O Rei - Irmandade da Adaga Negra, 12 - J.R. Ward

22 de setembro de 2019

Título: O Rei - Irmandade da Adaga Negra, 12
Autor: J.R. Ward
Páginas: 684
Ano: 2014
Editora: Universo dos Livros
Gênero: Fantasia, Ficção, Literatura Estrangeira, Romance, Erótico
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse: Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma furiosa guerra entre vampiros e seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por guerreiros vampiros defensores de sua raça.
Depois de recusar seu trono por séculos, Wrath finalmente assumiu o manto de seu pai – com a ajuda de sua amada companheira. Mas a coroa pesa fortemente em sua cabeça. Enquanto a guerra com a Sociedade Redutora continua, e a ameaça vinda do Bando de Bastardos está prestes a acontecer, Wrath é forçado a fazer escolhas que colocam em risco tudo e a todos.
Beth Randall pensou que sabia em que estava se metendo quando ela se relacionou com o último vampiro puro-sangue no planeta: não seria nada fácil. Mas quando ela decide ter um filho, percebe que não está preparada para a resposta de Wrath – ou o afastamento que essa decisão criaria entre eles.
A questão é: o amor verdadeiro vencerá... ou será derrotado pelo passado sombrio?




Resenha:

“Vou lhe dar tudo o que eu puder. Tudo o que precisar, eu lhe darei. E vou te amar até o meu último suspiro.”

O Rei é o 12º livro da Irmandade da Adaga Negra, da autora J.R. Ward, foi lançado no Brasil pela editora Universo dos Livros.  E traz a trama mais política dos livros, e melhor crescimento de personagem da série.

Por se tratar de uma série, essa resenha contém spoilers dos livros anteriores.


Caso queiram conhecer um pouco mais e ler nossas resenhas anteriores, basta clicar na imagem abaixo.




O Rei como o nome já deixa implícito, é um livro focado novamente no casal real da irmandade da adaga negra, que foram os protagonistas do primeiro livro da série.

Wrath, o ultimo vampiro sangue puro vivo, é o herdeiro de um reinado secular, e comanda toda a raça vampiríca e possui influência, no governo das sub-raças. 

Porém, por séculos – uns trezentos anos – ele simplesmente renegou suas obrigações para com o seu povo, vivendo unicamente para lutar junto à irmandade, um guerreiro formidável, porém falhando como soberano, até conhecer Elizabeth Randall, mestiça criada no mundo humano sem nenhum conhecimento de sua herança genética vampiríca. Ela filha de Darius, um dos mais leais guerreiros da irmandade, entrou na vida do rei quando seu pai morreu, e Wrath se viu na posição de honrar o ultimo pedido do amigo, e proteger sua filha.

A paixão veio avassaladora, e em poucos dias ela já era a sua rainha. Sim, rainha, afinal, ao conhecê-la, ele resolve que precisar fazer por merecer o titulo, e tudo o que todos fazem por ele o tempo todo.

“O beijo que a assolou foi brutal, e ela queria que o fosse, a língua de Wrath invadindo sua boca, enquanto...”

Preciso dizer que ele não foi o meu favorito, muitas das características pessoais deles, e suas falhas – sim, falhas no plural – me deixaram reticente sobre toda essa submissão de todos para ele. Eu achava que ele era um rei apenas no titulo e não fazia por merecer isso, um excelente guerreiro e parava bem por ai...

Então onze livros depois, eu fico feliz em dizer que ele tem a minha lealdade!

E isso ocorre após esse livro, que é muito bom. Temos uma boa dose de cenas hots, bem balanceadas com uma trama rica e cheia de significado. Algumas brigas tão épicas que uma parte da mansão vai precisar de uma reforma completa. E muito mais.

Primeiro temos duas narrativas. Beth, a rainha quer algo que Wrath pela primeira vez, não deseja lhe dar. Um herdeiro. Nesse caso preciso entender a ambos, as chances de uma fêmea vampira sobreviver à gestação e parto são difíceis, e não deve ser fácil para ele imaginar uma vida sem a sua amada.

Por outro lado, negar algo tão importante apenas baseado em medo, bom... Não é algo que Beth aceite muito bem.

Enquanto o casal tem a sua primeira crise, o rei ainda tem que lidar com uma ameaça ao seu direito de nascença.

Os bastardos, liderados pelo guerreiro Xcor, se unem a nobres insatisfeitos com o governo dele e tramam para destroná-lo.

Se no ultimo livro, a tentativa foi uma ameaça física, nesse eles resolvem usar outras formas, para obter o que desejam.



O que possibilita que Wrath, brilhe mostrando a melhor jornada de amadurecimento de personagem da série, longe de ser o personagem levemente egoísta do inicio que virou as costas para o seu povo por muito tempo, ele tem mostrado que está disposto a colocar sua própria felicidade e vida em risco por eles. Esse comprometimento se prova de uma forma muito bela, e que obviamente não falarei aqui. Leiam!

