Fabulador: O chamado de Morrigan - Nevermoor, 2 - Jessica Townsend

5 de novembro de 2020

Título:
O chamado de Morrigan - Nevermoor, 2
Autor: Jessica Townsend
Páginas: 369
Ano: 2020
Editora: Rocco
Gênero: Ficção; Literatura infantojuvenil australiana
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse: Você tem um dom. Um chamado. É você quem decide o que isso representa. Mais ninguém.

Morrigan Crow pode ter derrotado sua maldição mortal, superado os desafios perigosos e entrado para a Sociedade Fabulosa, mas sua jornada por Nevermoor e todos os seus segredos está apenas começando...
Os cidadãos da mágica e secreta cidade de Nevermoor têm uma memória viva dos ataques orquestrados pelo único Fabulador que conhecem, Ezra Squall – e sem dar uma chance para Morrigan, agem como se ela fosse tão mortal quanto.
Por isso, não é surpresa que, quando integrantes da Sociedade Fabulosa começam a sumir, Morrigan se torne a principal suspeita. Agora, Morrigan e seus amigos, os antigos e os novos, terão que provar sua inocência antes que ela seja expulsa da Sociedade, o único lugar que ela chama de casa, para sempre.
Fabulador: O chamado de Morrigan Crow é o segundo volume da série Nevermoor, que começou com Nevermoor: Os desafios de Morrigan Crow.


Resenha: Quando li o primeiro livro dessa trilogia infantojuvenil eu amei demais e fiquei querendo ler em seguida o segundo livro e eu não poderia prever que agora estou aguardando, ansiosamente, o terceiro e último livro que irá fechar essa história da Morrigan. Não poderia prever que gostaria tanto e hoje posso dizer que considero um dos livros infantojuvenis mais bem desenvolvidos e contínuos da atualidade.



"- Para sempre unidos, na chegada e na partida."

Para ler a resenha do primeiro livro, basta clicar na imagem abaixo:

                                                     

“Quando ele parar, essa sensação de felicidade perfeita vai desaparecer. E você vai se ver aqui no mundo real, com todas as durezas e imperfeições e sujeira. Vai ser tão insuportável, um vazio tão absoluto, que você vai sentir que sua vida parou. Como se estivesse aprisionada em uma bolha enquanto o restante do mundo continua vivendo de forma imperfeita à sua volta.”

Esse segundo livro é contado em primeira pessoa, pela Morrigan, assim como o primeiro e provavelmente o terceiro. É diferente e ingênuo enxergar pelos olhos de uma criança, ainda mais essa pequena menina que tem uma percepção sobre si, sobre os outros de uma forma singular, detalhada e de uma forma precisa em que sua mente e seu olhar nos conta.

“Ela estava se sentindo perfeitamente calma até ele perguntar se ela estava calma.”

Tenho para mim que as crianças olham para tudo e com suas sabedorias e pequenos conhecimentos, sabem discernir algo ou alguma ação melhor do que nós. Nesse livro não poderia faltar isso. Seu mentor muitas vezes está viajando e Morrigan muitas vezes se sente melhor no hotel, o Deucalião, salvo engano, que é sua casa, do que no colégio. Por sua habilidade é inevitável o temor e acaba tendo uma única aula com um professor, porém nem tudo que parece o é. Aguardem isso quando lerem o livro.

“Irmãs e irmãos, fiéis por toda a vida,
Para sempre unidos, na chegada e na partida.
Nove acima de todos, nove acima do sangue,
Ligados para sempre, no fogo e no mangue.
Irmãos e irmãs, verdadeiros e leais,
Juntos para sempre, poucos e especiais.
Era um juramento.”

O livro continua com as personagens anteriores e com as novas que ora vocês vão querer sacolejar ora vão pensar: caraca nunca pensei que ela estaria certa. Muitas ações parecem bondosas e outras não, mas nem tudo que reluz é ouro, como dizem os antigos. Agora essa turma são a Unidade 919. Muitas aventuras irão surgir. Fiquei de cabelos em pé em várias. Ficava dizendo para Morrigan. Não entra aí menina. Saiiiiii logoooo. Menina do céu. Vários miniinfartes. Brincadeiras a parte. Temos também a senhorita Cheery, a condutora do Fabulotrem.

“E, quando entramos em pânico, perdemos a capacidade de pensar com clareza.”

As expressões usadas para descrever diversas personagens é diferente, cativante e eu não esperava. Gostei da maneira fácil e simples que a escritora descreve e nos conta tudo de forma objetiva e com o intuito de nos fazer entrar na história e partilhar de tudo que vai se desenvolvendo com Morrigan e algumas outras personagens.

“Sua vida vale mais do que um atalho.”

Ainda temos as personagens de sempre como o vilão, Ezra Squall, todos hotel Deucalião, o sobrinho do Júpiter, que tem um dom extraordinário e tem que ser usado com cautela e aos poucos, mas o tornará um homem com percepções além da imaginação... e que dom. Temos todos os alunos que participaram e ficaram na Unidade 919. Enfim, vale a pena revê-los.

“Quem nasce no Alvorecer traz uma doce mensagem.
-Quem nasce no Escurecer é perverso e selvagem.
-Quem nasce no Alvorecer chega com a luz da aurora.
-Quem nasce no Escurecer traz tempestade toda hora.
-Aonde você vai, ó filho da manhã?
Lá no alto, com o sol, onde os ventos aquietam.
-Aonde você vai, ó filha da noite?
Lá embaixo, onde coisas pálidas usam o açoite.”

