O Impulso - Ashley Audrain

14 de janeiro de 2021

Título: 
O Impulso
Autor: Ashley Audrain 
Páginas: 328
Ano: 2021
Editora: Paralela
Gênero: Ficção, Romance, Suspense, Mistério
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
Sinopse: Blythe Connor está decidida a ser a mãe perfeita, calorosa e acolhedora que nunca teve. Porém, no começo exaustivo da maternidade, ela descobre que sua filha Violet não se comporta como a maioria das crianças. Ou ela estaria imaginando? Seu marido Fox está certo de que é tudo fruto do cansaço e que essa é apenas uma fase difícil.
Conforme seus medos são ignorados, Blythe começa a duvidar da própria sanidade. Mas quando nasce Sam, o segundo filho do casal, a experiência de Blythe é completamente diferente, e até Violet parece se dar bem com o irmãozinho. Bem no momento em que a vida parecia estar finalmente se ajustando, um grave acidente faz tudo sair dos trilhos, e Blythe é obrigada a confrontar a verdade.
Neste eletrizante romance de estreia, Ashley Audrain escreve com maestria sobre o que os laços de família escondem e os dilemas invisíveis da maternidade, nos convidando a refletir: até onde precisamos ir para questionar aquilo em que acreditamos?

Este livro foi cedido pela Editora Paralela, porém as opiniões são completamente sinceras. Não sofremos nenhum tipo de intervenção por parte da Editora. 



Resenha:




“Ela se esforçou muito para ser a mulher que esperavam que fosse. Uma boa esposa. Uma boa mãe. Parecia que tudo ia ficar bem.”

O Impulso é um drama psicológico lançamento da editora Paralela para 2021, e é o primeiro livro da autora Ashley Audrain, com uma excelente recepção em seu lançamento no exterior, o livro já teve os direitos comprados para outras mídias como: TV e cinema.

O livro está para sair esse mês de janeiro e a Paralela nos convidou para ler a prova antecipada do livro e discutir os temas abordados nele. Eu li assim que chegou e trago aqui um pouco da minha experiência de leitura.

O romance nos leva a conhecer Blythe Connor uma jovem escritora, cujo principal relacionamento em sua vida é o casamento feliz com Fox. Por toda a sua vida, ela vivenciou relacionamentos familiares complicados. Que deixaram marcas profundas em sua personalidade e que a impulsionam a determinados sonhos.

Ela deseja mais do que ninguém ter uma família exemplar, atender as expectativas de seu marido e da família perfeita e amorosa dele. Ela quer ser uma mãe perfeita. 

Esse desejo obviamente possui amplas camadas complexas por de trás e muitos medos e inseguranças.

“Eu olho para trás e me admiro com a confiança que eu tinha na época. Não me sentia mais filha da minha mãe. Eu me sentia sua esposa. Fazia anos quebrou vinha fingindo que era perfeita para você. Eu queria que você continuasse feliz. Queria ser qualquer outra pessoa que não a mãe que me deu à luz. E então queria um bebê também.”

Ao “decidirem” ter o primeiro filho, Blythe tem uma gravidez “normal” até a hora do parto, com uma experiência marcante e intensa, nem tudo foi como ela sonhou. 

E tudo se tornou ainda mais complicado durante o período de pós parto. 

As complexas emoções que a envolvem são muito reais e dolorosas, foi ao mesmo tempo interessante ler, porque estamos apenas lendo, porém, vivenciar realmente tudo o que ela passa eu não desejaria nem a uma inimiga. 



No decorrer dos difíceis primeiros meses da pequena Violet, Blythe nos narra medos, desconfianças e solidão. A chegada do segundo filho é como um colete salva vidas em uma tempestade a mãe aberto, e um processo de cura... Até que não é mais...

A trama principal acompanha Blythe, porém temos mais duas linhas temporais de narrativa: Etta e Cecília, vó e mãe de Blythe, essas narrativas vai trazendo uma profundidade a trama quando nos mostram os fundamentos da criação de Blythe, podemos perceber quão as angústias dessas duas gerações trouxeram a ela. 

“Um dia você vai entender, Blythe. As mulheres desta família... nós somos diferentes.”

Ela deseja ter um vínculo perfeito com a sua filha, mas nada parece tão simples e a falta de apoio e até mesmo descrença que ela sofre a fazem duvidar de si mesma. 

Deixo o restante da trama densa e emocional para vocês lerem com calma!

A trama possui uma escrita muito limpa e direta. Audrain que antes de se dedicar a escrita e a família em tempo integral, trabalhava em uma editora, mostra que possui um estilo de narrativa fluido. E escolheu um tema muito importante a ser debatido que é a romantização da maternidade, a maternidade compulsória, depressão pós-parto, o abandono afetivo e o trauma que isso causa nas pessoas. Existe além disso o uso de forma inteligente de uma subtrama catalisadora de muitos debates: O que fazer quando precisamos encarar que nossos filhos podem não ser o que sempre desejamos para o mundo?

