O QUE VI... Chick Lit

Chick Lit, leitura de mulherzinha? 
Faz muito tempo que os gêneros literários não se resumem ao que aprendemos na escola.  Depois de resenhar sobre dois títulos seguidos e citar Chick Lit decidi falar um pouco sobre esse gênero para vocês. Antes de tudo, o que significa gênero literário? GÊNERO LITERÁRIO nada mais é do que UM CONJUNTO DE CARACTERÍSTICAS QUE OS ENREDOS POSSUEM E QUE DÃO DEFINIÇÃO DE TEMA PARA A HISTÓRIA.  Uff, quase que não consigo transcrever o que estava pensando. 



Não vou falar de todos os gêneros, somente do Chick Lit, um gênero muito comum que provavelmente você já leu e nem sabia o que era. Sobre os demais gêneros você pode dar uma olhada aqui

Na realidade o Chick Lit é considerado um subgênero do gênero romântico. Porém, a principal característica não é baseada no relacionamento da “mocinha” com seu par romântico.  O foco da trama é voltado para os desafios que a vida apresenta à personagem. O texto geralmente muito bem humorado e divertido, às vezes tem uma pitada de seguidas desventuras e faz você pensar “nossa, isso já aconteceu comigo” e adotar os personagens. Afinal, quem não gosta de identificar um pouco de seus dramas no que lê? E se você já está de saco cheio de mocinhas coadjuvantes e manipuláveis, em alguns Chick Lit você consegue achar o real oposto disso.  

Esse subgênero possui algumas autoras que viraram referência, a precursora foi Helen Fielding com o livro O Diário de Bridget Jones de 1996 que veio puxando o bonde com a tendência, fora de ordem cronológica cito também as autoras Sophie Kinsella (Alguns Títulos: Fiquei com seu número; Menina de Vinte <3), Marian Keyes que estourou com o livro Melancia e trouxe uma sequência sobre as irmãs Walsh no melhor que o Chick Lit pode apresentar (Alguns Títulos: Férias; Los Angeles),  Carina Rissi (Alguns títulos: Procura-se um marido; Perdida), Meg Cabot (Aluns Títulos: O garoto da casa ao lado; Princesa para sempre), Li Mendi (Alma gêmea por acaso, que você pode ler a resenha aqui; Coração de Pelúcia), Beatriz Moreira Lima (Único título: Tempos Férteis, resenha aqui), entre outras.

Ainda existe um pouco de polêmica por trás do nome desse subgênero literário. O Chick Lit foi um termo que surgiu para definir “Leitura de mulherzinha”, pois como disse anteriormente, esse gênero trás para nós os desafios da vida de uma personagem, sim, uma mulher.  Por isso e por diversas opiniões preconceituosas alguns dizem que foi por “machismo”, outros dizem que é só opinião, e eu ainda não consegui entender o motivo, mas sei que o termo não surgiu por boa intenção.

Tenha sido com boa intenção ou não, a realidade é que o termo pegou e passou a definir esse tipo de leitura. Deixando aqui minha dica, digo a vocês que gosto de Chick Lit e se dizem que é leitura de mulherzinha dentre outras bobagens (que muitas vezes chegam a ser pesadas), lamento, continuarei gostando. E aconselho que vocês que também gostam façam o mesmo. Por mais que o esperado por parte de quem lê seja respeito, alguns leitores desfazem do gênero que o outro curte, isso não é legal e você não precisa mudar seu gosto por algo que dizem mas não influencia na sua vida.

Chick Lit é uma definição boba para um subgênero literário interessante, divertido, "realista" e feito para qualquer tipo de leitor. Sendo assim, leia o que você gosta, divirta-se, viaje na leitura! Isso sim é o que importa! 
Chick Lit, leitura de quem quiser! ;)
Até a próxima! 
Bjs e boas leituras :*

13 comentários

  1. Oi, Jéssica!
    Eu amo filmes de comédia romântica, e os livros chick-lit me lembram muito isso. É um gênero que já li bastante, principalmente quando era adolescente, mas hoje em dia é mais raro. Ainda gosto e, sejamos sinceras, às vezes tudo o que a gente precisa é de uma leitura leve e sem grandes reviravoltas.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  2. Ola Jéssica!
    Gosto bastante da Marian Keyes, gosto desse tipo de leitura mais leve para intercalar com livros mais densos e "complicados". Gostei de saber um pouco mais sobre o genero :)
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - Participe do nosso SORTEIO do DIA DOS NAMORADOS <3

    ResponderExcluir
  3. Oi..
    Eu sou fã da Marian Keyes e daí virei fã dos chick-lit..
    quem disse que consigo ler outro gênero ? kkkkk,
    :)

    ResponderExcluir
  4. Olá,

    Gostei muito da definição desse gênero e mesmo com todo o preconceito em ser leitura de mulherzinha, também não pretendo parar de ler, pelo contrário só estou aumentando a minha coleção.

    Abraços
    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    De todos os que você citou só li Procura-se um marido e adorei, acho super divertido, são leituras leves, que sempre te tiram das ressacas literárias, com certeza irei continuar lendo. Adorei o post. =)

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá! Adorei seu post, sempre tive vontade de ler e entender sobre esse gênero, mas você mandou super bem e foi bem didático e esclarecedor.

    ResponderExcluir
  7. Que legal o que você escreveu, não sabia muita coisa sobre isso. E é verdade que fica bem coisa de mulherzinha mesmo mas tem muita gente que gosta e tanto homem quanto mulher. Mas é uma questão de como cada um encara o estilo de leitura. Eu adoro e acho divertido porque mesmo que tenha as situações diárias, são bem engraçadas.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Não importa o que digam, eu continuo gostando desses livros fofos e divertidos. Sempre estou buscando um título diferente, apenas para conhecer mais e mais. E não me importam de dizerem que é literatura de mulherzinha, eu vou continuar gostando kkk
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  9. Olá linda,

    Para mim tudo é romance e os subgêneros só servem para separação em prateleiras de livrarias e para facilitar no Marketing, porque todo romance tem suas trivialidades e "frescuras" em alguns pontos, porque normalmente o foco do romance é a mulher e porque muitas vezes os homens são excluídos do detalhamento emocional, devido uma má construção literária gerada pelo Machismo, mas existem autores que constroem enredos com pensamentos do casal, assim gerando uma leitura profunda e completa.
    Eu curto chick list, só não me identifico muito com as milhares de marcas de roupas, bolsas e lugares que citam nos livros que acabam me irritando bastante, mas adoro a diversão e leveza desses livros.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi!!
    Esse gênero não é o meu favorito, mas já li alguns livros que me fizeram amar as tramas, quase sempre um romance com um toque pra lá de divertido que faz a gente se envolver. Eu adoro filmes que trazem essa comédias românticas inteligentes e tem alguns livros que fazem exatamente isso, esse eu gosto e tem alguns que misturam dramas que fazem uma combinação perfeita.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  11. Olá adorei o post...esse não é meu gênero literário preferido, mas a maioria dos livros que li com a temática gostei bastante, ainda mais por serem bem divertidos

    ResponderExcluir
  12. Oie
    sou bem suspeita pois esse foi um dos primeiros gêneros que entrei em contato quando comecei a ler deve ser por isso que adoro até hoje, é sempre bom para dar uma descontraída, suspirar e relaxar um pouco, adorei o post

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oie!!
    Esse eu acho que é um dos meus gêneros preferidos junto com New Adult e Romance Policial. Adoro a oportunidade de rir e se divertir com as coisas rotineiras e com uma boa dose de romance.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir