Cadê Você Bernadette? - Maria Semple

17 de novembro de 2020

Título:
 Cadê Você Bernadette?
Autor: Maria Semple
Páginas: 376
Ano: 2013
Editora: Companhia das Letras 
Gênero: Chick-lit, Romance, Drama 
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse: Bernadette Fox é notável. Aos olhos de seu marido, guru tecnológico da Microsoft e rock star do mundo nerd, ela se torna mais maníaca a cada dia; para as demais mães da Galer Street, escola liberal frequentada pela elite de Seattle, ela só causa desgosto; os especialistas em design ainda a consideram uma gênia da arquitetura sustentável, e Bee, sua filha de quinze anos, acha que tem a melhor mãe do mundo. Até que Bernadette desaparece do mapa. Tudo começa quando Bee mostra seu boletim (impecável) e reivindica a prometida recompensa: uma viagem de família à Antártida. Mas Bernadette tem tal ojeriza a Seattle - e às pessoas em geral - que evita ao máximo sair de casa, e contratou uma assistente virtual na Índia para realizar suas tarefas mais básicas. Uma viagem ao extremo sul do planeta é uma perspectiva um tanto problemática. Para encontrar sua mãe, Bee compila e-mails, documentos oficiais e correspondências secretas, buscando entender quem é essa mulher que ela acreditava conhecer tão bem e o motivo de seu desaparecimento.


Resenha: 

Quando você acha que não está entendendo, mas na verdade esse é o conceito!

Em Cadê Você Bernanette, conhecemos Bernadette Fox, ex-arquiteta, mãe de família e esposa de um dos funcionários mais importantes da Microsoft. Completamente insatisfeita por morar em Seattle e ter que conviver com PESSOAS, a excêntrica personagem se vê num beco sem saída quando Bee, sua filha prodígio super inteligente, requisita uma tão sonhada viagem para a Antártida depois de terminar o semestre com o boletim impecável. 

Completamente abalada pelas perspectivas da viagem, Bernadette desaparece sem deixar qualquer pista. E partir daí acompanhamos sua filha elaborar um compilado de informações para tentar descobrir o paradeiro da mãe.


“Se fosse me basear no que ela disse, eu poderia dar a ela um diagnóstico duplo de abuso de substâncias e bipolaridade do tipo dois”.


Preciso dizer que esse livro é muito inteligente. Apesar de confuso no início, a leitura se torna mais agradável à medida que vamos nos adaptando às mudanças bruscas de pontos de vista, cortes de e-mails e manchetes de jornal. As informações são dispostas de modo que possamos entender que se trata de uma busca, e depois que entendemos isso é impossível parar de ler. 


“A descrição que o sr. Branch fez de sua esposa sugeria ansiedade social, vício em remédios, agorafobia, fraco controle de impulsos, depressão pós-parto não tratada e, possivelmente, mania”. 


Bernadette, obviamente, é a grande estrela, e suas passagens no livro são as melhores. A relação da personagem com a filha é muito bem construída e aparentemente tudo parece ser normal. Mas com o avançar da leitura vemos que Bernatte passou por uma experiência traumática que a transformou numa pessoa ansiosa e cheia de manias, sem contar que ela é completamente odiada pela comunidade escolar.


“Eu sentia tanto amor dentro de mim. Mas, ao mesmo tempo, eu me sentia tão desamparada ali, de uma maneira que ninguém jamais entenderia. Eu me sentia tão só neste mundo, e tão amada ao mesmo tempo”. 


E por falar na escola tenho que pontuar duas personagens importantes para a história: Audrey e Soo-Lin. É por meio dessas duas mães da Galer Street que percebemos como a família Fox é vista de fora, e confesso que morri de rir com os e-mails trocados repletos de fofocas. Em determinado momento ambas as personagens passam a fazer parte da busca por Bernadette, e claro que temos muita confusão.

Elgie, o marido, também possui certo destaque e por meio do personagem temos mais vislumbres de como Bernadette era no passado. Percebemos que Elgie sente falta de sua antiga esposa, e ver os dois se afastarem nos deixa bem tristes. 

Quanto ao arco da busca em si, confesso que achei tudo rápido demais. Não fazendo jus ao nome, a protagonista só desaparece no FINAL do livro, o que não faz muito sentido. Grande parte da trama é reservada para nos apresentar o passado e presente, porém como a própria sinopse sugere a tal viagem à Antártida de forma ávida, achei que haveria um maior destaque para isso.


