A Rosa da Meia-Noite, Lucinda Riley

13 de janeiro de 2021

Título: 
A Rosa da Meia-noite 
Autor: Lucinda Riley
Páginas: 544
Ano: 2021
Editora: Arqueiro 
Gênero: Romance, Ficção, Drama, Literatura Estrangeira
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
Sinopse: Vinda de uma família nobre mas empobrecida, Anahita nutre uma forte amizade com a obstinada princesa Indira, filha do marajá. Escolhida para ser sua acompanhante oficial, ela vai para a Inglaterra com a amiga logo antes do início da Primeira Guerra. Lá, conhece Donald Astbury – o relutante herdeiro de uma magnífica propriedade – e sua mãe manipuladora.
Noventa anos depois, Rebecca Bradley é uma estrela de cinema americana reverenciada por todos. Quando seu turbulento relacionamento com o namorado famoso toma um rumo inesperado, ela fica aliviada por poder se refugiar da mídia em Dartmoor, uma remota região britânica, para gravar seu novo filme.
Logo após o início do trabalho no decadente casarão de Astbury Hall, chega à locação Ari Malik, bisneto de Anahita, buscando investigar o passado de sua família. É então que ele e Rebecca começam a desvendar os segredos sombrios que há tempos assombram a dinastia de Astbury.

 



Resenha:

“Dei o melhor de mim para ajudar ao longo dos anos, mas sei que meus esforços são apenas uma gota no oceano contra uma furiosa maré de pobreza e privação.”

A Rosa da Meia-Noite, é um romance da autora Lucinda Riley, lançamento de 2021 e publicada no Brasil pela editora Arqueiro. Com uma capa muito bonita, que me fisgou.

É o meu primeiro contato com a escrita da autora e fui surpreendida, com a qualidade da escrita dela. Foi uma leitura super fluida, inclusive li ele em um dia, porque a trama realmente me prendeu a atenção.

Iremos acompanhar a saga de um grande amor e as repercussões desse relacionamento ao longo de gerações, envolvendo o destino da linhagem resultante dessa união e de outros que se conectam a ela ao longo dos anos.

Temos vários pontos de vista, começando com Anahita em 2000, em seu aniversário de cem anos, e passando por sua historia que se inicia em 1911, culminando com a jornada de seu herdeiro em 2011 para desvendar o grande mistério que ela guardou por toda a sua vida.

Com uma historia rica de emoções, Anahita, nos leva para conhecer sua vida na Índia, nas cidades cheias de cor, cultura de Jaipur e Darjeeling, uma Londres que pode ser cinzenta ou trazer um romance inesquecível e nos levando a Astbury Hall, uma magnífica mansão inglesa que será palco de grandes acontecimentos para todos os personagens em muitos momentos da história.



A trama como eu disse possui muitos narradores, Anahita, Donald, Ari, Rebecca. E indo e vindo entre passado e presente, o que eu gosto bastante, porque nos permite ir conhecendo os fatos aos poucos do passado e notar o que isso causou no passado. A trama em si é um romance muito bem escrito, os personagens possuem um modo de cativar e prender a nossa atenção.

Anahita é uma personagem que vou manter na memória por um bom tempo, que pureza de coração e alma generosa. Torci por ela em todo o livro, mesmo já sabendo desde o inicio que sua jornada não seria totalmente feliz.

“... pois soube, a cada hora que passou desde a última vez que vi meu filho, que ele ainda respira em algum lugar desse planeta. Se tivesse morrido, eu teria sabido no ato, como aconteceu a cada vez que uma pessoa que amei na vida partiu.”

Desde criança ela possui um dom, para a cura e para saber coisas que os demais não conseguem enxergar, ao unir a sua vida a de uma princesa, ela consegue realizar alguns sonhos, como ter a educação que seus pais sempre sonharam para si, mas também vai de encontro a um destino que lhe trará amor, paixão, amizade, alegria, dor, tristeza, solidão... Uma jornada como podem ver intensa. Não falarei muitos detalhes para que possam como eu se surpreender com esse livro.

Os outros dois narradores principais, já no presente, são Ari, bisneto de Anahita, que vai ate Astbury Hall, respondendo a um ultimo pedido de sua bisavó e Rebecca uma famosa atriz, que encontra na mansão no interior da Inglaterra não somente a oportunidade de provar seu talento como atriz, mas encontrar respostas para perguntas que nem sabia que estava se fazendo.



Além de romance, no livro encontraremos, uma certa dose de suspense, principalmente na reta final, e isso até nos entrega alguns acontecimentos que me pegaram de surpresa e que adorei, que reviravolta interessante!

Gostei especialmente do final do livro, onde um ciclo importante é fechado e temos um presente da autora deixado para quem se apaixonou por Anahita e torceu por sua felicidade, apesar dos pesares que enfrentou.

Recomendo para quem gosta de romances, não somente românticos, mas com doses de dramas familiares e suspense leve.

Até a próxima.

8 comentários

  1. Sou apaixonada pelas letras da Lucinda. Não sei quantos livros dela eu tenho na estante, mas eu gosto muito mesmo!!!
    Essa maneira única dela viajar entre passado e presente é algo que me encanta, pois eu me julgo tão lerda e nas histórias dela, eu nunca me perdi rs
    Esse super lançamento está sendo muito desejado por mim, até por trazer isso da Índia que por si só, já seria motivo para querer muito ler!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. A escrita da Lucinda é incrível. Gosto desse tipo de narrativa com dramas familiares, achi que ela e a Kristin Hannah fazem isso muito bem. Essa nova capa da Arqueiro está lindíssima.
    Não vejo a hora de poder ler esse também!

    Beijos!

    Camila.

    ResponderExcluir
  3. Esse ano finalmente vou ler Lucinda!!! Yayyy. A Sala das Borboleta.
    Se curtir vou embarcar de vez no mundo Riley.
    Curto muito histórias que acompanham várias fases da vida dos personagens e também geração de famílias

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nada dessa autora, mas acho que tenho uns livros dela na minha lista "para ler". As capas geralmente são lindas. Esse livro acho que ainda noa tinha visto, mas a resenha me deixou interessada. 100 anos!!!! Imagine!

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nada da Lucinda, mas sempre que vejo um lançamento na Arqueiro, fico bem curiosa porque é o tipo de leitura que eu gosto. Que maravilha saber que a escrita dela é muito boa, já me deu mais vontade ainda de conhecer.
    Acho que essa adição de um draminha além do romance deixa o livro ainda melhor! Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  6. OLA
    Gosto muito dessa autora e sáo não compro mais livros dela por causa do preço ,acho eles caros para o meu bolso .
    eu fiquei pasma que voce leu 544 em um dia ,realmente a leitura deve ser bem fluida .
    eu gosto muito desse tipo de trama e espero que eu possa comprar o livro algum dia .



    ResponderExcluir
  7. Olá Vivian!
    Fico de queixo com a riqueza dessa obra! Lucinda Riley costuma entregar histórias densas e que possuem personagens muito bem construídos, e na maioria das vezes sempre temos alguma abordagem histórica, o que me agrada imensamente.
    Anahita aparenta ser uma protagonista muito fofa, daquelas que a gente quer entrar na história e abraçar. Por conta disso, e do plot bem desenvolvido, acredito que a leitura deve render bastante, até porque você devorou o livro em um único dia (e ele é bem grande rsrsrsrsrs).
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Vivian!
    Para mim a Lucinda é uma das melhores escritoras da modernidade e ainda nos proporciona duas histórias em um mesmo livro que acabam se unindo entre o passado e o presente.
    Já tive oportunidade de ler esse livro e é fantástico, apreciei a leitura do início ao final e confesso que fiquei bem emocionada, ainda mais que o desfecho foi totalmente inesperado.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir