Divulgação - Livro Poetizações por J.R. Barros

  Como o objetivo desse blog é divulgar bons livros que irão proporcionar a vocês ótimas leituras, hoje trouxe para vocês um livro que me trouxe essa sensação, de uma leitura bem aproveitada.

  O livro "Poetizações" traz para as nossas almas poemas lindos e muito profundos sobre assuntos diversos capaz de agradar todos os coraçõezinhos. Eu não sou muito conectada ao mundo da poesia, mas esse livro despertou em mim um gosto por esse universo cheio de rimas.

 O J.R. Barros (João Victor da Rocha Barros) é mais um daqueles autores que a vida tratou de por no meu caminho, já nos conhecemos na faculdade e estudamos juntos. Como ele é novo nesse ramo, decidi trazer para vocês uma entrevista para que ele se apresente a fale um pouquinho sobre seu livro e seus futuros projetos.

Entrevista com o autor J.R. Barros 




 Cinthia:  Apresente-se para os leitores do Blog Eu Pratico Livroterapia.

J.R.Barros: Meu nome é João Victor Barros, tenho 21 anos, escrevo a cerca de 5 anos, mas profissionalmente a pouco tempo.

Cinthia: De onde surgiu a ideia de lançar um livro de poesias?

J.R, Barros: Eu já queria lançar um livro, porém o mais engraçado é que eu não era um leitor de poesias, eu sempre preferi narrações, romances... A primeira poesia que eu escrevi foi para a minha mãe, e com isso passei a ler mais livros desse gênero. No final do ensino médio, em 2014, eu participei do Concurso Nacional de Novos Autores pela editora Vivara e um dos meus poemas foi para um livro.
  Na Bienal do livro de 2015, eu conheci uma também autora de livros de poesias Lorena Brites, eu li o livro dela, trocamos contatos e ela passou a ler minha poesias na minha página no facebook, e a partir disso, ela começou a insistir para eu publicar essas poesias em um livro e um ano após o lançamento do livro dela, eu publiquei o meu.

  Sabe o mais engraçado? Eu conheci a Lorena na Bienal de São Paulo desse ano! Eu fiz até um resumo do livro dela "Acervo de palavras" aqui no post sobre a Bienal. (post sobre a Bienal do Livro)

Cinthia: Quem teve a ideia da capa? Como foi o processo de criação e edição do seu livro?

J.R.Barros: Foram os editores da autografia que decidiram como seria a capa. Eu não tinha ideia de como seria, eles apenas me mandaram um questionário de capas (o designer geralmente manda, para saber o gosto do autor). Quando eu recebi o livro eu fiquei encantado com a capa, pois era exatamente o que eu queria transmitir.


Eu fiquei completamente apaixonada por essa capa!


C: No seu livro eu encontrei muitas poesias sobre infância. Você sente falta dessa época? De quais momentos você sente falta?

JRB: Não é apenas questão de sentir falta, é querer trazer para a minha vida atual esse tom infantil, por mais que isso possa parecer estranho (um cara de 21 anos querendo ser infantil), faz parte da Trindade poética: O poeta, o louco e a criança. Na infância, toda essa inocência é o que mais me fascina, porque o que quebra a infância e a vida adulta é quando você atinge a maturidade, e quando você vê um adolescente/adulto reclamando da vida, é porque ele não é mais inocente.

C: Como funciona seu processo criativo?

JRB: O processo criativo que eu costumo usar é a vida! Tem uma frase que eu gosto muito e ela fala sobre o escritor, é a frase do filme "O Grande Hotel Budapeste", a primeira frase do filme;
"É um engano muitíssimo comum pensarem que a mente de um escritor trabalha sem parar, que vive inventando um suprimento infinito de casos e incidentes, que ele simplesmente tira suas histórias do nada. Na verdade, é ao contrário. Quando descobrem que é escritor, trazem personagens e eventos até você, e se mantiver sua habilidade de observar e ouvir com atenção as histórias vão continuar a procurá-lo sua vida inteira."
  A história vai até o escritor, o escritor deve ser um bom ouvinte. Não sou eu que uso a história, a história que me usa para ser escrita.

C: Suas poesias são sobre diversos assuntos. Qual assunto você mais fácil de escrever?

JRB: Depende muito da fase, por exemplo, todos os poemas românticos eu estava apaixonado por alguém, ou eu tinha acabado de terminar com a minha ex, ou vi uma garota bonita na rua e isso me inspirou, ou em uma fase da minha vida que eu comecei a olhar para lado esse político, para esse lado de "como nos vivemos as nossas vidas?", enfim eu gosto de escrever sobre tudo.

Vamos dar uma pausa para um "awn" coletivo?

C: Quais autores te inspiram?

JRB:  A pessoa que mais me inspira é o Paulo Leminski.

C: Quais são seus projetos para o futuro?

JRB: Tenho um projeto para lançar um romance, e um projeto para lançar um livro de fantasia. Por enquanto eu ainda estou divulgando o "Poetizações".




     E então, gostaram? Espero que tenham gostando de ler essa entrevista tanto quanto eu gostei de fazer-la. O J.R. Barros é uma pessoa super simpática que adorou esse ideia e me deu a maior força para que esse trabalho fosse feito. Se vocês quiserem entrar em contato com o autor vocês podem segui-lo nas redes (Facebook: J. R. Barros / Instagram: @jotaerrebarros) e adquirir seu livro "Poetizações" no site da Autografia (aqui!).

   Isso é tudo pessoal! Vamos valorizar os escritores brasileiros, autores que se dedicam tanto e que estão pertinho de vocês e dispostos a trocar várias ideias. Vamos valorizar  os autores nacionais!

                                                    Nós vemos em breve! Um beijo!


Nenhum comentário

Postar um comentário