A Noiva do Barão - Família Davon, 1 - Simone O. Marques

12 de junho de 2019

Título: A Noiva do Barão - Família Davon, 1
Autor: Simone O. Marques
Páginas: 204
Ano: 2018
Editora: Ler Editorial
Gênero: Ficção, Literatura Brasileira, Romance de Época
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:   
Sinopse: Um romance medieval que vai encantar você!

Robert precisava cumprir uma missão simples: escoltar a noiva do irmão, o Barão William Davon. Porém, ele não poderia imaginar que aquela mulher o faria questionar sua lealdade e colocaria em risco sua honra e sua vida.

Lisbeth Phillips nunca teve o amor da família. No entanto, não esperava que o pai fosse capaz de dá-la em casamento a um Barão de fama terrível, apenas para se redimir da traição ao rei. O que ela não imaginava é que o homem encarregado de levá-la a seu funesto destino roubaria seu coração.

Resenha:

Esse lindo romance de época da autora brasileira Simone O. Marques é publicado pela Ler Editorial, e nos trás um delicado romance onde amor e paixão precisam lutar contra o dever e a honra pessoal.

Quando Robert Davon recebe a missão de ir buscar a noiva designada pelo Rei, ao seu irmão mais velho o Barão Davon, ele sente que estará diante de um grande desafio, seu irmão tem uma fama, de ser cruel com as mulheres, por isso imagina que a noiva prometida não estará muito contente em ser entregue em casamento para um homem tão infame. Porém, nada o preparou para o que ele encontrou ao ir até as terras da noiva.

“Robert não gostou muito da história de ser o responsável por arrastar a jovem com espírito escocês para Davon. Todos conheciam a fama das mulheres escocesas, de gênio forte e indomável. Tinha certeza de que iria encontrar um dragão pela frente, mas era o irmão de William e seu homem de confiança, então não havia discussão.”

Lisbeth, é a filha mais velha do Barão D’Tanis, um traidor que da coroa, que tramou para derrubar o antigo Rei, e aprisionando o atual Rei por cerca de um ano, ao perder a revolução, foi obrigado a se tornar um vassalo do Barão Davon, e agora em uma tentativa de cair nas graças do atual rei, e garantir a ele que não é mais um traidor ele vende sua filha, entregando a mão dela, por ordem do rei ao seu suserano, o atual Barão Davon, William.

Neste ponto preciso dizer: Prêmio para pior família que li este ano vai para a família D’Tanis, um ódio fervoroso por eles cresceu em meu coração.

Como podem imaginar Lisbeth, não tem as melhores vidas, criada por um pai fraco e egoísta, e maltratada por ele, sua madrasta e suas meias irmãs, ela tem poucas alegrias nessa vida, e é correndo para se salvar de um ataque contra sua honra que Robert Davon a conhece. Salvando-a do seu atacante ao mesmo tempo em que cai em uma atração fulminante.

Para apimentar mais ainda a situação, ele não tem a mínima ideia de que a jovem que salvou é a noiva prometida de seu irmão.

“Um homem vai aparecer em sua vida, mas para que você possa viva terá que morrer... Um homem poderá perder a cabeça por sua causa.”


Lisbeth é uma protagonista muito forte, superou muitos sofrimentos em sua vida, e não é do tipo de mulher que deseja o mal de ninguém, gentil com todos, ela vai ganhando aos poucos o afeto de todos que a conhecem, exceto de sua família, e essa tristeza é algo que a define. Robert, possui um senso de honra e lealdade familiar muito forte, e se encanta com Lisbeth, desejando retirar toda a tristeza que vê nela.

Muitas coisas acontecem e somos levados a acompanhar essa paixão entre dois personagens cativantes, que ao mesmo tempo em que é algo lindo é algo horrível.

Metade de mim torceu por eles, e a outra metade estava horrorizada com o fato de que e eles ficassem juntos seria uma traição contra William, alguém que não tinha dados motivos algum para ter este tratamento de sua noiva, e ainda mais do seu irmão.

“ele compartilhou com ela uma dor, um sofrimento que com certeza não demonstrou a mais ninguém. Então, também merecia receber um pouco de sua alma e de seus próprios sentimentos...”

O dilema da traição, da honra e do amor verdadeiro é bem explorado neste livro, que eu li em uma única noite. A escrita é fluida e muitas coisas vão acontecendo que me cativaram e me fizeram não conseguir largar o livro.

Será que o amor romântico é mais forte que o amor fraternal e a honra? Será que uma paixão avassaladora, merece ser vivida mesmo que isso possa destinar os amantes ao estigma de traidores e suas vidas correrem riscos?

“... Que meu amor será sempre dele, mesmo que eu seja esposa do Barão.”

Gostei bastante das descrições dos locais em que se passam a história, porém senti que para um livro de época, algumas atitudes dos protagonistas foram aceitas de forma muito simples, e normalmente existe mais formalidade e julgamento quando se trata da sociedade de época. Eu mesma fiquei levemente inclinada a não apoiar ao casal, e olha que sou uma romântica incurável. Contudo, nada que tire o mérito da história que é se relevarmos alguns pontos, extremamente doce.

Um romance de época delicado e doce para os amantes do gênero. Uma indicação de nacional que merece uma chance na lista de leitura dos fãs.

Este é o primeiro volume, e já estou indo ler o próximo já que fui fisgada pelo Barão Davon!

Beijos e até a próxima.

4 comentários

  1. Oi Vivian,
    Casamentos arranjados são a base de muitos romances de época, mas em um contexto como esse ainda não li nenhum livro assim. Também já fiquei com ódio da família D’Tanis, pois há muita injustiça e sofrimento voltada para alguém que não tem culpa de nada. Lisbeth é, sem dúvidas, uma das protagonistas que mais terá desafios na vida, mas espero que sua força de vontade seja maior que todos eles. Em meio a tudo isso não tem como não torcer para que ela encontre alguém que a salve e a ame. Pela premissa A Noiva do Barão não é apenas um romance, pois há muitos elementos que são explorados e tenho isso como um ponto muito positivo. Mesmo que algumas coisas não tenham sido escritas da forma mais condizente com a temática ou época gostei de receber essa indicação.

    ResponderExcluir
  2. Olá Vivian!
    Que bacana que temos mais autores nacionais escrevendo romances de época. Realmente é um dilema muito grande vivido pelos personagens. Senti um certo toque de Cinderela na vida de Lisbeth e já estou torcendo pelo seu final feliz. Livro adicionado à lista de leituras.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Amo esse tipo de livro e já tem tudo que adoro aí pelo visto. Uma mocinha que passou por muita coisa ruim, um mocinho daqueles e ainda uns dilemas e coisas atrapalhando a atração que os dois começam a sentir. Tem um jeito bem legal pelo visto, boa escrita, passa bem os ambientes e isso dos dilemas deles e romance me chama atenção e costuma prender pela curiosidade de ver como as coisas vão se resolver. Talvez tenha umas coisinhas que não ficaram tão bem assim, mas aí só lendo pra entender. No geral parece muito bom ^^

    ResponderExcluir
  4. Olá! Adoro livros com essa premissa de que os protagonistas, em nome do amor, devem lutar contra o dever. Tenho certeza que vou odiar a família D'Tanis, sinto pena da Lisbeth em ter de conviver com familiares assim. A Lisbeth me parece o tipo de personagem que nos apegamos com facilidade e torcemos com afinco pela sua felicidade. Esses quotes que você colocou me fazem querer ler o livro pra ontem! Estou muito ansiosa para conhecer Lisbeth e Robert! Beijos!

    ResponderExcluir