Rainha do Ar e da Escuridão - Os Artifícios das Trevas, 3 - Cassandra Clare

9 de julho de 2019

Título: Rainha do Ar e da Escuridão - Os Artifícios das Trevas, 3
Autor: Cassandra Clare
Páginas: 742
Ano: 2019
Editora: Galera Record
Gênero: Fantasia, Ficção, Literatura Estrangeira
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:  
Sinopse: Rainha do Ar e da Escuridão é a conclusão épica para outra grande trilogia do universo de Instrumentos Mortais da autora best-seller Cassandra Clare.
Sangue inocente foi derramado nos degraus do Salão do Conselho, e o mundo dos Caçadores de Sombras se encontra à beira de uma guerra civil. Parte da família Blackthorn foge para Los Angeles, em uma tentativa de descobrir a origem da doença que está acabando com os bruxos. Enquanto isso, Julian e Emma tomam medidas desesperadas e embarcam em uma perigosa missão para o Reino das Fadas a fim de recuperar o Volume Negro dos Mortos. O que encontram é um segredo capaz de destruir o Mundo das Sombras e abrir um caminho tenebroso para um futuro que nunca poderiam ter imaginado. Em uma corrida contra o tempo, Emma e Julian devem salvar o mundo dos Caçadores de Sombras antes que o poder mortal da maldição parabatai destrua tudo o que amam.


Resenha:


“Algo terrível está por vir. Como uma muralha de escuridão e sangue. Uma sombra que se espalha pelo mundo e macha tudo.”

Rainha do Ar e da Escuridão é o terceiro livro da Trilogia Os Artifícios das Trevas da autora Cassandra Clare. Por se tratar de um livro de conclusão, a resenha contém spoilers dos primeiros livros: A Dama da Meia-Noite e Senhor da Sombra, cuja resenha vocês podem ler, clicando na imagem abaixo:



Este é um dos maiores livros do universo dos caçadores de sombra, a trilogia se encerra de certa forma, porém, ela deixa as sementes das próximas séries que a autora prepara para os fãs dentro deste rico universo.

Este livro também, foi um dos mais sombrios que li dela e foi muito doloroso, se antes os caçadores de sombras lutavam contra demônios e entidades influenciadas pelo mal, agora os principais inimigos são outros caçadores de sombras, o preconceito e a falta de compreensão que habita dentro da clave.

Em Artifícios das Trevas, o núcleo de heróis principais é formado pela família Blacktorn e aqueles que os amam e são amados por eles.
É a história de Emma e seu Parabatai Julian, da família dele, seus irmãos, Tiberius, Drussilla, Octavian, de Hellen que foi exilada, de Mark que foi levado pela caçada e voltou, mas está reencontrando seu lugar no mundo mortal, é também agora de Kit Herondale, o Herondale perdido, que está unido a Ty e o destino é grandioso, e Cristina Rosales, a dama das Rosas, que ama Emma e ama...
Uma história do príncipe fada Kieran, que ama Mark...
De Diego que provou ser digno da alcunha de Perfeito e Jaime Rosales.
Foi à história de Livvy cujo sangue foi derramado no salão dos acordos e a perda vai da o tom das lágrimas nesse último livro...

“Shelo ted’u od tza’ar, Mark Blacktorn.
- O que isso significa? – quis saber Mark.- É uma benção – explicou Simon. – outra coisa que o rabino me ensinou: ‘Que não haja mais tristeza’.Mark meneou a cabeça em sinal de gratidão.”

Ou seja, é uma história de caçadores de sombras, que não se escondem diante do mal, e lutam pelos seus ideais e por aqueles que precisam de proteção.

Nos livros anteriores, a paz fria trouxe uma grande sombra para o mundo dos caçadores, o submundo se ressente das medidas da clave. Então muitos acontecimentos se entrelaçam criando uma grande ameaça.

Malcolm Fade um feiticeiro que teve seu grande amor morto pelos caçadores de sombras no passado, reuniu forças para se vingar e com isso trouxe a vida novamente Annabel Blacktorn, que enlouquecida após ser ressuscitada e em posse de um livro de magia negra, se torna a vilã que derrama o sangue da própria família.

Sem contar que buscando uma vingança a Corte Unseelie e seu Rei Sombrio, lançam uma praga no mundo mortal, adoecendo os feiticeiros e devastando a terra enquanto as fadas se preparam para irem à guerra contra os caçadores de sombra.

 Do outro lado, os caçadores se dividem entre aqueles que buscam um caminho de paz com o submundo e uma facção da clave que cresce se alimentando do medo dos caçadores de não serem os seres mais fortes do universo.

A Tropa, é formada por caçadores de sombras, que acreditam puramente que todos devem se curvar a eles e seu legado angelical. Está muito claro, que apesar de uma grande maioria saber que esses integrantes estão longe de serem heróis, estão dispostos a deixá-los tomarem o poder na esperança que as medidas drásticas deles, devolvam o senso de superioridade e segurança que caçadores tinham antes após todas as derrotas durante a guerra maligna. Nada pode vir de bom disso, mas ai está à questão. Medo.

