Bom de Briga - Markus Zusak

4 de maio de 2018

Título: Bom de Briga
Autor: Markus Zusak
Páginas: 208
Ano: 2013
Editora: Bertrand Brasil
Gênero: Romance australiano
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:  
Sinopse: Na continuação do sucesso O azarão, Markus Zusak apresenta o emocionante Bom de briga. Se no primeiro título o autor traz um romance de formação de um jovem incorrigível, infeliz consigo mesmo e com sua vida, agora ele exibe dois irmãos em busca de um propósito na vida. Bom de briga retrata a evolução dos irmãos Cameron e Ruben Wolfe como seres humanos. No primeiro livro, a dupla estava sempre atrás de algo errado para fazer. Dessa vez eles entram no mundo das lutas amadoras de boxe, buscando independência para suas vidas. Enquanto Ruben mostra um talento nato para a coisa, o outro tenta apenas sobreviver. Tudo que é ruim é normal no dia a dia da família Wolfe - como os silêncios, as brigas, a pobreza, a mediocridade. Eles já se acostumaram com isso e sempre têm uma justificativa para tanto. Cameron, o mais novo, é o exemplo do jovem batalhador. Desde cedo apanha e se levanta, mostrando que o que importa não é a força da pancada, mas se você tem a força necessária para se reerguer.


"- Cam.
É o Steve.
- Steve. - Faço um gesto com a cabeça, e isso é tudo que vamos dizer um para o outro durante todo o dia."
Resenha: Esse é o segundo livro da trilogia dos irmãos Wolfe. O primeiro é O Azarão, que já tem resenha aqui no blog, o segundo é esse Bom de Briga e o terceiro é A garota que eu quero. Recomendo que se você gosta dos livros do Zusak leia na ordem para entender e compreender a evolução da família Wolfe e principalmente dos irmãos.

Uma coisa que continua é o narrador. O Cameron narra todos os três livros e muitas vezes não só conversa com nós leitores, mas também faz muitas reflexões sobre a vida dele, dos irmãos e de sua família e também faz algumas rimas, versos e afins, bem como esse:

"Fumaça.
Ressaca.
E Sarah está deitada lá, encharcada disso.
A luz do dia entra pela janela.
Saio.
Dali.
Domingo."

E com muitas frases, e frases reflexivas como:

"- Sabe, Cameron, as únicas coisas que me importam nessa vida são: eu, você, a mamãe, o papai, o Steve e a Sarah. E, talvez, o Miffy. O resto do mundo não significa nada pra mim. O resto do mundo pode apodrecer."

"Você não acha engraçado como o tempo parece fazer um monte de coisas? Ele voa, ele diz e, o pior de tudo, ele acaba."

Enfim, a meu ver essa trilogia é uma literatura infanto juvenil e é bem diferente dos outros dois livros do Zusak, que são: A menina que roubava livros e Eu sou o mensageiro, que usa coisas mais sérias e mais reflexivas da vida adulta.

Já nesse romance o pai Wolfe sofreu um acidente no trabalho de encanador e ficará cinco meses de licença, porém passado esse tempo ele não deu entrada no seguro-desemprego mesmo não conseguindo nenhum emprego de encanador.

Steve o filho mais velho, um vencedor e mais responsável, o ajuizado dos filhos, ajuda como pode e se oferece para ajudar a pagar algumas contas, já que a mãe Wolfe está trabalhando não só como diarista nas casas, mas também conseguiu um emprego em um hospital, entretanto não dá para pagar todas as contas e em dia, muitas vezes paga depois do vencimento. Sarah segundo irmã depois do namoro não ter dado certo acaba vindo muitas vezes bebada para casa e fazer uma coisas que ela mesma não se orgulha fora de casa. Os irmãos Rube e Cameron ainda frequentam a escola e ouvem muitas piadas de mau gosto contra Sarah e na quarta pessoa que faz uma piada ele avança no colega e da vários socos. Um tempo depois um homem, Perry Cole, chega em sua casa e convida Rube a lutar por cinquenta se vencer e algum dinheiro se lutar bem e não vencer. Muitas lutas ocorreram.

Em Bom de Briga vemos Cameron um ano mais ou menos mais velho e um  pouco diferente, porém com mesmo coração bom, com pensamento reflexivos e conversando consigo, com seu irmão Rube e conosco.

Recomento a leitura a fim de que você leia com tranqulidade, pois dá para se ler em uma sentada e para ser uma leitura prazerosa e leve da vida de dois adolescentes e da vida simples, humilde que são os Wolfe.