“Do outro lado da minha janela, três vezes mais alto que o navio – e duas vezes mais largo – havia um iceberg. Foi amor à primeira vista”. 


Por outro lado, de forma alguma o ritmo acelerado das páginas finais prejudica a experiência de leitura (tirei uma estrela mas coloquem ali mentalmente). Embora algumas passagens sejam mais lentas, percebemos que Semple conduziu tudo de forma cuidadosa para juntar as informações e surtir o devido efeito no leitor, que fica impressionado com a criatividade da autora. 

Destarte, além de abordar distúrbios mentais e depressão, Cadê Você Bernadette também é sobre encontrar um novo significado para viver, e nos mostra que existe um mundo cheio de maravilhas lá fora para serem exploradas. Essa leitura me deixou com uma sensação tão gostosa após finalizá-la, recomendo para quem procura algo com um teor cômico e reflexivo ao mesmo tempo.


“Se você não criar, Bernadette, vai se tornar uma ameaça para a sociedade”. 


Acabei de descobrir que existe uma adaptação do livro com ninguém menos que Cate Blanchett, e gente? Tomara que seja boa, porque atuação nem precisa dizer mais nada né.

Até a próxima resenha! 

11 comentários

  1. Ela sumiu só por não querer ir à viagem? Que estranho, ainda mais por ela ter sumido só no fim do livro hahah. Parece ser bem legal, não achei que fosse ficar com vontade de ler, mas eu adoro um mistério e esse parece ser mais leve e bem divertido, embora aborde assuntos importantes. Me surpreendi com o livro e ainda nem li.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, obrigado pelo comentário!
      Menina esse livro é uma doideira que só, mas aos poucos a gente vai entendendo aonde a autora quer chegar. Bernadette queria fugir de tudo e todos, a condição dela evoluiu a tal nível que nem ela mesma sabia o que estava fazendo.
      Beijos.

      Excluir
  2. Fátima Menezes17/11/2020 12:18

    Gostei. O enredo é meio confuso, o que dá um tom leve e divertido. Acho que é tipo de história que eu leria em poucos dias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fátima, obrigado pelo comentário!
      Divertido ele é mesmo, se você quer rir, se joga!
      Beijos.

      Excluir
  3. Como super fã de Chick, quando vi a sinopse de Cadê Você, Bernadete? Fiquei super empolgada, fiquei mais feliz ainda quando consegui o livro no Skoob.
    E com essa empolgação fui ler e.... fiquei decepcionada.... achei confuso e chato.
    Me conhecendo sei que o filme vai rolar bem melhor pra mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chelle, obrigado pelo comentário!
      Poxa, que pena que o livro não funcionou com você. Ele realmente não é muito fácil de interpretar, aí para alguns pode ser cansativo. Eu vi o trailer da adaptação e parece ser bem fiel, ansioso estou.
      Beijos.

      Excluir
  4. Gostei bastante de saber o que aborda o livro, nao sabia que falava sobre depressao e tinha uma carga meio reflexiva mesmo com o humor. Me deixou bastante interessada na leitura. Acho a capa já muito divertida!

    ResponderExcluir
  5. Alison!
    Gosto muito de chick lits e esse é mais antigo, o que não quer dizer que não é bom.
    Uma pena ter essa confusão no ínicio e também não falar muito sobre a viagem à Antartida, mas dá para ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Eu já tinha lido sobre o filme,mas juro pra você que é a primeira resenha que leio do livro e mesmo com toda essa confusão, eu já preciso muito ver o filme e claro, ler essa obra tão peculiar! rs
    As vezes, pra não sair de casa, eu queria sumir como num passe mágica rsrsrs
    Então, me identifiquei com Bernadette!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  7. Eu ri logo na primeira frase porque você traduziu o que eu senti... não entendi nada desde a sinopse HAHAHAHA Li a resenha inteira e fiquei muito na dúvida se seria uma leitura minha. Fiquei curiosa, mas achei a trama meio sem sentido, mas estou julgando por poucas informações, ne? Realmente só lendo todo pra ter uma opinião completa.

    ResponderExcluir
  8. Hummm tá aí um caso raro de que vou ver o filme primeiro para só depois ler!

    Eu gosto dos temas em si apresentados mas não sei porque o livro não me atraio de imediato!

    Veremos em breve

    😉

    ResponderExcluir