A História do Ladrão de Corpos - Crônicas Vampirescas, 04 - Anne Rice

12 de maio de 2020

Título: A História do Ladrão de Corpos - Crônicas Vampirescas, 04
Autor: Anne Rice
Páginas: 464
Ano: 2009
Editora: Rocco
Gênero: Fantasia, Ficção, Horror, Literatura Estrangeira, Sobrenatural
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:  
Sinopse: Através dos séculos, Lestat foi cortejado como príncipe no reino das trevas onde vagueiam os mortos; agora, porém, ele está diante de uma situação inusitada que pode mudar o rumo de sua existência completamente. Um desconhecido que o persegue em vários lugares do mundo – Veneza, Hong Kong, Miami, Londres e Paris – propõe a troca de seu corpo com o do vampiro. É a oportunidade de Lestat sentir as sensações de um mortal. É a chance de Raglan James experimentar os poderes de um imortal. Esta é uma história contemporânea, passada no final dos anos 80, inclusive no Rio de Janeiro. Depois de alcançar o sucesso durante sua curta carreira de cantor de rock, Lestat se enfronha no candomblé e no espiritismo, pelas mãos de David Talbot, um amigo mortal que recusa sua oferta de Sangue Negro. Torturado por seu amor, suas dúvidas e sua solidão secular, Lestat sonha ser humano outra vez. Ver o sol, beber e comer como qualquer outra pessoa. Mas uma coisa o perturba. E se o estranho não lhe devolver mais o corpo?



Resenha:

“Aqui fala o vampiro Lestat. E tenho uma história para contar a vocês. Sobre uma coisa que aconteceu comigo...”

Olá pessoal, continuando o meu projeto Lendo Anne Rice temos um livro muito interessante, prontos para mais uma dose dos vampiros cativantes de Rice?

Para ler as resenhas dos três primeiros livros das Crônicas Vampirescas basta clicar nas imagens abaixo:




A História do Ladrão de Corpos, é o quarto livro das Crônicas Vampirescas da rainha Anne Rice, aqui nos temos uma aventura incrível com o nosso amado e odiado vampiro Lestat, publicado no Brasil pela Editora Rocco.

Após os três primeiros livros das crônicas, que foram a meu ver a base do universo vampiresco da autora, onde ela nos apresentou seus protagonistas, as origens do vampirismo e o que podemos esperar deles, em A História do Ladrão de Corpos, a autora pode iniciar suas aventuras de uma forma mais fechada. Com inicio, meio e fim.

“Séculos atrás, quando entrei pela primeira vez naquele palco, em paris, quando vi os rostos felizes, quando ouvi os aplausos, foi como se o meu corpo e a minha alma tivessem encontrado seu destino.”

Este livro pode ser lido sem que os demais tenham sido lidos, porém, ele não perde tempo de narrativa explicando muito o que já aconteceu, apenas uma breve explicação e volta se concentrar na sua narrativa principal. Então, os personagens que já se conhecem para quem não leu pode achar um pouco estranho a dinâmica.



Aqui temos Lestat, muito mais poderoso do que jamais imaginou ser, ele está um patamar muito acima dos demais vampiros, inclusive de vampiros mais velhos do que ele. Com tamanho poder, a vida de Lestat está perigosamente na corda bamba, e tudo por que... Bom porque Lestat é uma criatura que ama a vida e seus segredos, anseia por viver algo intenso e estar sempre descobrindo algo que o faça se sentir vivo, então a se ver tão poderoso ele começa a se sentir entediado. Com isso ao descobrir que existe um mortal que o está perseguindo ao redor do mundo, e parece ser o único capaz de encontrá-lo onde quer que ele vá, isso ao em vez de o deixar suspeito e temerosa, o deixa animado.

“Existe algum ser no mundo que faça uso de tudo que possui? – perguntei. – talvez um pequeno número de seres geniais e corajosos conheçam os próprios limites. O resto de nós não faz outra coisa senão se queixar.”

Ao receber o convite do misterioso Raglan James, ele aceita um encontro, mesmo que seu melhor amigo o intelectual David talbot, - David que é um médium poderoso e membro do Talamasca, um grupo de estudiosos do sobrenatural, é o que considero um dos únicos e verdadeiros amigos atuais de Lestat – considere que ele não deve fazer isso.