Pelos temas acima, deixarei o aviso de possíveis gatilhos sensíveis: depressão, violência envolvendo crianças, crianças sociopatas, trauma familiar, Síndrome do Esgotamento Materno (mommy burnout) são os principais que encontrei na narrativa.



É um drama e thriller psicológico, a narrativa e constante e foca totalmente nas mulheres e nos sofrimentos que elas passam para atenderem às pressões da sociedade e família. Merece uma leitura, até porque o debate dos temas abordados nos livros ainda são muito recentes e precisam serem debatidos.

O esgotamento materno é uma realidade, a romantização da maternidade deve ser combatida, assim como a valorização das mulheres que desejam serem mães e compreensão, aceitação e valorização também das que não desejam.

Gostei do livro, no geral muito bem escrito, não me surpreendeu e nem se tornou um favorito, contudo duas cenas me impactaram muito, não gostei particularmente do final do livro, mas foi porque idealizei algo mentalmente e me sentiria vingada por Blythe se fosse como eu queria!

O livro chamou a minha atenção, pretendo ler os próximos livros da autora. Gostei do estilo da escrita dela.

Recomendo a todos que gostam de uma leitura com doses de thriller, de drama psicológico e temas polêmicos. Leitura recomendada a todos que desejam ter uma visão realista da problemática do esgotamento materno.

Uma boa leitura e até a próxima.

9 comentários

  1. O ano já começou prometendo com esse livro e eu admito que ele já foi pra listinha interminável dos desejados!
    Eu sou fã de um thriller psicológico e fiquei meio empolgada por trazer isso dos "problemas" da maternidade.
    Tanto se romantiza né?
    Mas a gente sabe que não é bem assim.
    Espero ler em breve!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Vivian!
    Eu já tive a experiência de ler outras obras que abordam a maternidade, porém aqui vê-se que o tema é tratado de forma mais visceral, de modo que com certeza a leitura deve ser bem pesada (ainda mais por conta de todo esses gatilhos emocionais).
    De fato, a sociedade impõe certos comportamentos às mães, e tamanha foi a influência disso que muitas coisas estão realmente enraizadas. Nunca parei para pensar em como a vida da mulher muda completamente depois do parto, e Ashley Audrain consegue expressar tudo isso muito bem.
    A protagonista não parece ser muito cativante, porém tal característica faz sentido, visto que sua vida era tão complicada depois da maternidade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Uma pena que o final nao tenha te agradado. Curiosa pra saber como é. Quero muito ler esse livro. Tenho uma lista de livros nessa mesma tematica que tenho muito interesse, e espero ler em breve incluindo esse. É um tema bem desconfortavel né, mas acho bem interessante.

    ResponderExcluir
  4. Um livro que já está hypado antes mesmo do lançamento. Também pudera, com essa premissa quem não quer ler?
    Quero muito ler e entender Blythe

    ResponderExcluir
  5. ola
    esse livro chegou causando . já vi tantas resenhas dele . acho importante esse debate sobre a maternidade. não romantinzando mas tambem não fazendo da maternidade uma coisa monstruosa .Tem que trazer a tona tudo o que pode acontecer ,como os probemas psicologicos. mas deixando para cada mulher a sua escolha acho que a autora tem que ter muita responsabilidade em tratar desse tema.

    ResponderExcluir
  6. Segunda resenha nessa mesma semana que eu vejo desse livro e eu adoro quando isso acontece, consigo fazer algumas comparações, ver opiniões diferentes.
    Achei incrível que os direitos já foram comprados, uma novidade e tanto hein! Estão mesmo apostando nisso e é ótimo, eu adoro esse estilo.
    Todos tão dizendo que é uma leitura que vale a pena. Gosto muito de leituras que envolvam o aspecto da mente humana, sabe? O que o ser humano é capaz de fazer. Por isso fiquei muito interessada.

    ResponderExcluir
  7. Quero muito ler esse livro! Parece ter tudo o que eu gosto, mesmo tendo vários gatilhos para muitas pessoas. Acho tão interessante! Muito bom os direitos já terem sido comprados, mal posso esperar para conferir.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Vivian!
    Pelo que pude entender, existem várias situações inerentes e comprometedoras que permeiam todo o livro e é necessário uma leitura calma para poder entender.
    Tem muitos assuntos que levam a gatilhos e pode ser bem complicado para muitas pessoas, principalmente para quem quer ser mãe ou já é mãe.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Oi Vivian!
    Nossa, o livro parece ser pesado. Entendo que algumas pessoas passam por essas fases com certa dificuldade. Já vi acontecer de perto. E fiquei interessada em conhecer os processos de cura e as quedas do mesmo que o livro apresenta, até com uma forma de tentar compreender o que as pessoas podem passar e o que elas sentem.
    É isso que eu acho incrível nos livros. Em cada história temos a chance de poder adquirir experiência mesmo que não tenhamos vivido aquilo.
    Gostei da indicação e acredito que será um sucesso!
    Beijos

    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir