Os Reinos Partidos - Trilogia Legados, Livro 02 - NK Jemisin

9 de junho de 2022

Título: 
Os Reinos Partidos
Autor: NK Jemisin 
Páginas: 378
Ano: 2022
Editora: Galera Record 
Gênero: Fantasia, Ficção, Romance
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:   
Sinopse: Tudo o que Oree Shoth sonhava era encontrar a liberdade. Em vez disso, terá de enfrentar a vontade e a fúria dos deuses. Os reinos partidos, sequência de Os cem mil reinos, é o segundo volume da Trilogia Legado, da aclamada N. K. Jemisin, best-seller do New York Times.

Na cidade de Sombra, logo abaixo da Árvore do Mundo, os becos brilham com magia dos deuses que vivem ― e se escondem ― entre os mortais. É lá que Oree Shoth, uma artista de rua cega, encontra um sem-teto, que brilha como o próprio sol em sua estranha visão, jogado ao lixo. Em um ato de bondade ela oferece um lar ao homem silencioso. E em troca, é envolvida em uma conspiração contra os seres mais poderosos do universo.

Alguém, de alguma forma, está matando deuses e deixando os corpos profanados por toda a cidade. Oree e seu hóspede peculiar se tornam os principais suspeitos. Mas um crime desses jamais ficaria impune, e atrai o interesse especial da soberana família Arameri e do deus mais perigoso de todos, Nahadoth, também conhecido como Senhor da Noite.

Enquanto tenta provar sua inocência, Oree se dá conta de que nos reinos partidos nada será como antes e que ninguém é o que parece.

“Autores novatos costumam escorregar na sequência de uma estreia notável, mas Jemisin provou-se mais do que à altura do desafio... Oree é muito diferente da protagonista do livro anterior, a herdeira ao trono Yeine, mas ela prova ser igualmente irresistível enquanto investiga um assassinato e o seu próprio legado. Os fãs da série irão adorar, mas o livro também pode – e vale a pena – ser lido como único.”
― Publishers Weekly

“Sim, os mesmos elementos que impulsionaram o primeiro livro são a base de Os reinos partidos: construção de mundo excepcional e desenvolvimento de caráter; uma infinidade de temas filosóficos e provocativos (a capacidade de mudar, ou não; a hipocrisia do fanatismo religioso; o que significa ser humano; etc.); e uma heroína envolvente e cativante. Mas é a relação intensa e às vezes brutal entre Oree e seu misterioso hóspede que torna esta uma leitura verdadeiramente íntima.”
― Paul Goat Allen, The Barnes & Noble Book Club.




Resenha:

"Você tem muita sorte. Amigos são coisas preciosas e poderosas; difíceis de conseguir, ainda mais difíceis de manter."

Olá praticantes de Livroterapia.

Aqui estou eu novamente, compartilhando meu amor pelos livros da escritora crush N.K. Jemisin... Então, se preparem para uma empolgação básica!

Os Reinos Partidos, é o segundo livro da trilogia de Fantasia de Jemisin, publicada no Brasil, pela Galera Record.

Acredito que alguns se lembrem da empolgação com a leitura do primeiro livro: Os Cem Mil Reinos, que já temos resenha dele aqui e caso queiram conhecer um pouco da minha experiência de leitura dele, basta clicar na imagem abaixo:


Vou começar falando de uma peculiaridade desses livros, ao terminar o primeiro, eu tive a sensação de que a história tinha se concluído perfeitamente, mesmo sabendo que era uma trilogia. E é com essa mesma sensação que encerrei o segundo livro. O que isso significa? Ele pode ser lido sem ler o primeiro? 

Pode, mas não recomendo, apesar de que o principal ser explicado durante o livro, como toda história com um universo e personagens compartilhados, é sempre uma experiência mais rica e intensa ler na ordem.

Mas ler eles traz essa sensação incrível de ler algo completo.

"É um momento que guardarei para sempre no meu coração: a volta de algo incrível. A reconstrução de algo que tinha se quebrado havia muito tempo. O renascimento da vida. Naquela noite, descobri que meu pai estava morto."

Para contextualizar a resenha a seguir falarei brevemente do primeiro livro, sem spoilers.

Yeine de Darr, é uma jovem herdeira da família Arameri, a família eu está no poder dos Cem Mil Reinos, protegidos pelo Deus Itempas, o Deus da Ordem, da Luz... e um Deus que eras atrás venceu a batalha contra os outros dois Deuses. Um destes foi morto, o outro e seus três filhos que ficaram ao lado dele na guerra dos deuses, foram aprisionados em formas humanas e condenados a servir a família Arameri, por toda a eternidade.

É nesse contexto que Yeine, chega ao Céu, capital dos Cem Mil Reinos, decidida  descobrir quem matou sua mãe e a sobreviver a luta por sua vida e legado com os outros dois herdeiros apontados junto a ela pelo Regente de Céu, seu avô.

Muita coisa acontece, é um livro incrível, e o final, Yeine descobre que toda a sua vida, foi desde o principio moldada para algo grandioso.

E tudo muda nos Cem Mil Reinos ao final do primeiro livro.


O que nos leva a Os Reinos Partidos, e nossa atual protagonista a jovem Oree Shoth.

Cerca de dez anos após o primeiro livro, estamos em Céu, que agora é conhecida como a cidade da Sombra, (não falarei os motivos hahah), e onde Oree, uma jovem artista cega se refugiou nos últimos anos.

Vivendo do que consegue com sua arte, e ainda tentando se recuperar de um coração despedaçado, ela acaba por se ver no meio de uma grandiosa e perigosa situação.

Alguns meses atrás, ela salvou um homem que aparentemente estava morto ao lado de uma caçamba de lixo. Levou para a sua casa, cuidou dele e descobriu que ele não era nenhum pouco, como direi... Mundano? Vamos seguir com essa descrição. E apesar dele nunca ter dito uma palavra para ela, ela o considera seu amigo.

"Durante o tempo em que fiquei ali, hipnotizada por aqueles olhos, vi outra coisa: dor. Tanta tristeza, luto, raiva, culpa, e outras emoções que não poderia nomear porque até ali minha vida fora relativamente feliz. Há coisas que alguém só pode entender depois de tê-las vivenciado, e há vivências que ninguém quer compartilhar."

Então quando por causa de um assassinato que deveria ser impossível aconteceu e membros da ordem de Itempas, são grosseiros e atacam em busca de informações que ela não tem, este homem, se coloca em sua defesa...

E sinceramente, tudo vai de mal a pior por um tempo.

Oree, então provando que é uma pessoa incrível, se vê no meio de uma disputa milenar entre deuses, deidades e mortais. Com muitas mágoas, rancores, amores e ódios impulsionando vários lados dessa história, ela precisa não somente, lutar por sua vida, mas pela vida das pessoas que ela ama, mesmo elas não a merecendo.

Temos neste segundo livro uma trama ainda mais complexa, que é o resultado das mudanças que ocorreram no final do primeiro livro, mas expandindo ainda mais a mitologia do universo que Jemisin criou. Inclusive conhecemos outro lado da história que pensamos conhecer bem no primeiro livro, temos personagens muito bem inscritos, complexos... capazes de despertar nosso amor, ódio, nos fazerem chorar por eles, prantear suas mortes como se fossem nossos amantes e amigos.

Mais uma vez, Jemisin, utiliza seu estilo de escrita, que já estou começando a me acostumar mesmo, ela sempre me surpreendendo de alguma maneira. De termos um personagem nos contando a sua história, então, o estilo de narrativa oscila entre primeira pessoa e terceira, indo e vindo no tempo. 

Eu mal posso esperar para ler o terceiro livro... Sinceramente, apesar da história de Oree ser completa, existem as mil ramificações possíveis a partir do final. E acredito que o terceiro livro vem para unir todos os protagonistas até o momento em uma conclusão épica da guerra milenar que está ocorrendo em segundo plano. Muito sangue foi derramado, muitas pessoas poderosas estarão lutando para manter o status de segurança de seus reinos e famílias. 

"Conheço esse vazio — disse ele.
[…] Matar o que se ama… conheço essa dor. Você foi inteligente. Corajosa. Merecedora, para uma mortal..."

Como sempre, Jemisin, utiliza suas histórias para serem excelentes criticas das mazelas da sociedade, neste livro, não senti tão forte como nos outros, mas ela tece habilmente sua história tocando em temas como racismo, o abuso de poderes dos mais favorecidos, escravidão e as sequelas dele durante séculos para um povo.

Livro Cinco Estrelas com certeza!
Mal posso esperar e só me resta orar aos deuses de Jemisin, para que ela nos entregue o último livro logo!!!

Indicação para quem gosta de uma fantasia bem escrita, com personagens cativantes, onde os lados certos e errados, estão oscilando o tempo todo. Afinal, todos são capazes de serem os heróis ou os vilões, dependendo de quem está contando a história.

12 comentários

  1. Sim, Viv, eu lembro fã sua empolgação com o primeiro livro. Quase tanta quanta a empolgação atual com Reinos Partidos.
    Ambas as premissas são atraentes.
    E já na ansiedade pelo livro 3 e no que a autora reserva

    ResponderExcluir
  2. Vivian, eu não ando dando conta. Sério mesmo. Vá ler romance de época, que daí não me interesso tanto. Mas powwww, fantasia??
    Eu consegui comprar nem o primeiro livro ainda(vou ver isso hoje) e agora lá vem você com uma resenha assim, toda empolgada do segundo??
    Eu ando amando fantasia demais, demais da conta. É como sair da realidade mais ainda e de uma forma ágil e gostosa, ainda mais assim, meio juvenil e não juvenil ao mesmo tempo!
    Claro que já quero ambos!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Não sei porquê mas essa série ainda não me cativou o suficiente. O primeiro parece ser melhor que o segundo, mas normalmente é assim mesmo né. Quem sabe com o terceiro minha impressão melhore.

    Danielle Medeiros de Souza
    danibsb030501@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Vivian!
    Interessante ver um livro de fantasia que faz crítica sobre a sociedade, meio que uma distopia.
    Bom ver que pode ser lido de forma independente, embora não seja aconselhável.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Ola
    A minha grande dificuldade em ler fantasia é adentrar nesse mundo que a autoras escrevem Sempre fico perdida com tantos personagens.
    Acho que teria que ler com um caderninho nas mãos para não me perder.
    Mas que bom que esse segundo livro também te empolgou como o primeiro achei interessante o fato da autora escrever os livros como se fossem independentes mesmo sendo uma trilogia.

    ResponderExcluir
  6. Vivan, que doideira o que essa autora te proporciona, fiquei curiosa pra saber se sentiria o mesmo que você. Nunca tive essa experiência de ler um livro de série e achar que ele terminou perfeitamente, pra mim sempre faltava algo a mais, sabe? Outra coisa, oscilação mista entre primeira e terceira pessoa? Nunca tinha visto isso antes. Caramba, estou impressionada! Como ela consegue?! Cheirinhos de livro novo.

    ResponderExcluir
  7. Oiiie,
    Eu já queria muito ler esse livro, só não sabia que era uma trilogia.. A sua trama me deixou bastante curiosa e pelo que vejo no segundo acontece muitos anos depois, fiquei bem curiosa com isso.. Espero muito conseguir tê-lo em breve!

    ResponderExcluir
  8. Oiii
    Eu amo livros de fantasia, e estou doida pra ler essa trilogia, eu já tinha amado a história do primeiro livro, agora já fiquei doida pelo segundo também. Eu achei que os livros eram todos continuação, não sabia que dava pra ler individual, mas quero ler desde o primeiro mesmo. Esses livros parecem ser muito bem escritos, e não tem como eu não amar também.

    ResponderExcluir
  9. Eu evitei algumas partes da resenha para não saber muito porque eu to DOIDA pra ler essa série! N K Jemisin é maravilhosa!

    ResponderExcluir
  10. Tenho gostado da resenha dessa fantasia, é um livro que leria com facilidade, pois ate a quantidade de paginas é bem propícia para a história. So achei a capa do segundo livro um pouco sinistra.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Vivian!
    Confesso que fiquei mas interessada na história de Oree em Os Reinos Partidos do que na história de Yeine em Os Cem Mil Reinos, por isso ao ler que eram histórias independentes ia ler apenas o segundo livro, mas lendo seus comentários vou seguir seu recomendação e começar a leitura pelo primeiro livro... Mas vou esperar o lançamento do terceiro livro da trilogia para ler um seguido do outro :)
    Bjos, valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  12. Olá! Ahhh muito bacana conhecer mais um aspecto muito positivo sobre essa trilogia, que apesar de fazer parte de uma série, tem histórias com começo, meio e fim, e que vai expandindo esse universo para lá de interessante para nós leitores a cada novo livro, ainda mais com essa carga de criticas a essa nossa sociedade tão desigual.

    ResponderExcluir