Nesse último livro, os Blacktorns, estão de luto, a morte de Livvy, veio para destruir um delicado equilíbrio que eles lutaram muito para conseguirem em suas vidas.
Julian não consegue lidar não somente com a morte dela, mas com a maldição Parabatai que paira sob ele e Emma, com isso ele vai cair em uma espiral dolorosa e tomar atitudes que mudaram sua vida.

“Era como se a tristeza tivesse mergulhado Julian numa banheira de gelo, pensou Emma. Tudo nele estava frio: seus olhos, a expressão, o tom da voz.”

Com o poder da clave caindo nas mãos da tropa à família precisa se unir ainda mais e enfrentarem uma sombria jornada no mundo das fadas em busca de vingança, e de algo que esperam possam os salvar.

Temos a volta de personagens muito queridos de outras series dos caçadores, Jace, Clary, Isabelle, Simon, Magnus e Alec se unem aos protagonistas mostrando que os elos de amizade são ainda mais importantes durante tempos sombrios.

“Abençoado seja o Anjo, minha força, que orienta minhas mãos para a guerra e meus dedos para a luta.”

O livro é excelente e me fez sofrer muito, mais do que nunca eu torci por cada um desses personagens tão queridos, a dor deles foi tão forte e enquanto eles lutavam por suas vidas e alguns tentavam fazer que tudo fosse normal novamente, eu me vi rezando para que houvesse um jeito para tudo dar certo.


Como último livro da trilogia Cassandra Clare manteve um ritmo intenso para responder e encerrar satisfatoriamente os vários núcleos de narrativa, e é claro, como de costume deixar em aberto o caminho para as próximas histórias que deseja contar.

A trilogia foi fortemente ligada à busca pelo fim da paz fria e para desvendar os segredos da maldição Parabatai.

Essas duas tramas se encerram e fiquei muito feliz com como ela desenvolveu a maldição Parabatai, (como uma fã do conceito inclusive tenho essa runa tatuada), eu me senti muito ligada a essa narrativa e não posso dizer que não me sinto muito mais feliz que existe uma compreensão sobre ela. Finalmente!

Emma e Julian, são um dos casais mais fortes que foi escrito pela autora, e agora sem mais tanto segredos entre eles, e ambos cientes do que precisam enfrentar para ficarem juntos, o amor deles queima ainda mais alto, moldando o destino de todos.

“- Enquanto você existir e eu existir, eu vou te amar.”

Ponto alto do livro são os desenvolvimentos românticos, o amor sempre foi à base da força dos caçadores de sombras, e mesmo em meio a muita dor e tragédias, ou ate mesmo por tudo isso, vários casais tiveram a oportunidade de compreenderem seus sentimentos um pelos outros, desde o casal principal Emma e Julian, tivemos grandes momentos para casais já estabelecidos (Magnus e Alec, Jace e Clary), e novos como Gwynn e Diana, e Cristina...
Muito amor mesmo em todo o livro.

E para os fãs das Fadas dessa história muitas reviravoltas dignas de serem acompanhadas.

“- Está é a natureza de ter uma alma, Kieran, e um coração. Todos tropeçamos no escuro, causamos dor e tentamos consertar isso da melhor maneira possível. Todos ficamos confusos.”

Muitos sacrifícios, lágrimas, solidão e luta.
É nos momentos mais perigosos que os caçadores mostram seu valor e sua coragem, e esses caçadores foram testados, e assim como o ouro, eles saíram mais puros e fortes após o teste. E unidos como nunca.

Contudo foi um adeus com gosto de quero mais, já estou na espera para ver o desenrolar da historia dos caçadores de sombras, que tiveram todo o seu mundo modificado e diante de tantas mudanças, vai ser necessário que eles queimam ainda mais alto com o fogo celestial que corre em suas veias.

“Eles se ergueram como um, em fogo e faíscas, cada instante mais brilhante; e quando finalmente romperam e caíram juntos, eram estrelas colidindo em ouro e glória.”

Rainha do Ar e da Escuridão encerra o capitulo dos Blacktorns cujo lema é Lex Malla, Lex Nula... Uma lei ruim, não é lei. É isso ficou claro e muito bem defendido nesta trilogia, e já deixa saudades de todos eles, e desejo de saber o que será dos jovens Blacktorn, de Ty, após tudo o que fez neste último livro enquanto estava imerso no luto e perda de sua gêmea, de Drussilla, que ainda tão nova se mostrou uma guerreira tão forte e decidida, de Octavian, uma criança que passou por tantas coisas. É quase certo que veremos muito deles no livro de Kit.

Sobre a edição, o livro é publicado no Brasil pela Editora Record no selo Galera Record, a primeira edição do livro vem já com a capa holográfica padrão dos livros da autora aqui, o livro é muito bonito e tem um capitulo extra ao final, como bônus, que é lindo.

