Cidade de Vidro - Os Instrumentos Mortais, 03 - Cassandra Clare

30 de setembro de 2020

 
Título: Cidade de Vidro 
Autor: Cassandra Clare
Páginas: 474
Ano: 2011
Editora: Galera Record
Gênero: Aventura, Fantasia, Jovem adulto, Drama, Ficção, Romance
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse: Clary está à procura de uma poção para salvar a vida de sua mãe. Para isso, ela deve viajar até a Cidade de Vidro, lar ancestral dos Caçadores de Sombras, criando um portal sozinha. Só mais uma prova de que seus poderes estão mais sofisticados a cada dia. Para Clary, o perigo que isso representa é tão ou menos assustador quanto o fato de que Jace não a quer por perto. Mas nem o fora de Jace nem estar quebrando as regras irão afastá-la de seu objetivo: encontrar Ragnor Fell, o feiticeiro que pode ajudá-la a curar a mãe.
 



Resenha:

“As pessoas não nascem boas ou ruins. Talvez nasçam com tendências a um caminho ou outro, mas é a maneira como se vive a vida que importa. E as pessoas que conhecemos.”

O Universo dos Caçadores de Sombras da consagrada autora americana Cassandra Clare é um dos mais vastos de fantasia sendo publicados na atualidade. Por aqui, eu já dividi minha experiência de leituras de muitos dos livros da autora, e pra minha surpresa, ainda não tinha vindo falar da série de livros que originou todo este universo.

Os Instrumentos Mortais, é uma de literatura de fantasia urbana, com 06 livros lançados, foram os primeiros escritos pela autora (pelo menos os 03 primeiros livros), no Brasil todos os livros são publicados pela Galera Record.

A série é formada por: Cidade dos Ossos, Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro, Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial.

Por se tratar de uma resenha de uma série contem spoilers dos livros anteriores. 

No terceiro livro da série Cidade de Vidro, temos um dos melhores livros da série, com de certa maneira uma conclusão do primeiro arco da série. A autora a principio pretendia escrever uma trilogia, porém, com o sucesso da narrativa, e ainda tendo algumas respostas a entregar, ela escreveu mais três livros, que juntos ampliaram a trama. Porém, Cidade de Vidro, funciona de forma equilibrada como a conclusão da que seria a trilogia inicial da autora.

"Pois era isso que familiares faziam quando se preocupavam uns com os outros, segurar, abraçar e explicar o quanto ficaram irritados… e tudo bem, pois independentemente da raiva que o fizera sentir, ainda pertenciam a você.”

A trama de Cidade de Vidro, se inicia uma semana após os acontecimentos do ultimo livro, Clary conseguiu recuperar sua mãe, mas ela está em um coma induzido por magia, o que preocupa a todos. Simon, o melhor amigo dela, foi transformado em um vampiro no primeiro livro, e no segundo passou por uma experiência mais traumática do que sua morte e agora é uma espécie única de vampiro. Clary e Jace ainda se encontram apaixonados um pelo outro – apesar de serem irmãos, e lutar contra esse sentimento consomem muito deles. Os Lightwoods ainda estão na mira da clave, que espera que a família prove serem todos traidores, muita coisa acontecendo logo de cara na trama. 



Valentim, pai de Clary e inimigo dos caçadores de sombras, está reunindo um exercito para acabar com quem sem opõe a ele e dizimar todos os membros do submundo. O que faz com que a clave – o governo dos caçadores de sombras – se reúna para tentarem encontrar um modo de combater Valentim que ainda está em posse de um dos instrumentos mortais, e por isso mais poderoso do que nunca.

No livro, a autora trabalha muito bem, a necessidade de união para prevalecer diante de um inimigo em comum, mesmo quando os lados interessados possuem no mínimo um relacionamento tenso e cheio de ódio e sangue no passado. Os membros do submundo sofrem com o preconceito que muitos dos caçadores de sombras sentem sobre eles, e muito sangue foi derramado por ambos os lados, contundo, apenas a união parece ser a única chance de eles sobreviverem.

“— Você não acredita em mim? [...] Ótimo. Vá em frente. Me beije agora mesmo.
Alec olhou [...] com horror.”

Alem, de toda a trama de ação e drama, temos neste livro muito drama juvenil, romance, corações despedaçados, paixões nascendo, conversas e sentimentos importantes sendo expressos. Também é um livro com muitas informações do passado, tanto de Jace, como dos caçadores de sombras como um todo.

“- Não da para fingir [...] Eu amo você, e vou amar até morrer, e se houver vida depois disso, vou amar também.”

Cada revelação me chocou mais do que a outra na primeira vez que li este livro, na releitura, preciso confessar que já estando habituada com a escrita da Cassie pude ver vários detalhes que me passaram batido na primeira vez, contudo, não diminuiu o peso de algumas reviravoltas e nem preparou meu coração par ao sofrimento em alguns pontos deste livro. Amar os personagens desse livro é um risco e tanto.


Sem dúvidas um final de ciclo emocionante para o primeiro arco de Instrumentos Mortais, um livro com personagens cativantes e – mesmo aqueles como Clary e Jace que em muitos momentos eu quis entrar no livro e sacudir apontando tudo idiota que fizeram – cujas personalidades são instigantes e adoráveis. Magnus, Alec, Isabelle e são meus amores e enalteço todos eles.

Indico esse livro para todos que curtem livros de fantasia, com dramas familiares, amores impossíveis e que estejam preparados para corações despedaçados.

Como todo o universo da autora é conectado, ler estes livros é essencial para a compreensão dos demais.

Aqui já temos resenhas das demais trilogias da autora já publicadas. Caso desejem ler e conhecer um pouco mais de cada um destes livros, basta clicar nas imagens abaixo:









“Fazer a coisa certa por amor às vezes é um saco.”


Até a próxima. 

Daqui a cinco anos - Rebecca Serle

29 de setembro de 2020

Título:
Daqui a cinco anos
Autor: Rebecca Serle
Páginas: 290
Ano: 2020
Editora: Paralela
Gênero: Ficção 
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon 
Nota:     
Sinopse: Onde você se vê daqui a cinco anos? Dannie Kohan sabe exatamente o futuro que deseja e o que deve fazer para conquistá-lo. Depois de arrasar na entrevista para seu emprego dos sonhos em um dos maiores escritórios de advocacia de Nova York e de ser pedida em casamento pelo namorado, ela vai dormir com a certeza de que está no caminho certo para realizar todos os seus planos.
Quando acorda, entretanto, ela está em um apartamento diferente, com outro anel de noivado no dedo e um homem que nunca viu antes ao seu lado. A televisão mostra que é a mesma noite — 15 de dezembro —, mas cinco anos no futuro.
Depois de uma hora intensa e chocante nesse cenário, Dannie acorda de novo, de volta ao presente, como se nada tivesse acontecido. Profundamente abalada e sem entender o que houve, ela decide acreditar que foi apenas um sonho, por mais realista que tenha sido. E parece funcionar. Isto é, até quatro anos e meio depois, quando Dannie encontra o homem que viu naquela noite inusitada.
Ao mesmo tempo divertida e emocionante, Daqui a cinco anos é uma história sobre lealdade, amor, amizade e a natureza imprevisível do futuro.

Este livro foi cedido pela Editora Paralela, porém as opiniões são completamente sinceras. Não sofremos nenhum tipo de intervenção por parte da Editora. 


Resenha: 

Leio muitos livros americanos, bem mais do que os brasileiros ou os ingleses e tenho que dizer que pela sinopse imaginei que seria um livro de romance e que fosse bem clichê. Entretanto, eu não poderia estar mais enganada depois de ler esse livro e ver que a realidade é mais difícil do que a gente pode querer. É um livro de ficção, porém tem tantas coisas similares a nossa que realidade que de alguma forma em meu âmago me assustou.

“Ele é assim mesmo. Me julga, mas é generoso.”

A narrativa é muito fluída e tem personagens muito bem construídos e com opiniões fortes, determinadas e decididas. São capítulos curtos e a cada nova página descobrimos não só mais de cada personagem, mas que aos poucos elas evoluem e se tornam, de fato, adultos e donas de si mesmas.

“A conta bancária de seus pais é recheada e acessível, mas o tempo e a atenção deles, não.”