Neste encontro algo maravilhoso acontece, pelo menos na opinião de Lestat, James oferece uma troca de corpos, por um período de um dia, ele viverá no corpo de Lestat e Lestat no dele.

Lestat que está em meio de uma crise existencial, acredita que se ele puder se recordar como é estar realmente vivo, ele poderá voltar a apreciar o dom das trevas, e James o informar que possui a curiosidade do que é ser um imortal.

Apesar de todos os avisos contra isso, obviamente Lestat aceita o acordo, e por 24 horas e se encontra em uma aventura que custará muito a ele, porém, é basicamente o que ele merece. Nessas 24 horas acontecem muitas coisas, algo que li com uma grande empolgação, a jornada dele como mortal é uma verdadeira montanha russa de emoções com direito a encontros amorosos, conversas filosóficas e muito mais.

“Assim, estendemos a mão para o caos furioso, apanhamos alguma coisa pequena e brilhante e nos agarramos a ela, dizemos a nós mesmos que ela tem significado, que o mundo é bom, que não somos a encarnação do mal e que no fim iremos para casa.”

É claro, que como podem ver pelo nome do livro, James não tem interesse em devolver o corpo de Lestat, momento que nosso vampiro favorito, começa a perceber que sua imprudência pode ser devastadora e não somente para si mesmo, mas também para os demais vampiros, e as pessoas que ele ama.

Raglan James é um antagonista muito inteligente e capaz de muitas coisas ruins para conseguir o que deseja, será necessário muita inteligência e ajuda para que Lestat o enfrente e isso é fascinante. Mais uma vez Rice mostra porque seus vampiros são tão cativantes, e suas histórias um marco dentro do estilo. Sua escrita é envolvente e ela aborda muitos assuntos sérios, como a busca pela compreensão do bem e mal, das existência de seres poderosos e entre outros detalhes que tornam suas tramas muito ricas.




É um livro muito empolgante, onde temos uma aventura que mostram novas nuances da personalidade de Lestat e onde o conhecemos mais profundamente, e também, mostra uma das relações mais importantes das crônicas, a amizade entre Lestat e David, este um homem que já está chegando a um ponto da vida em que a morte sorri para ele, e faz com que Lestat sinta uma variada mescla de emoções... Principalmente o medo de perder esse raro amigo.

“De que adianta descrever o meu sofrimento? Ou a dor surda ou tenebrosa que eu sentia? De que adianta dizer que eu conhecia a extensão da minha injustiça, da minha desonra e da minha crueldade? Eu sabia a magnitude do que tinha feito a ele. Eu me conhecia, conhecia toda a minha maldade e não esperava do mundo nada mais do que maldade.”

A história do ladrão de corpos, é uma trama única, algo que veremos nos próximos livros das crônicas. Aqui o foco foi em Lestat e em David. Teremos ainda um pouco de Armand, Marius, Pandora... Entre outros.

E as repercussões dessa aventura com o ladrão de corpos, serão exploradas no próximo livro, Menmoch, livro que eu voltarei na próxima resenha, e que trás uma das conversas mais estranhas e interessantes das crônicas, Lestat após tudo o que viveu como mortal, irá encontrar o próprio mal encarnado...

Até a próxima.

12 comentários

  1. Fiquei lendo a resenha e imaginando esse trocar de corpos por um tempo. Ao mesmo tempo intrigante, mas também convidativo demais!!!
    Lestat é o maior e ouso dizer que o único vampiro "de verdade" dos enredos não somente de Anne, mas também de todas as histórias que envolvem vampiros.
    Aliás, que saudade de uma história nova sobre eles.
    Claro que um dia pretendo ler essa saga da Rainha do Sobrenatural, mas enquanto isso não acontece, fico aqui me deliciando com esse projeto!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/ Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Que história é essa hein,fiquei ansiosa só por ler sobre essa troca de corpos temporária. Deu uma vontade imensa de ler todas edições anteriores😍. Resenha maravilhosa Vivis, amei!!

    ResponderExcluir
  3. Olá Vivian!
    Eu não consigo descrever direito o que torna esse universo da autora tão atraente e original. Talvez a riqueza culturas que a autora utiliza para compor o misticismo envolvendo os vampiros, que se distancia de muitas obras genéricas envolvendo as criaturas da noite.
    De modo geral, o que torna a leitura deste quarto volume fluída aparentemente é todo o background que o leitor já teve a oportunidade de conferir nos livros anteriores. Logo, aqui temos uma trama ágil cujo pilar com certeza é a amizade.
    A Talamasca possui um conceito que me lembra bastante da atmosfera de American Horror Story: Coven, e SIM, ISSO SÓ TORNA TUDO AINDA MELHOR.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Vivis!
    Confesso que nunca li nada da Anne, mas sempre tive curiosidade, e talvez ela esteja aumentando com as resenhas hahaha

    <3

    ResponderExcluir
  5. Vivian!
    Anne Rice para mim é uma das melhores escritoras desses seres deliciosos que são os vampiros, nada se compara às suas histórias.
    Lestat é meu vampirão favorito de todos, mas vamos combinar que foi muito ingênuo ao fazer esse acordo de ser mortal por um dia, mesmo que tenha vivido emoções extraordinárias, não deveria ter confiado em Raglan James, bicho ruim...
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. ingriD Figueiredo12/05/2020 23:35

    Achei que a história diverge , e muito, de seu livro anterior ( A Rainha dos Condenados), e a história tem meia dúzia de personagens em situações de pouca ação. Penso que o livro basicamente se presta a mostrar as reflexões que Lestat faz enquanto ocupa um corpo mortal. Todas as nossas vulnerabilidades, incertezas e medos são sentidos por ele, o que o faz considerar se ser um vampiro é tão ruim assim.
    Eu gostei dessa história por causa da mensagem geral que ele transmite. "Tenha cuidado com o que deseja, você pode conseguir", e não ser capaz de lidar com as repercussões.

    ResponderExcluir
  7. Olá Vivian!
    Sou muito fã de histórias com vampiros mas não conhecia as obras de Anne Rice por isso estou adorando esses resenhas. Esse troca de corpos entre sobrenaturais e mortais é algo novo para mim, nunca tinha visto nada assim antes. Já vi que esse troca vai servir de boas lições para Letast. Adoro quando os autores dão destaque para a amizade e quando são entre seres diferentes, no qual um é mortal e o outro imortal sempre é difícil dizer adeus. Ansiosa para conhecer mais sobre os outros personagens

    ResponderExcluir
  8. ola
    não sou de ler esse tipo de genero mas que a autora tem criatividade isso tem
    mostra o que o poder pode fazer com as pessoas e o que essa escolha pode acarretar
    Naõ imagino o resto da trama ,se esse vampiro aprendeu a lição e o valor da verdadeiro amizade e que tudo tem limites sim .
    otima resenha

    ResponderExcluir
  9. Olá! Mas gente, estava na cara que essa proposta não ia dar certo neh! Melhor para gente que tem a oportunidade de conferir mais uma baita história desse vampiro, fiquei bem curiosa em como ele vai resolver esse baita problema.

    ResponderExcluir
  10. Achei um pouco intrigante essa história de troca de corpos e como Lestat irá enfrentar e tentar reverter a situação em que entrou.
    Apesar de tudo isso, não sei se seria uma leitura que faria, já que faz mais de anos que não leio algo relacionado a vampiros ou fantasia, mas vou acompanhar o desfecho da série aqui pelo blog.

    ResponderExcluir
  11. O único livro que conheço da autora é Entrevista com o vampiro, que eu achei fantástico. Os demais não conhecia, porém ja quero ler, pois o estilo que a autora escreve me agrada bastante por não ter tantos joguinhos cansativos que faz desisti do livro.

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Ahá, sabia que eu lembrava do Leslat de algum lugar! Amo a adaptação para cinema de Entrevista com o Vampiro, fiquei sabendo esse ano na verdade que veio de um livro, e soube hoje que virou uma série de livros. Sou louquinha para conhecer essa história! ❤

    ResponderExcluir