HEX - Thomas Olde Heuvelt

10 de janeiro de 2021

Título: HEX
Autor: Thomas Olde Heuvelt
Páginas: 368
Ano: 2018
Editora: DarkSide Books
Gênero: Terror
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:     
Sinopse: Toda cidade pequena tem segredos. Mas nenhuma delas é como Black Spring, o pacato vilarejo que esconde uma bruxa de verdade do resto do mundo. Os moradores sabem que não se deve mexer com ela. Assim como aconteceu com as bruxas de Salem, Katherine Van Wyler foi condenada à fogueira. Mas a feiticeira sobreviveu e continua rondando a cidade, mais de trezentos anos depois. Com costuras em seus olhos e correntes nos braços, Katherine aparece nos lugares mais improváveis quando bem entende, sussurrando a morte para quem chega perto o suficiente para ouvir. Assim como a Morte Vermelha, de Edgar Allan Poe, ela enfeitiçou a alma da cidade de forma que escapar não é uma opção: quem se afasta demais tem a mente invadida por pensamentos suicidas, e muitos não retornam para contar a história. Os habitantes de Black Spring controlam os passos da bruxa 24 horas por dia através do hexapp, um aplicativo de celular desenvolvido especialmente para garantir que a bruxa não seja revelada para os Forasteiros. A vigilância constante aumenta o clima de paranoia na cidade, enquanto um grupo de adolescentes desafia as regras e resolve provocar a bruxa para ver se ela é tão perigosa quanto dizem.


Resenha:

“Às vezes, você faz sacrifícios por causa de Black Spring.”

 

Black Spring tem tudo o que uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos tem: casas pequenas onde vivem famílias felizes (outras nem tanto), um prefeito com pensamentos idealistas, uma praça central onde fica a igreja e onde acontecem os eventos locais, um pequeno comércio, florestas que cercam cada canto da cidade, e uma bruxa amaldiçoada do século XVII.


“O nome dela é Katherine van Wyler, mas a maioria de nós a chama de Bruxa de Black Rock.”

Katherine van Wyler é uma bruxa sentenciada à morte por fogueira há 300 anos. Boca e olhos costurados, roupas esfarrapadas, unhas amareladas e tortas e uma pele que lembra de alguém que afogou e veio à borda depois de algumas horas, alguns dizem que cheira à morte, mas são poucos os que possuem coragem para se aproximar, Katherine possui um poder contido e estranho, sussurra maldições incompreensíveis e tem os habitantes de Black Spring na palma da mão, apesar de estarem acostumados com sua presença.

Com aparições banais controladas por um aplicativo, a bruxa anda pela cidade sem realmente ser uma ameaça, tornando-se mais um empecilho do que um objeto de pavor. É aí que entra HEX, uma pequena patrulha coordenada por Robert Grim que tem como objetivo esconder Katherine das pessoas que não sabem da sua existência, e isso se dá por diversas formas: colocando uma placa de propaganda em frente a bruxa, simulando uma obra importante na cidade, incorporando-a à decoração do Dia das Bruxas ou até mesmo a deixando dentro das casas dos residentes da cidade, onde ela pode ficar por dias.

Mas por que todo esse trabalho, se ela não apresenta uma ameaça? Por que escondê-la do mundo exterior quando a bruxa só faz ficar parada sussurrando? Será que realmente Katherine é um ser sobrenatural dócil como os habitantes de Black Spring acreditam?

A situação apenas piora quando um grupo de adolescente (sempre eles) resolvem testar certas crenças que cercam a bruxa, e o trabalho de Robert Grim (para mim o personagem que é dono das melhores tiradas de humor ácido), dobra.

“Eva Modjeski era uma idiota com cérebro de tapioca que até tinha uns peitinhos bonitos, mas uma testa larga demais, por cuja criação Grim teria cedido de bom grado uma costela — embora depois do comentário sobre os maias ele tivesse sentido vontade de tomá-la de volta e recolocá-la no próprio corpo com ou sem Eva.”
“Grim, que estava mentalizando o pâncreas de Mathers e o enfeitando com um tumor enorme, garantiu a ele que faria tudo o que estivesse em seu poder.”
“Era a testa dela — ela a distraía, Grim não conseguia suportar. Claire tinha prendido os cabelos atrás com tanta força que parecia o rosto dela ia se soltar do crânio a qualquer momento e teriam de ser presos com ponto cirúrgicos.”

Mas mexer com a suposta apatia de uma bruxa sem sofrer as consequências é quase que impossível para qualquer pessoa, e os habitantes de Black Spring conseguem sentir a mudança na atmosfera da cidade quando Tyler seus amigos literalmente a cutucam com a vara curta.

“Forças maiores estavam em jogo ali. Esse é um nível novo para se estar fodido.”

Apesar de toda a descrição, percebemos certa tensão em todos os personagens dos livros, e nos perguntamos sempre qual é realmente a ameaça que Katherine van Wyler representa. 

Em um projeto gráfico primoroso, característica marcante da Editora Darkside, o livro possui capa em tons fortes e com arte vetorial, diagramação do miolo simples, mas com uma ilustração de agradar qualquer olho — costurado ou não — no começo e no fim, laminação fosca e pintura trilateral preta para combinar com sua coleção de livros macabros.



Hex é um livro de terror, que insere na narrativa a bruxa clássica que muitos tanto amam: uma mulher que foi queimada por ações pagãs e que agora busca uma vingança que nem sempre fica clara. Black Spring é o palco e Katherine van Wyler é a protagonista principal, mas também escreve o roteiro de todos os moradores da pacata cidade. Cada um ali possui uma opinião diferente, opera de modo diferente e interage de maneira diferente com a bruxa. Nos resta saber quais características das pessoas Katherine aflora: as boas ou as más?

Com personagens que carregam personalidades opostas, Olde Heuvelt nos mostra que nem sempre precisamos de uma maldição do outro século para que as pessoas mostrem o pior lado do ser humano.

“A Bruxa de Black Rock está sempre aqui. E ela não é nenhuma espécie benigna de espectro nem eco do passado como aqueles filmes pornôs adolescentes de terror. Ela nos confronta com sua presença como um pitbull colado na cerca. Amordaçada, sem se mexer um centímetro. Mas se você enfiar o dedo pelas barras, ela não fica checando se você está gordinho o suficiente. Ela arranca logo.”

10 comentários

  1. Lá vai eu colocar mais um Dark na lista dos mais desejados(minha pobreza não me permite esses luxos não rsrsrs)
    Claro que já tinha lido sobre esse livro,visto a capa. Mas puxa, cinco estrelas e um coração? Aí dou conta não!
    Quem não ama esse mistério que as bruxas trazem? Eu sou fascinada por elas, pela história que as envolve.
    Com toda certeza do mundo, já preciso muito!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Quero muito ler esse livro e estou com medo da darkside nao fazer impressao dele mais rsrs, espero conseguir comprar, mas é muito caro. Adoro livros que falam de bruxa, esse mostra um outro lado do que geralmente sempre se lê nas fantasias. Quero muito!

    ResponderExcluir
  3. Mare!
    A gente sabe muito bem que Darkside não brinca em serviço e sempre entrega obras deslumbrantes para o leitor. Mas essa em especial se sobressai, pois toda a composição física do livro se conecta harmoniosamente com a história, sendo que o resultado é uma experiência única.
    Apesar de termos aqui uma história bastante convencional sobre bruxas (que sempre são pauta em vários livros do gênero), o autor consegue nos prender com a boa caracterização dos personagens, e aposto que, quando eu tiver a oportunidade de ler, Robert Grim será meu personagem favorito.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. ola Mariana .
    Acredita que não tenho nenhum livro dessa editora?
    esse é um genero que não leio ,mas pela sua nota a leitura foi excelente ,que bom .
    e concordo muito com a sua ultima frase sobre o lado obscuro do ser humano .hoje mesmo estava vendo umas noticias que ultrapassam em muito os filmes de terror que tem por ai ,infelizmente o ser humano é capaz de praticar tanta atrocidades .

    ResponderExcluir
  5. Cada nova geração de moradores de Black Spring herda medo, ódio e revolta por essa bruxa.
    Não é o tipo de livro que leio mas não deixa de ser interessante

    ResponderExcluir
  6. Acredita que eu nunca li nada da Darkside? Ganhei um livro mês passado, mas ainda não fiz a leitura, mas sempre que vejo me parece um livro envolvente, independente de qual seja HAHAHA
    Gosto muito de histórias de bruxas, mas geralmente elas são de épocas passadas, nada tão assim atual. Quando vi um aplicativo + bruxa, fiquei "uau, preciso ler essa resenha". E adorei! Me deixou bem curiosa.

    ResponderExcluir
  7. Mariana!
    Pelo que entendi, a bruxa não traz perigos, entretanto a reação das pessoas é que é o verdadeiro perigo naquela comunidade.
    O livro parece um primor em termo de ilustração.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Top desejado esse livro! Até comecei a ler em inglês porém, estava em um
    Momento péssimo e não flui a leitura
    Mas eu estava gostando até o ponto em que li

    Gostei bastante da premissa e a resenha me deixou mais curiosa

    😘😘😘

    ResponderExcluir
  9. Confesso que achei a história top, mas da para bater num medinho. Gosto de histórias com bruxas, mas nem sempre tenho coragem. Mas para quem é corajoso é uma boa pedida, eu ainda não sei se conseguiria ler.

    ResponderExcluir
  10. Olá! Mas gente, aquele tipo de livro que daria um ótimo filme, mas que não me atrai tanto assim, até porque só de ler a resenha já fiquei aterrorizada com essa bruxa (e olha que eu gosto de bruxas), mas não vou negar que na mesma medida fiquei curiosa com o desfecho da história, sem falar nessa edição maravilhosa neh! Acho que vou pedir para minha irmã ler e me contar (risos).

    ResponderExcluir