Pode parecer clichê, mas eu gosto muito com os escritores nos fazem entrar e nos imaginar na história , querendo que nós leitores tenhamos uma visão do todo e como o desenvolvimento é muito mais do que esperávamos. Essa foi minha impressão. Aguardei pelo lançamento e não me decepcionei! Quero afirmar que estou aguardado, ANSIOSAMENTE, pelo terceiro livro e espero que ele feche com chave de ouro a trilogia. As expectativas estão em alta. Leiam!!! Tenho que dizer que o ato vale mais do que qualquer palavra que tenha sido dita.

14 comentários

  1. Em primeiro lugar, as capas são incríveis! Eu amo esse jogo de cores.
    E amo também um enredo juvenil assim, cheio de magia e aventuras. Me lembro muito bem da resenha do primeiro livro e ver que Morrigan não só continuou crescendo,mas também manteve sua inocência e força!
    Isso faz toda a diferença.
    Chega quase a ser um conto de fadas, com essa capacidade de fazer viajar, sonhar.
    Quero muito ter a oportunidade de ler a trilogia!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Nenhum dos gêneros são os que costumo ler, mas parece ser bem legal. Acho interessante quando explicitam de qual lugar do mundo o autor é, no caso, da Austrália, pois não leio muitos autores de lugares diferentes e queria muito mudar isso. Fico pensando o quanto os livros se tornam diferentes só por causa disso. Também gosto muito quando os autores nos fazem mergulhar tanto na história, que nos sentimos dentro dela.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ahhhh eu quero ler agora! Eu tenho uma queda imensa por livros infantis juvenis e tu disse que é um dos mais bem desenvolvido!!!! Ou seja, já me ganhou
    Qual será o dom do sobrinho de Júpiter? Fiquei curiosa 🧐
    Adorei a resenha
    😘😘😘😘

    ResponderExcluir
  4. Ludmila do Carmo05/11/2020 10:27

    Apesar de não ser um gênero literário que eu leia, é uma saga que tanto minha irmã quanto a minha amiga iria gostar, assim já sei como presenteá-las hahaha

    A historia parece ser bem divertida e bastante gostosa de ler, sem falar que a capa é simplesmente linda!!!!

    ResponderExcluir
  5. Sempre gostei de leituras narradas por crianças. Acho que a forma como enxergam o mundo é diferente, nos trazem uma lição, uma forma de ver as coisas com olhos mais sensíveis. Parece ser uma aventura muito divertida!!!
    Adorei a resenha e a sensibilidade :)

    ResponderExcluir
  6. Raquel!
    Menina que capa é essa???? Se a primeira já me encheu os olhos, essa então...quero colar na parede de tão linda!
    E eu não posso nem ver essas histórias narradas por crianças que já quero conferir (não é a toa que eu gosto de Desventuras em Série).
    Como todo segundo livro de trilogia, aqui temos os elementos que deram certo no primeiro volume e novos conceitos que ampliam o universo criado por Morrigan. Além de personagens carismáticos, o livro conta com aventurar que nos deixam temendo a todo momento pelos nossos favs (atenção cardíacos!).
    Tomara que o desfecho não demore a sair.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Ahhh amei a resenha! Quero muito ler essa serie, que fique surpresa em saber que era uma trilogia, pq tinha uma certeza absoluta que era uma gigante. Mas acho que confundi com a serie "Guardiã das cidades perdidas" da editora biruta, q acho q desistiu de publicas essa serie, mas ambas parece ser bem parecidas!

    ResponderExcluir
  9. ola
    que bom quando um autor tem a capacidade de fazer o leitor se sentir assim parte da estoria
    esse não é um genero que leio com frequencia ,que bom que gostou da trama . e que bom tambem ler autores de paises que raramente vemos sendo citados .agora é aguardar o proximo livro e ver o que a autora reservou .

    ResponderExcluir
  10. Raquel!
    Gosto demais de livros infanto juvenis porque sempre trazer grandes ensinamentos e insigths, além de toda aventura, dos perigos e principalmente da amizade que encontramos.
    Essa série parece boa de verdade.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  11. Os livros infanto juvenis sempre são tão cheios de mensagens positivas, aventuras, humor e O Fabulador é isso e muito mais. Tanto que me despertou muito a curiosidade.

    ResponderExcluir
  12. Olá! Eita que com esses livros foi amor a primeira vista, já estava apaixonada com o primeiro livro e os quotes e com esse então, já me identifiquei com aquele que fala sobre calma (tão eu), além disso, a história parece ser lindinha e cheia de significados, o problema mesmo é sofrer pela continuação.

    ResponderExcluir
  13. Fátima Menezes13/11/2020 12:23

    Que livro lindo! Provavelmente não seria dos meus favoritos, mas daria uma boa quebra entre leituras mais densas.

    ResponderExcluir
  14. Gosto muito de livros infanto-juvenil, e melhor ainda é ja ter passado dessa fase a tempos e mesmo assim se senti como adolescente ao ler histórias assim. São livros que eu não conhecia, mas vale a pena ler na primeira oportunidade.

    ResponderExcluir