Então ate o próximo livro dos caçadores de sombras mais amados de todos.

7 comentários

  1. Nossa, esse livro foi incrível mesmo ne. Tanta coisa acontece e tanto pra explorar que a gente até se perde com tanto pra dizer sobre ele. Gostei muito de como ela brincou com o lado humano e político nesse livro. Os preconceitos e as coisas que o humano faz de ruim e como o sobrenatural pode acabar sendo mais amistoso e compreensivo que o que se esperaria dos caçadores. A clave e a conclusão de tudo aquilo me deixaram com um misto de tristeza e realidade que foi bizarro de ler. Mas é isso. O que o preconceito e a falta de mudança faz. Pensamento fechado, ideias antigas e distorcidas. Amei como os romances acabaram, como ela conseguiu desenvolver esse negócio dos parabatai mesmo, o final disso. A família deles e como tudo acabou. As partes deixadas pra outras séries(aquele final!) e a conclusão de toda a jornada da trilogia e personagens. Mas o melhor do livro é essa junção de todo mundo aí das outras séries. Nem preciso insistir que Malec foi o melhor desse livro. Foi. Ponto. xD
    Gostei de como a escrita dela evoluiu pra algo mais maduro e levou o mundo dos caçadores pra outro nível. Você percebe essas mudanças ao longo das séries e é isso vai tornando cada livro único, mesmo que acaba falando das mesma s coisas. Ah amei demais e já quero outra série dela pra ler!

    ResponderExcluir
  2. A edição deste livro é uma espetáculo,mas como ainda não li nenhum dos dois livros anteriores, confesso que fiquei um pouco perdida com nomes e fatos.
    Conheço um pouco as letras da autora por conta da saga de Cidade dos Ossos. Acabei lendo 03 livros na época, mas admito que não dei continuidade. Não, não foi falta de interesse, só acabei passando muita coisa na frente.
    Por isso, quando A Dama da Meia Noite foi lançado, prometi a mim mesma que leria o quanto antes e até hoje não cumpri a promessa..rs
    Gostoso ler que a autora desenvolveu mais uma série fantástica e a encerrou dando gancho para uma próxima!!
    Com certeza, pretendo ler o quanto antes!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Olá! Por mais sucesso que a Cassandra e suas histórias tenham, devo confessar que ainda não me rendi a leitura (risos) e aquela vontade maluca não surge por mais resenhas que eu leia, sei lá nesse momento não é uma leitura que eu pretenda priorizar. Mas não dá para negar que o enredo tem muito do que eu amo nas minhas leituras, acho que é uma questão de momento mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Olá Vivian!
    Ainda não iniciei essa nova trilogia do universo shadowhunter, embora possua os três exemplares na estante e esteja sedento para voltar a esse mundo maravilhoso criado pela autora. Como já era de se esperar, Cassandra Clare entrega um desfecho que não deixa pontas soltas, com performances emocionantes de queridos personagens. Não sei, contudo, se seria interessante a autora continuar a explorar o shadoworld com novos spin-offs, visto que aqui muitos elementos se assemelham à coisas já vistas em outras séries da mesma.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi Vivian,
    Quanto mais ouço elogios da escrita de Cassandra Claire mais tenho vontade de continuar com a leitura de seus livros. Atualmente estou lendo Cidade do Fogo Celestial e neste livro já nos é apresentado os protagonistas da trilogia Os Artifícios das Trevas e agora, mais do que nunca, quero ler esses livros. É impressionante como é fácil nos apegarmos aos personagens, por isso que quando algo inesperado acontece o sofrimento é inevitável. Acho que mais uma vez a autora soube explorar esse universo tão rico em elementos e agora é só esperar que ela o continue explorando, pois há muito ainda que pode ser contado.

    ResponderExcluir
  6. Olá Vivian!
    Perdão por não ter lido a resenha, é que estou lendo Senhor das Sobras agora (nunca consigo entrar em sintonia com as suas leituras, não é mesmo? Rsrs). Estou amando essa série, pode rever os personagens das outras séries da Cassandra não tem preço, e meu coração está apertado com o dilema amoroso entre Julian e Ema. Espero logo iniciar Rainha do Ar e da Escuridão.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oiii ❤ Que capa mais maravilhosa é essa?! A Galera Records caprichou nos detalhes e nas cores.
    Ainda não comecei a ler essa trilogia da Cassandra Clare, mas quero muito, já que amo a escrita dela e sou fascinada pela série Os Instrumentos Mortais.
    Que sinopse! Preciso começar a ler Dama da Meia Noite, pra poder ler o próximo livro é esse, que me deixou muito curiosa. Como sempre, Cassandra Clare criou mais uma trama original e muito bem pensada.
    Quero muito fazer essas leituras também pra conhecer melhor Julian e Emma. Já acabei levando alguns spoilers sobre o primeiro livro um tempo atrás, então é melhor lê-lo antes de levar mais alguns rsrsrs.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir