A Irmã Desaparecida - As Sete Irmãs, 7 - Lucinda Riley

27 de outubro de 2021

Título: A Irmã Desaparecida - As Sete Irmãs, 7
Autor: Lucinda Riley
Páginas: 650
Ano: 2021
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota: 

Sinopse: Uma mulher enigmática pode ser a chave para o grande mistério que Pa Salt deixou. Cada uma das seis irmãs D’Aplièse seguiu uma jornada incrível para descobrir sua ascendência, mas elas ainda têm uma pergunta sem resposta: quem é e onde está a sétima irmã? Elas t
êm só duas pistas: o endereço de um vinhedo e o desenho de um anel incomum, com esmeraldas dispostas em forma de estrela. A busca pela irmã desaparecida vai levá-las numa viagem pelo mundo – Nova Zelândia, Canadá, Inglaterra, França e Irlanda –, unindo-as em sua missão de finalmente completar a família. 
Nessa saga, as seis vão desenterrar uma história de amor, força e sacrifício que começou quase cem anos atrás, quando outra corajosa jovem arriscou tudo para mudar o mundo ao seu redor.



Resenha:

Para ler as resenhas anteriores, clica nas imagens abaixo:



Chegamos ao capítulo final da história das Irmãs D’Aplièse. O momento de saber sobre a tão procurada Irmã Desaparecida. Quem é? Onde vive? Por que nunca foi encontrada? Perguntas que desde o primeiro livro pairavam sobre a narrativa. O mistério só não era maior do que o de Pa Salt, mas esse terá que ficar para depois. A verdade é que o sétimo livro da série ainda deixou muitas pontas soltas que precisam ser amarradas na oitava e última história.

Mas, vamos à Irmã. Pelo padrão sabiamente estabelecido pela autora, a história começa com Mary contando o que estava fazendo quando descobriu que seu pai morreu. Porém, ao contrário das outras, este pai não era Pa Salt. Mary é uma garota de 22 anos, da Nova Zelândia, que foi adotada ainda recém nascida por um casal dono de uma grande vinícola: Jock e Mary (vamos chamá-la de Mary-mãe para fins didáticos). Ela não cresceu em Atlantis, não conhece nenhuma das irmãs e muito menos recebeu coordenadas para descobrir a origem de sua família biológica. Ela é apenas uma jovem comum, com o sonho de ser cantora e ainda um pouco perdida sobre como dar seus primeiros passos na vida adulta.

Em paralelo, a narrativa mostra Maia e Ally, em Atlantis, descobrindo que sua Irmã Desaparecida tinha sido localizada e, pasmem, ela chamava Mary e morava na Nova Zelândia. Elas decidem então ir atrás dessa irmã, para satisfazerem o último desejo de seu pai, antes de embarcarem no cruzeiro que marcaria 1 ano de sua morte. Em posse do nome, das coordenadas e da foto de um anel que supostamente ligaria Mary à Irmã Desaparecida, Maia e Ally recorrem às suas irmãs para começarem a busca.

O que elas não contavam é que Mary-mãe era uma peça central no grande mistério e ela não queria ver as irmãs nem pintadas de ouro, o que a faz fugir pelo mundo. Mary-mãe estava em sua própria jornada de autodescobrimento, após o falecimento de seu marido e é a história dela que acompanhamos. Ela é irlandesa e fugiu da Irlanda quando ainda jovem por causa de acontecimentos que são escondidos na narrativa até o final.

Neste livro, a história se divide em três tempos: O presente (Corrida das irmãs atrás de Mary-mãe); o passado 1 (infância de Mary-mãe) e o passado 2 (história de Nuala). Por causa disso, em alguns momentos, as narrativas ficaram um pouco soltas e alguns elementos não fizeram sentido. Fiquei um pouco desestimulada ao longo da leitura, porém, ao final, todas as linhas do tempo se encaixaram.

Me incomodou um pouco o mistério todo que a autora criou em cima da razão pela qual Mary-mãe estava fugindo. Além de ter demorado demais para ser revelado, quando o foi, foi totalmente às pressas e nem era lá grande coisa. Era uma justificativa fraca e que não condizia muito com a linha dos personagens. Quando o mistério se prolonga tempo demais e se dá muitos detalhes dele, é como se a história tivesse subestimando o leitor e, pelo menos para mim, não é uma sensação muito agradável. Já estava bem óbvio e ela continuou escondendo a situação, aí acabou perdendo a graça.

Eu gostei muito da participação que todas as irmãs tiveram ao longo do livro. Todas elas apareceram e foi possível ter um vislumbre de como as vidas delas andavam depois do “””””final feliz””””””” de cada uma. Fiquei ansiando por vê-las mais, por ler diálogos de todas elas juntas e sentir como a relação delas tinha amadurecido, agora que cada uma delas tinha saído do ninho para trilhar seu próprio caminho. Seria esse o pano de fundo da narrativa do último livro.

Preciso dizer que o final foi ainda mais chocante do que do livro A Irmã do Sol (esse eu realmente não estava esperando) e me deixou sedenta pela continuação. Infelizmente, Lucinda Riley faleceu no primeiro semestre de 2021. Não se tem perspectiva do lançamento do último livro, portanto caberá à nossa imaginação desvendar todo o mistério em volta de Pa Salt. Acho que nunca saberei se ele está mesmo vivo (como eu suspeitava), muito menos quem ele era e o que fazia da vida. Mistérios insolucionáveis. Apesar disso, Lucinda Riley conseguiu, em 7 livros, escrever tramas independentes e ao mesmo tempo tão entrelaçadas, nos envolvendo com cada uma de suas “irmãs”. Ao longo da minha trajetória com elas, ansiei e me inspirei para ir atrás do meu próprio destino e da minha própria origem. Espero que vocês também tenham vivenciado isso :)

8 comentários

  1. Irei conhecer a escrita da Lucinda com outro livro. Caso curta, irei me aventurar por outros livros...e talvez....quem saiba....Até essa série
    Achei diferente, o livro se chamar A Irmã Desaparecida e a história focar em outra personagem....enfim....talvez as vidas das Marys estejam interligadas as outras meninas e a Pa

    ResponderExcluir
  2. Como eu só li o primeiro livro(sim, eu sou dessas que vai deixando livros perdidos) Pa Salt me encantou e claro que haveria um mistério muito bem elaborado ali, em torno dele e destas meninas.
    Por isso, foi gostoso demais ler que agora, a irmã perdida foi encontrada e tudo esclarecido do que houve com ela.
    Sim, espero de coração poder ler todos os livros anteriores e desvendar cada mulher e sua personalidade.
    A perda de Lucinda nesse ano foi uma das mais dolorosas. Mas ela deixou um legado intenso e oh, ninguém nunca conseguirá seguir essa linha de passado e presente, como ela conseguia fazer em seus livros sem nos confundir!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Então eu vou comprando os livros dessa serie em contas gotas
    Afinal são vários e não são baratos .
    Também tenho outros livros da autora .
    Gostei muito da sua resenha é percebi que Lucinda Riley mais uma vez cativa os leitores com sua escrita .
    A morte dela foi uma imensa perda para todos nós fãs .
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Maira!
    É uma série bem elaborada e já li quatro dos livros, falta ler os últimos que espero fazer o mais rápido possível, porque estou bem curiosa para saber todo o segredo e o que Pa Salt tem haver com tudo em relação a Mary-mãe.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Tenho vontade de ler essa série, quem sabe após diminuir um pouco a lista imensa de não lidos que tenho.
    Todos falam muito bem da série. Imagino que o próximo livro será emocionante de ler, tanto por ser o último, como por ser escrito o esqueleto da história pela Lucinda antes de falecer, e continuada por seu filho.

    Danielle Medeiros de Souza
    danibsb030501@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Fiquei tão triste quando li sobre o falecimento dela, imagino que os fãs tenham ficado devastados. Sempre acompanho as resenhas dessa série aqui, e me vi vendo várias características que me chamavam ou não a tenção. Por mais confuso que pareça, gosto de livros que misturam presente e passado, mesmo que pareça ter muitas pontas soltas, se o livro for bem escrito, logo nos é explicado.

    ResponderExcluir
  7. Olá! Sem dúvida é uma perda imensa no mundo literário. Ainda não tive a chance de conferir essa série, mas sem dúvida é uma leitura que eu quero muito fazer, até porque só leio coisas positivas em relação a escrita da Lucinda, apesar das ressalvas acho que será uma leitura bem proveitosa e inspiradora.

    ResponderExcluir
  8. Oii,
    Aii essa é uma das minhas séries prefes da vida!
    Eu amei esse, apesar de ter ficado triste por não ter sido o final.
    Agora nos resta esperar até 2023 para ler o 8 que o filho dela está escrevendo.
    Espero que todo o mistério do Pa seja bem explicado.
    Bjs

    ResponderExcluir