Em um primeiro momento conhecemos a personagem principal e o quanto ela lutou para conseguir o que quer e como quer. Ela planeja desde sempre trabalhar em uma empresa e um determinado prédio, que é o mais difícil e o melhor para se trabalhar, quando se fala de advogados, em que ela almeja sempre se planejando nos mínimos detalhes o que irá fazer. Ela está noiva, mora com ele e além de ser formada em direito, também trabalha na área e um belo dia o lugar que ela tanto deseja, a chama para uma entrevista, ou seja, parece que tudo que ela planejou flui, mas a vida é uma caixinha de surpresas, brincadeiras a parte, não tem como você planejar tudo na sua vida e dar tudo certo.

“Por todos os anos bons e os ruins, e por todos os que ficarem no meio-termo...”

A vida é cheia de imprevistos! Com certeza nem a pessoa mais organizada vai conseguir que tudo,    absolutamente tudo irá sair como imaginou ou planejou. E sim, o livro trata de uma forma delicada, mas bem realista que devemos ser quem queremos ser e não só mais uma pessoa robótica. 

“Nós somos assim. Gastamos setecentos dólares em um jantar, para depois chegarmos em casa e nos entupimos de arroz frito barato.”

Nossa querida Dannie conseguiu o emprego dos sonhos. Ela mora com o noivo, mas eles depois de vários anos morando juntos deixam de lado quando, de fato, vão se casar. Ambos sempre adiam e pelos dois está tudo bem, pois já estão tão acostumados a viverem suas vidas juntos que sempre arranjam uma desculpa para continuara adiando, todavia Dannie está muito cansada do jantar que eles foram e acaba por ir dormir, só que ela tem um sonho muito vívido. De que em um outro apartamento ela está com um homem totalmente diferente de quem ela está noiva, ela está com outra aliança diferente na mão, não sabe como agir com esse homem, porém algo no sono acontece e ele é tão real, que em um primeiro momento não sabemos se é só um sonho ou se outra coisa.

“A verdade é que, toda vez que nos aproximamos, eu penso naquela noite, naquela hora, naquele sonho, naquele homem.”

A história vai tomando mais forma e sua única amiga rica, aventureira, de bem com a vida e que nunca dá certo com nenhum namorado encontra alguém a sua altura e que demonstra que a ama e a compreende e quer ficar com ela, só que quando ela convida para que eles se conheçam e saiam como dois casais, o inesperado acontece. Ele é o homem com quem ela sonhou, o que a choca e sua reação não só é ir embora do restaurante, como também acaba não explicando para sua amiga o que está acontecendo consigo.

“Eu sempre achei que o presente determinasse o futuro. Que, se eu trabalhasse muito e sem para, conseguiria o que quero.”

Vou parando por aqui, porque daqui para frente é um spoiler atrás do outro e vale a pena ler e ver essa história que não só me surpreendeu como também não era nada do que eu imaginava. Acredito que os sonhos podem mostrar uma realidade do nosso futuro, mas não que será exatamente como o vimos. Existem várias interpretações como cada coisa e cada história. São todos seres humanos, mas somos diferentes em personalidades e ações. 

🌟🚀 Leitura Coletiva: Cress - Crônicas Lunares, 3 - Marissa Meyer 🚀🌟

28 de setembro de 2020




Márcia:
Livro muito bom, mas que demorei trocentos dias para lê-lo 😅. Isso porque precisei fazer uma viagem e meio que não consegui me concentrar na leitura quando tentava ler.

Enfim voltando ao que interessa, achei o livro maravilhoso, como já era esperado. Aqui vi mais uma mocinha que sofreu muito por causa da rainha Levana. Cress é uma hacker que foi obrigada a ser stalker digital, querendo ou não.

Ela era simplesmente os olhos e os ouvidos digitais da malévola rainha lunar. Fez muita espionagem e por sua habilidade extraordinária com computadores foi presa em uma torre diferente das que estamos acostumados a ler sobre a Rapunzel😲.

Aqui, como tudo nessas crônicas lunares tem um Q futurístico e cibernético, a mocinha é presa em um satélite. Isso mesmo meus amigos, ela é obrigada a viver no espaço em um cubículo espacial,  um satélite que a possibilitava a acessar tudo que pudesse digitalmente.

De tempos em tempos uma brux... ou melhor, mestra (taumaturga), uma pessoa com habilidades de manipular suas funções motoras através da força que alguns lunares possuem.  Não vou adentrar muito pois a Denise já fez resenha desse livro e vocês podem entender melhor sobre isso lá.

Só quero que saibam que mais uma vez estou encantada com a Marissa Meyer, essa é uma história que me fez rir, sofrer, prender a respiração, me emocionar e no final, sentir uma ansiedade enorme por sentir que alguém iria sofrer muito para que Cinder consiga mais uma vez fugir das garras de Levana.

Preciso de Winter, só digo isso!!

Bjs💋


Raquel:
Cress é o terceiro livro da série Crônicas Lunares e pensem em um livro que não só coloca todos os personagens dos livros anteriores, como também surgem alguns novos e que provavelmente apareceram no último livro.

É um livro com muitas reviravoltas. Temos perdas e algumas novas descobertas que ajudam a engatar na trama e que acrescenta no decorrer da narrativa.

Esse é o livro mais longo e o mais intenso, por enquanto a meu ver.

E bora começar o próximo, que é Winter... Hehe






Denise: O bom de ser a última a falar é que quando chega a minha vez, vocês já conhecem bem a história e eu só preciso mesmo trazer a minha humilde opinião! 

Hahaha...adoro isso! 

E a minha opinião é: Minha nossa senhora que livro bom gente!

Desde que a Cress nos foi apresentada eu estava doida para conhecê-la melhor, e não me decepcionei, adorei essa menina! 

Além disso eu fica meio "assim" pra saber com quem Throne iria ficar, afinal ele não estava ali de graça né! E obviamente não ficaria com a Iko, que é um amor, é A AMIGA, massss...é um robô!

Então, quando começamos a ver a interação dele com a Cress, pronto, perguntas respondidas! Apesar de ele ser um teimoso cabeça dura e não perceber o que estava na cara dele o tempo todo!

E a história minha gente, poxa vida, estou encantada com o universo complexo e diferente que a autora criou! Ansiosa para ler o próximo, coisa que farei já, já!

Dexter: A Mão Esquerda de Deus - Dexter, 01 - Jeff Lindsay

27 de setembro de 2020

Título:
Dexter: A Mão Esquerda de Deus
Autor: Jeff Lindsay
Páginas: 272
Ano: 2008
Editora: Editora Planeta
Gênero: Drama, Ficção, Romance Policial, Suspense
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse: Dexter Morgan é um educado lobo vestido em pele de ovelha. Ele é atraente e charmoso, mas algo em seu passado fez com que se transformasse numa pessoa diferente. Dexter é um serial killer. Na verdade, é um assassino incomum que extermina apenas aqueles que merecem. Ao mesmo tempo, trabalha como perito da polícia de Miami... Em Dexter, a Mão Esquerda de Deus, o livro que deu origem à aclamada série de TV, o adorável matador depara-se com um concorrente de estilo semelhante ao seu, encanta-se e incomoda-se com ele, prevê seus passos... A escrita requintada de Jeff Lindsay nos faz mergulhar na mente de um dos personagens mais ambíguos da história da literatura de suspense. Nunca o macabro foi tratado com tanto refinamento e leveza. Dexter Morgan é uma obra-prima.


Resenha:

“Tem muita gente que merece morrer...”

Dexter é uma série de livros sobre um justiceiro, que por acaso é um psicopata! Escrita pelo autor americano Jeff Lindsay, possui 08 livros, todos publicados no Brasil pela Editora Planeta.


O sucesso dos livros, deu origem a série de teve homônima do canal de TV a cabo Showtime, que possui também, 08 temporadas, e quem em breve teremos resenha e um comparativo entre livros e série... Aguardem.

O primeiro livro da série Dexter é Dexter, a Mão esquerda de Deus, o protagonista é Dexter Morgan, um perito forense, especializado nos padrões de mancha de sangue, ele trabalha para o departamento de policia de Miami-Deade, ligado ao departamento de homicídios. O que não seria nada demais se não fosse o fato dele ser um sociopata e psicopata.


Bonito, charmoso, incapaz de sentir empatia, amor e com uma vida aparentemente perfeita, ele possui uma irmã adotiva, a policial Debra Morgan, e quase todos aparentam gostar dele, pelo menos superficialmente, é claro que tudo isso é apenas uma fachada muito bem trabalhada para esconder seu hobby e o fato de que ele é um serial killer. 
 
Sou um monstro bem asseado.” 

Mas graças a possuir um código de conduta e ser muito disciplinado com o seu passageiro das trevas, como ele chama a voz que o impele a ser como é, Dexter não é um monstro irrefreável, ele possui um seleto grupo alvo para os seus mais sombrios desejos e desta forma acaba se tornando um justiceiro.

Neste primeiro livro temos a busca por um serial killer que está matando e esquartejando prostitutas, de uma forma extremamente peculiar.


É Deb, a irmã de Dexter que está envolvida e ansiosa para encontrar esse serial killer, e pede ajuda a seu irmão na investigação. 

O modus operanti, do serial, acaba por chamar a atenção de Dexter de uma forma que ele jamais achou possível, e a investigação acaba se tornando algo pessoal, quando começa a ameaçar a sempre pacata, segura e mortal rotina de Dexter


"Sangue algum. Ouvi a frase ecoar na minha cabeça, cada vez mais alto. Nenhum pegajoso, quente, confuso, horrível sangue. Nenhuma gota. Nenhuma mancha. NADA DE SANGUE.”

O livro possui um ritmo fluido, e tudo é sob o ponto de vista de Dexter, ele possui um humor sombrio e está completamente ciente de suas limitações emocionais, o que torna os seus monólogos interiores muito divertidos de acompanhar.

Dexter é de longe o melhor personagem e o único que realmente conhecemos bem durante a leitura do primeiro livro, tirando ele, apenas Deb, tem um certo destaque, os demais ficam apenas flutuando no fundo, servindo ao propósito exato deles nas cenas, mas sem aprofundamento emocional, o que não é ruim, já que sabemos o que Dexter sabe.

“Deb é a única pessoa no mundo que dá um tostão para saber se estou morto ou vivo. Por algum motivo que não conseguia imaginar, ela prefere que eu esteja vivo. Acho ótimo e, se eu pudesse sentir alguma coisa por alguém, seria por ela.”

A trama em si, é um clássico arco de suspense, que inclui algumas reviravoltas interessantes, vislumbres chaves de um passado distante e apenas começa a nos mostrar quem realmente é Dexter Morgan.

O livro possui surpresas até mesmo para quem já assistiu a série, o que para mim pessoalmente, foram ótimas, mas não darei nenhuma pista sobre esses detalhes.


Indico esse livro para todos que gostam de um bom suspense policial, uma escrita bem humorada – humor negro, porém, humor – e que gostem de livros que abordam sobre psicopatia e caçadas contra o mal.

Leiam e cuidado para não pisarem no sangue... Dexter detesta sujeira e pisadas sangrentas.

Até a próxima.

“Lua. Uma lua maravilhosa. Cheia, gorda, avermelhada, a noite clara como o dia, o luar inundando a terra e trazendo alegria, alegria, alegria....” 

Prometida - Uma longa jornada para casa - Perdida, 4 - Carina Rissi

26 de setembro de 2020

Título: Prometida - Uma longa jornada para casa - Perdida, 4
Autor: Carina Rissi
Páginas: 476
Ano: 2016
Editora: Verus
Gênero: Chick-lit, Literatura Brasileira, Romance de Época
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    

Sinopse: Elisa Clarke anda um pouco entediada. Seus dias parecem iguais e os bailes há muito deixaram de trazer algum prazer a ela. Não que seja uma surpresa, pois sempre que ela está presente os eventos se tornam um desastre! E é injusto, já que ela foi uma boa moça a vida toda. Nascida em uma das famílias mais influentes, a jovem aprendeu desde pequena a respeitar as normas sociais e se manter longe de escândalos. Na única vez em que ignorou uma dessas regras acabou noiva. E foi apenas um beijo, ora bolas!

Um beijo com o qual Elisa fantasiou desde que conheceu e se apaixonou irrevogavelmente pelo belo e gentil jovem médico e que, como acontece nos contos de fadas, mudou sua vida para sempre. Mas não da maneira que ela esperava. Como consequência, agora está prometida a alguém que a despreza tanto que preferiu viver em outro continente. Tudo o que ela deseja é que as coisas permaneçam assim.

Mas Elisa não sabe que seu noivo está a caminho do Brasil, e ela terá de enfrentar o homem cujo coração um dia se viu forçada a partir.
Destinados a ficar juntos, mas separados por seus corações, eles se envolverão em uma sinuosa dança marcada por segredos, mágoas do passado, intrigas e uma arrebatadora paixão que colocará em perigo não apenas seus sentimentos, mas a vida de ambos.

Resenha: Enfim, eu li!!!! De novo!

Da primeira vez eu estava tão ansiosa pela leitura que li, ou melhor, devorei em menos de dois dias! Desta vez, eu li com mais calma, muito mais calma!

Bom, esse é o quarto livro da série da autora Carina Rissi e preciso dizer que não decepciona! Andei lendo umas resenhas negativas por aí, mas devo dizer que discordo completamente das tais resenhas, felizmente!

"...Se me derreter daquela maneira era natura, mas como eu poderia pensar em qualquer coisa se Lucas continuava com... - a língua dentro da boca da minha irmã! Oh, sim! Está mesmo, e isso é tão marav... Espere. - Ian! - arfei, me desembaraçando de Lucas rapidamente."

No livro anterior, Destinado, Ian vai para o futuro atrás de Elisa e a história se desenvolve em torno dele e de Sofia, assim como nos livros anteriores: Perdida e Encontrada. Agora o que acontece é que a história que conhecemos é a de Elisa! E saberemos as consequências da viagem que ela fez no tempo, como ela encarou isso e o que acarretou no seu relacionamento com Lucas, já que o rapaz, no final de Destinado, cura Sofia com um remédio que viera do futuro sem saber de onde veio e, como médico, se vê "obrigado" a descobrir que remédio é esse e como conseguir mais.

Bom, antes de continuar, caso você queira ler as resenhas anteriores, aí estão:




Então começamos Prometida com Elisa e Lucas presos a um noivado por conveniências, já que ela inventa um suposto amor a fim de afastar o médico da sua vida, supondo assim que poderá proteger sua cunhada, já que se alguém descobrir seus segredos, ela pode ser acusada de bruxaria e a curiosidade de Lucas pode ser destruidora!

"...Mas a verdade é que sonhos são apenas isto: fantasias que nos ajudam a tolerar a realidade. Ele nunca olharia para mim como eu fantasiava. Da maneira como eu via Ian olhar para Sofia, como se estivesse admirando o mais belo pôr do sol de toda a história do mundo."

Pensando que afastar o rapaz é mais fácil do que falar a verdade, Elisa o faz...e como está enganada! Ele, por honra, assume o noivado. Ela, por teimosia, o mantém.

Estão noivos e Lucas parte para a Europa a fim de aprimorar seus estudos, deixando sua noiva no Brasil. O povo fala, e não é pouco, mas a menina pensa que se é esse o preço que ela tem a pagar para proteger Sofia, que seja. Mas Lucas volta! Disposto a terminar sua "vingança": casar-se com Elisa e deixá-la no Brasil um mês depois, o que, claro, não acontece e o que um dia existiu entre eles, agora, será testado e retestado e os dois deverão passar por poucas e boas até descobrir enfim, o que sentem um pelo outro e desvendar as mentiras e tramoias que um fez a fim de afastar o outro.


Lendo a obra eu meio que entendi o que o pessoal reclamou. Eu li esperando todo aquele humor à lá Sofia, e claro, Não há! E se fosse diferente sim que não teria sentido já que Sofia saiu daqui, do nosso tempo e foi parar mais de 200 anos atrás. Elisa, apesar de ter seus momentos engraçados com Lucas, é mais séria, mas recatada e inocente e ao meu ver, foi o que deu todo o encanto à leitura. 

"Ele estava me distraindo de propósito. E, francamente, devia se livrar daquele cavanhaque. Algumas pessoas podiam achá-lo muito... perturbador e ficar fantasiando como seria sentir aqueles pelos contra o queixo, roçando de leve no pescoço, bem pertinho da orelha...humm..."

As brigas do casal são um show, adorei. Ler um casal que sabemos se amar loucamente brigando é sempre divertido quando sabemos que no final tudo vai dar certo e com esses dois não foi diferente... A forma com que vimos o amor deles desabrochar nos livros anteriores, para "morrer" nesse e enfim desabrochar com força total foi incrível e eu só posso ter elogios à leitura que por sinal está mais que super recomendada!!!!!!