14 comentários

  1. Oi, Raquel.

    Acho que com esse acidente do pai, o Cameron enfim, teve a oportunidade de ser responsável, e pôr em prática o que ele sabia fazer, que é lutar.

    ResponderExcluir
  2. Oi Raquel, não acompanhei a história do primeiro livro, mas achei bem diferente só pela sinopse de "A menina que roubava livros" (o outro livro que li do autor). Parece realmente que mostra a vida dessa família e como o personagem evolui com todos os problemas que assolam a sua família. Realmente parece mais leve que as outras obras do autor mas boa de qualquer forma.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Eu juro que não sabia que A Garota Que Eu Quero era parte de uma Trilogia. Comecei a leitura dele em PDF faz um tempo sem antes ler resenhas e tudo o mais, mas parei antes da página 50 por estar achando confuso e agora sei o porquê, eu comecei pelo fim rs

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto bastante do jeito como Markus escreve, jogando algumas frases que nos fazem refletir. Como eu disse não sabia sobre essa Trilogia, mas como li o inicinho do último livro (rs), gostei bastante da interação dos personagens, ela é muito "família" com todas as brincadeiras, segredos e desafios.

    ResponderExcluir
  5. Só li dois livros do autor, A Menina e O Mensageiro e já muito suficiente para eu me apaixonar pelas letras do moço.
    Ele consegue fazer a gente desenhar cenários incríveis em nossa imaginação.
    Ainda não pude ler esta trilogia, mas os livros já estão na lista de desejados há um bom tempo e espero mudar isso em breve.
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Oi Raquel.
    Eu só li os dois livros, A menina que roubava livros e O mensageiro e gostei bastante da escrita do autor.
    Tenho bastante interesse em ler essa trilogia (não sabia que fazia parte de uma trilogia rs). Vou ler na ordem que você citou.
    Achei interessante nessa trilogia o autor abordar situações mais simples, corriqueiras e não temas mais pesados. Espero gostar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá Raquel,
    do autor eu só li A Menina que Roubava Livros.
    Depois de ler a sinopse e a resenha do livro, não me interessei para ler.
    Faz um tempo que não leio uma trilogia narrada pelo mesmo personagem, a maioria tem narrador diferente para cada livro.

    ResponderExcluir
  8. Oi Raquel!
    Fiquei curiosa pra ler os livros depois de ler sua resenha, gosto mto de livros do gênero, vou add aos desejados e torcer pra que surja uma oportunidade em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Oi Raquel!!
    Não curto muito os livros desse autor... e a sinopse não me agradou muito.
    Não é o tipo de livro que eu gosto!

    ResponderExcluir
  10. Ainda não conheço a escrita do Zusak, mas estou desejando A menina que roubava livros.
    Já vi algumas vezes A garota que eu quero, mas não sabia que fazia parte de uma série.
    Amo histórias reflexivas; então com certeza já fiquei interessada.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Raquel,
    Nossa, não fazia ideia que o livro A garota que eu quero fazia parte de uma trilogia, e sendo o terceiro livro ainda. Pensava que era um livro único.
    Li apenas o grande sucesso do autor, A menina que roubava livros, e tenho muitas saudades de ler algo dele, pois amei a sua escrita.
    Vou colocar essa trilogia na minha lista de desejados, pois gosto de livros assim, que trazem dramas familiares, com personagens jovens, que lutam por uma vida melhor. Gosto quando os personagens vão amadurecendo ao longo da narrativa, então vai ser uma leitura muito prazerosa ao acompanhar a jornada do Cameron e seu irmão.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá Raquel.
    Vou ser sincera, dos livros do Markus Zusak, o único que eu tinha conhecimento era "A Menina que roubava livros". Não sei, se esse seria um dos tipos de livro que eu gosto de ler, porém, depois eu vou dar uma olhadinha melhor nele!

    ResponderExcluir
  13. Oi Raquel.
    Essa é a primeira vez que vejo falar desses livros, porém confesso que ele despertou um pouco a minha atenção, apesar de não ser bem o que eu costumo ler. Eu não li A menina que roubava livro, apesar de também ter muita curiosidade em conhecer, mas voltando ao que interessa, achei a premissa do livro interessante e irei dar uma pesquisada a respeito (leia-se, ler as resenhas anteriores).
    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Enquanto lia a resenha percebi que o livro é bem agradável. Unico livro que ja li do autor foi A Menina que Roubava Livros. Não vejo por que não dar uma chance ao livro mesmo tendo uma pegada diferente dos livros que gosto.

    ResponderExcluir