É um livro com muitas surpresas, lágrimas, alegrias e tristezas.
Temos provas de amor intensas e sacrifícios heróicos.

Além de contar com uma cena envolvendo Lassiter, – o anjo caído e atual, como direi... Mascote super poderoso da irmandade – Elvis e diplomas online. Que é uma das minhas cenas favoritas de toda a série.

“- Pastor de merda, tenho uma pergunta...- Sim meu filho, você vai para o inferno.”

Em o rei, como sub-trama, artifício de escrita já habitual de Ward, temos indícios dos próximos protagonistas, que agora serão os sombras, os gêmeos Trez e iAm, antigos seguranças do rei sympatho Rehvenge que agora moram na mansão junto com os irmãos.

E será com ambos encontrando seus destinos que eu volto na próxima resenha, só aviso... Preparem os corações que este será o livro mais... Bom, só se preparem.

Porém eles não são os únicos que temos o inicio de uma história.
Em outra resenha eu falei sobre um vampiro chamado Assail. Ele que possui tamanho e força para ser um irmão, inclusive a genética especial, surgiu para ocupar a vaga deixada por Rehvenge como barão das drogas, e nesse livro ele não somente se viu no meio das tramas envolvendo o rei, como conheceu uma humana que chamou sua atenção. Sola Morte, é uma ladra e espiã, e sua história começou de forma que prendeu minha atenção e ganhou meu total interesse, só digo... Fiquem atentos e se juntem a mim, eu simplesmente não podia esperar pela chance de ler mais sobre eles.

Até a próxima.

Curiosidades da IAN 

Os sombras são uma sub-raça de vampiros, que possuem todo um universo em particular, eles inclusive são uma sociedade matriarcal que vive isolada dos demais vampiros, considerados fieis a suas crenças em particular, levam uma existência onde serve a uma rainha e tem os destinos deles ditados no momento de seu nascimento.

Pelo que temos conhecimento, apenas existem dois sombras fora das terras oficiais, conhecidas como território Hisbe, e são eles vamos conhecer um pouco melhor nos próximos livros.

Mas já vou adiantar alguns detalhes sobre eles.

Os sombras possuem as seguintes habilidades:
Podem se metamorfosear literalmente em sombras, daí o apelido para a raça.
São resistentes ao sol.

E Trez é o...
Ah esse detalhe deixo para depois...

5 comentários

  1. Lá vem ela judiar sem dó da minha pessoa.rs
    A cada resenha de um dos livros desta longa série eu sofro. Uma por ser um dos gêneros que mais gosto e segunda, por ser um gênero que eu gosto demais.rs
    Mas brincadeiras à parte, é muito prazeroso ver que a autora conseguiu em todos os livros( e olha que são muitos) prender a atenção do leitor desta forma, sempre trazendo os casais sim, sofrendo nas batalhas, na preservação,mas também se mantendo leais não somente um ao outro,mas também a todo o grupo.
    E pelo que li acima, este é um livro mais focado num assunto só, bem diferente das resenhas que li anteriormente.
    Mas sim, tem romance, batalhas e?? É hot!!!
    Lerei, com toda a certeza do mundo ainda terei essa coleção em mãos!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ângela ... eu juro... Não quero te torturar... Não muito!
      Essa série é maravilhosa.
      Amo demais.
      Aguarde que próximos livros são muito intensos
      Beijos

      Excluir
  2. Vivian!
    Já tive oportunidade de ler quase todos os livros dessa série, mas parei no 11º por achar algumas coisas um tanto repetitivas e desnecessárias, já desde o 10º achava que a série não era tão empolgante como os primeiros livros.
    Tenho esse aqui para leitura, porém ainda não me animei, principalmente porque é enorme e fico imaginando se como você, irei encontras várias falhas...
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Olá! Ai ai e mais uma vez me vejo aqui tentada por essa série (risos)! Muito bom saber que teremos mais do primeiro casal e que é possível acompanhar uma amadurecimento por parte dos personagens, é indiscutível a capacidade da autora em nos presentear com histórias cheias de romance, mistérios, aventuras e aquele toque de tristeza, tonando a leitura fácil, fácil, eu claro já fiquei aqui curiosa com esses detalhes que você deixou de fora.

    ResponderExcluir
  4. Oi Vivian,
    Já gostei só pelo fato de o livro trazer de volta protagonistas do início da série, pois vou confessar que quando leio um romance sempre quero mais histórias do casal. Tem tanta coisa que acho válida para esse volume e a principal é ver como anda a relação de Wrath e Beth. Querer ter um filho seria o próximo passo lógico no relacionamento então entendo o desejo de Beth, mas, como já pude acompanhar das outras resenhas, ter esse filho pode lhe custar a vida e isso é algo bem tenso para ser tratado na trama. O amadurecimento de Wrath é algo importante também, principalmente por ser o Rei e ter tanto que depende dele. Mais e mais estou ficando curiosa e ansiosa com essa série, com cada personagem e cada história.

    ResponderExcluir