Através do Vazio - S. K. Vaughn -

12 de setembro de 2019

Título: Através do Vazio
Autor: S. K. Vaughn
Páginas: 376
Ano: 2019
Editora: Suma
Gênero: Ficção norte-americana
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
Sinopse: É Natal de 2067.
Os acordes de uma música natalina ecoam pelas ruínas de uma espaçonave que flutua pela escuridão. Lá dentro, May desperta lentamente — a única sobrevivente de um acidente desastroso na primeira viagem tripulada a Europa, a lua de Júpiter.

Sozinha no vazio do espaço, em uma nave caindo aos pedaços, May tenta desesperadamente reencontrar o caminho para a Terra. A única pessoa capaz de ajudá-la é Stephen Knox, um cientista brilhante da Nasa... e um homem que ela magoou profundamente antes de partir.

Enquanto ela batalha pela própria sobrevivência e sinais de sabotagem começam a vir à tona, a voz de Stephen parece ser a única coisa capaz de atravessar o vazio insondável do espaço e levá-la de volta para casa em segurança.

“O melhor thriller de sobrevivência no espaço desde Perdido em Marte.” — John Marrs

Este livro foi cedido pela Editora Suma, porém as opiniões são completamente sinceras. Não sofremos nenhum tipo de intervenção por parte da Editora. 



"Ela tentava lembrar o que havia acontecido, mas sua memória parecia uma televisão com sinal intermitente cortando a estática."

Resenha: Essa aventura no espaço dentro da Hawking II vai ficar na memória por muito tempo. Esse é um livro em que você não deve confiar em nada, siga seus instintos, se pensa que não deve, não confie mesmo! Porque com certeza alguma coisa vai acontecer. Quem conhece sabe que esse ditado é muito verdadeiro: "Quando a esmola é demais até o santo desconfia" Então, prestem atenção nos detalhes... nos detalhes.

"Sua imagem a deixou impressionada. A mulher da foto era feliz e saudável."

May, Maryam Knox acorda na enfermaria, fraca, desnorteada e sem saber o que aconteceu com ela, com sua equipe e com sua nave. É um baque tão grande que nem Inteligência Artificial está funcionando bem. Ela está muito fraca e precisa de repouso e se alimentar melhor, porém há muita coisa que se precisa com urgência na nave e nenhuma das duas sabe o que de fato aconteceu. May tem memória retrograda e a IA não tem memória de antes da May ser colocada em coma para sua recuperação.

"Acabe seu trabalho. Não deixe seu trabalho acabar com você."

Aos poucos May vai se alimentando e conseguindo através da IA saber alguns lugares da nave que estão precisando de conserto e de reparo. Ambas começam a trabalhar juntas, uma dando as instruções e a outra tentando executar tudo que lhe foi passado para agilizar a manutenção, pois aparentemente ela é a única sobrevivente da nave, em que é capitã.


"-Eu acho que prefiro a sua voz "natural". Mas talvez falando de um modo mais relaxado. - Sem problema, mana. De boa. Tamo junta." (Ri muito com esses trocadilhos).


Muita coisa precisa de reparo e mesmo fraca May se esforça e consegue fazer tudo que está ao seu alcance, até mesmo conseguir retomar o contato com a NASA, que foi perdido há muitas horas, entretanto nem tudo são flores... antes mesmo disso acontecer algumas coisas doidas começam a acontecer com a nave e como ela acredita estar só lá ela não desconfia que alguém ainda possa estar vivo.

"É melhor errar para pior do que ser pega desprevenida."

A cada novo capítulo temos muita coisa que vai desvendar o que está acontecendo, o que aconteceu e o que acontecerá. Os capítulos são sempre intercalados, entre presente e passado e nos faz entender como tudo aconteceu e como ela foi parar na nave como a capitã da Hawking II.

"Sua imagem a deixou impressionada. A mulher da foto era feliz e saudável."

É uma leitura que vale a pena... para quem gosta de física e muitas coisas ligadas as matérias exatas vai gostar de como eles contam e colocam tudo de maneira interessante... tentei entender algumas coisas ...rsrsrsr...enfim, recomendo!

"Certa vez alguém disse que, para cada brilhante avanço na ciência, há alguém a quem o mundo deve conceder a glória... e a culpa."
   

5 comentários

  1. Eu tenho um coisa muito maluca em relação a ficção científica. Não é muito um gênero que me agrade(eu sou lesa demais para entender),mas em contrapartida, amo histórias passadas no espaço, neste lance com naves, sobreviventes.
    E por tudo que li acima, esta é uma história única. Não apenas por May ser a única sobrevivente, mas por ter que,mesmo tão fraca, descobrir tudo que aconteceu ali dentro, com seus amigos e com a nave que os transportava.
    É o tipo de coisa que não se dá para confiar nem na própria May e eu amei muito que li acima.
    Por isso, já vai para a lista dos mais desejados e oh, amei Perdido em Marte!!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. A sinopse foi tão incrível q eu quase não li a resenha pra não saber mais do q precisava.. mas vc não deu spoilers então obrigada. Parece uma mistura dos filmes Passageiros com 2001 (eu sei q eles tem livros, mas eu nunca li kkkkkk). Eu acabei de ler a trilogia de Fúria Vermelha q é bem ficção científica, mas eu acho q esse livro aí vai mais do estilo de Perdido Em Marte (no sentido de ser baseado em ciência real). Quero mto ler ♥

    ResponderExcluir
  3. Oiee
    Eu normalmente já leio desconfiando de todos! Quando eu for ler esse vou ficar ainda mais atenta.
    A história parece muito boa e bem interessante!
    Adorei
    Esta já na lista de leitura desse ano!
    😘😘😘

    ResponderExcluir
  4. Raquel!
    É bem o estilo de livro que gosto onde podemos ver o passado e o presente desvendando todo enredo, onde há IA e um mundo ficcional que me pareceu bem diferente e interessante.
    Como gosto de física (principalemnte quântica) e ciências exatas, fiquei com vaontade de ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Quando disse que é um livro bom para quem gosta de exatas eu já quase perdi o interesse. Exatas não é mesmo o meu forte rsrs. Porém a gente fica querendo saber como foi que as coisas aconteceram, como May está sozinha em uma nave e sem lembranças. Por isso acredito que essa seja uma boa dica de livro.

    ResponderExcluir