda da fêmea sagrada que nunca foi sua: a Escolhida Layla. Somente Layla conhece a verdade capaz de salvar a vida de Xcor. Mas revelar seu sacrifício e sua herança secreta exporá a ambos e destruirá tudo o que Layla mais ama – até mesmo o papel de genitora de seus filhos preciosos. Dividida entre o amor e a lealdade, ela precisará criar coragem para enfrentar sua única família, a fim de defender o macho que amará para sempre. Além disso, mesmo se Xcor recebesse o perdão de alguma maneira, ele e Layla teriam de enfrentar um desafio ainda maior: criar uma ponte sobre a fenda que afasta seus mundos sem sedimentar o caminho para uma guerra de proporções ainda mais devastadoras, incorrendo em desolação e morte. Além disso, quando um velho e perigoso inimigo retorna a Caldwell, e a identidade de uma nova divindade é revelada, nada é certo ou garantido no mundo da Irmandade da Adaga Negra, nem mesmo o amor verdadeiro… Elogios à serie Irmandade da Adaga Negra “Completamente envolvente e deliciosamente erótico.” – Angela Knight, autora de Shifter, best-seller do The New York Times “De morrer… Amo esta série!” – Suzanne Brockmann, autora de Trouble shooters, série best-seller do The New York Times Sobre a autora: J. R. Ward mora no sul dos Estados Unidos com o marido, um grande leitor que a apoia em todas as situações, e seu amado golden retriever. A escritora é formada em Direito e, no início da carreira, trabalhou na área hospitalar, em Boston, passando anos no cargo de diretora-geral de um dos principais centros médicos acadêmicos do país. Ward já publicou dezenas de romances, que lhe renderam mais 15 milhões de exemplares vendidos em mais de 25 países. Sempre foi apaixonada por escrever e, para ela, passar o dia todo com seu computador,seu cachorro e sua xícara de café correspondem ao conceito de Paraíso.




Resenha:

 “Não escolhemos por quem nos apaixonamos, e tentar se convencer a não sentir essas emoções é a receita para o fracasso.”

A Escolha, é o 15º livro da Irmandade da Adaga Negra, livro da autora norte-americana J. R. Ward, publicado Brasil pela editora Universo dos Livros.

Por ser uma resenha de uma série, contêm spoilers, dos livros anteriores, todos resenhados, e caso desejem ler e conhecer um pouco mais desse universo incrível, basta clicar na imagem abaixo.



E em A Escolha, finalmente temos um dos casais que eu mais esperei para ler.
Layla e Xcor, tiveram seus destinos unidos livros atrás, quando ela sem saber que ele era um inimigo declarado, salvou sua vida, doando seu sangue para que ele pudesse se recuperar de ferimentos fatais – estes inclusive causado por Qhuinn, vampiro que é o pai de seus filhos gêmeos. – sim... O destino às vezes é bem bastardo mesmo.

Vamos conhecer um pouco dos nossos protagonistas?
Layla é uma escolhida, por toda a sua vida dedicou a servir a criadora da raça como sua pretegida. Porém, quando um novo macho foi colocado no posto de primale, a força da raça, que deveria se casar com todas as escolhidas e gerar as futuras gerações de guerreiros e escolhidas, tudo mudou. Este se vinculou apenas com uma escolhida, revolucionou as regras seculares, e libertou todas as outras fêmeas. Que nunca tiveram nada para si, ou seja, sequer sabiam o que desejar ou fazer com essa liberdade.

Perdida no mundo, ela se sentiu solitária, e por um tempo nutriu uma leve paixão por Qhuinn, que morreu ao descobrir que ele amava outro macho. Isso é claro não evitou que ela e Qhuinn, em um momento de desespero ficassem juntos e ela engravidasse.

As crianças eram tudo o que ela mais desejava, alguém a quem pertencer e dar significado a sua vida.

É claro que ai ela conhece o macho que fez seu sangue ferver e cair em uma espiral irreversível. Ah... O amor...

Xcor é esse macho, que possui uma vida muito triste, que poderemos conhecer neste livro, é a vida dele que Layla transforma, e por muitos livros lemos sobre a paixão entre eles se formando.

Um casal que não pode ficar junto. Ele um traidor, cuja cabeça está a premio. Ela que deveria devotar sua vida apenas a seus gêmeos nesse momento...

Só que quando a vida dele fica em risco, o amor que ela sente por ele a faz encontrar forças que jamais imaginou ter.

O relacionamento entre eles é bem complexo e esse livro tem um peso muito grande.

Pode Layla ser forte para lutar por ele? Pode Xcor fazer o que é necessário para merecer o amor dela e o perdão?

Muitas coisas acontecem nesse livro e esse casal realmente tem momentos extremamente marcantes.

“Às vezes, a gentileza e o amor podiam ser tão difíceis de testemunhar como a violência. Às vezes, quando se está do lado de fora, ver duas pessoas tão em sintonia era uma cena saída de um filme de terror, o tipo de coisa da qual você quer se manter afastado, quer esquecer, banir da memória – ainda mais quando está prestes a deitar e enfrentar um longo dia de horas no escuro.”


Por outro lado esse é um livro que possui dois fatos que me desagradam.

Um bem mais que o outro. Porém na realidade um mesmo aspecto. Algumas ações não condizem com a personalidade já mostrada dos personagens.

O que me leva ao meu desgosto com o que houve com Qhuinn e Tohr

Falarei sobre Tohr primeiro. Aqui ele mais uma vez cai na espiral de vingança contra a morte de sua primeira shellan de uma forma irresponsável. O que depois do livro dele, é algo que eu não esperava. Ser irresponsável não combina com a descrição da personalidade dele. E já passamos por isso, ele estava equilibrado finalmente no final do livro dele. Aqui parece que todo sofrimento foi jogado no chão. Leiam e julguem por si próprios.

Mas um comportamento que me chocou foi o de Qhuinn, sério, deve ter algum alucinógeno na água da mansão e só ele e Tohr beberam, e isso mudou quem eles eram por alguns momentos.
Eu quis entrar no livro e dar uns tapas no Qhuinn, e vejam, eu sou fã dele! Imperdoável suas atitudes e totalmente fora de quem ele é.

Um caso de no futuro respirar e tentar esquecer todos esses trechos.

Então voltando à parte maravilhosa do livro.

“Deduziu que o amor era como a própria vida. Não importa o quanto você é abençoada, quando o fim chega, nunca parece o bastante.”

Drama, casal proibido, lutas pela sobrevivência, reviravoltas do destino, descoberta de força interior, batalhas épicas, cenas muito hots, o Rei sendo o Rei que eu amo... E para fechar Blay sendo a melhor pessoa do universo!

Um excelente livro, cujo nome resume bem ele. O poder de uma escolha pode mudar tudo.

Como trama paralela, temos: os bastardos e Lassiter ganham destaque, sem contar o destaque habitual de Vishous, agora com Jane também ganhando atenção da autora (que para a minha tristeza estão à beira de um precipício e devem cair em breve)

Aqui temos um grande segredo envolvendo Lassiter que imagino que vocês vão amar ao ler. Ele é definitivamente um que eu desejo ardorosamente um livro solo.

“- Eles são a minha família – o anjo caído se engasgou ao cobrir o rosto – são a minha família...”

Outro ponto importante é o desenvolvimento de uma nova narrativa, com um novo vilão/oponente para os irmãos, alguém que pode vir a trazer ainda mais estragos que os redutores, estes já quase em extinção. Afinal, esse vampiro, já vem mostrando toda a sua ganância por poder tem alguns livros, e agora separado totalmente de seus antigos aliados, pode se entregar a sua verdadeira natureza, que é um traidor e covarde. Fiquem atentos a essa narrativa.

Porém, na próxima resenha eu trago o ultimo livro já publicado no Brasil.

A Ladra, com um casal que eu já torço desde que surgiram em O Rei
Assail e Sola Morte.


8 comentários

  1. Sou apaixonada por esta série,mesmo sem ter lido nenhum dos livros lançados. As capas, os enredos e a pimentinha ali(amo)
    Teve um post aqui no blog esta semana com um especial sobre todos os livros e personagens, aí que me apaixonei ainda mais.
    Tenho o primeiro livro.rs só falta os outros!!!
    Beijo

    Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Oi Vivian,
    Xcor (cujo nome não faço ideia de como se pronuncia) é um personagem com um passado marcante e, por isso, já sei que irei adorar esse livro, pois personagem sofrido é comigo mesma. Como sempre espero nesse tipo de trama que um amor venha em resgate a quem tanto sofreu, Layla parece ser tudo o que Xcor precisa e deseja, por isso ver que ela também terá sua cota de sofrimento já me deixa agoniada. Quero muito ler os livro dessa série, mas como ela é muito grande, as vezes desanimo, por isso é muito bom continuar lendo resenhas tão positiva sobre a série, pois a cada nova história indicada se renova minha vontade de adquirir os livros.

    ResponderExcluir
  3. Oi Vivian, eu adoro os livros da autora, são ótimos, fluem rapidamente e as cenas hots, nossa, só digo uau!!
    Mas estou muito atrasada nas leituras, e como a autora lança livro, sinto que não serei capaz de colocar tudo em dia hehe
    Amei o trecho sobre a benção no amor e o fim, enfim, pena que tiveram pontos que te desagradou né, bom que teve muitos destaques positivos, não vejo a hora de ler!

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderExcluir
  4. Vivian!
    Deve ser um livro intenso, drama de casal proibido, cuidando dos gêmeos que era de um que gostava de outro e ainda os surtos dos dois personagens de outros livros, tudo muito cheio de vingança (que não gosto muito).
    Mais um bom livro.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Vivan,
    Mesmo não gostando muito de romances hot e livros de vampiros (um dia, quem sabe, eu dê uma chance), achei interessante como a relação conturbada entre Layla e Qhuinn, trouxe um filho e ela, resignificando sua vida. Achei muito legal esta questão no livro. Sobre uma questão que abordou no livro, eu também concordo, não acho muito válido personagens terem comportamento que invalidem sua personalidade... Estou lendo um livro que tem esse ponto e específico... O que me deixa muito confusa, afinal, porque nunca sabemos o que de fato o personagem pensa, e ficamos mais confusos ainda. Bizarro! Bom, mas adorei a resenha.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Olá! Eita eita eita que a cada nova resenha me vejo tentada a dar continuidade a leitura dessa série (enorme), não me canso de falar (escrever) que vampiros são meus queridinhos quando o assunto é o sobrenatural e a cada novo casal que aparece já começa minha torcida e expectativa para enfim descobrir (e ler) seu final feliz! Mesmo passando por tantas provações tenho certeza que o amor prevalecerá (suspiros).

    ResponderExcluir
  7. Olá! ♡ Adoro livros bem dramáticos e principalmente aqueles que contam com um casal proibido, é o tipo de livro que me agrada facilmente ♡
    Preciso começar a ler essa série urgente, a cada resenha fico mais curiosa a respeito da escrita da Ward e do universo que ela criou.
    Apesar de o livro ter tido pontos negativos, ainda assim parece uma ótima leitura, que prende e nos faz torcer pelos personagens.
    Já quero conhecer Xcor e Layla, eles parecem personagens bem marcantes!
    Obrigada pela indicação! Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  8. Oiii ❤ Gostei que Layla e Xcor se conheceram ela o salvou com seus sangue e que eles são um casal que foi se formando durante os outros livros da série.
    Que bom que Layla transforma a vida marcada por tristezas do amado.
    Acho bem incômodo quando personagens agem de formas que vão contra as suas personalidades, pois é bem contraditório.
    Adorei que é um livro com um casal proibido que tem drama, batalhas épicas e muito mais.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir