Celular - Stephen King

8 de outubro de 2018

Título: Celular
Autor: Stephen King
Páginas: 283
Ano: 2018
Editora: Suma
Gênero: Terror, Thriller
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon | Travessa
Nota:  
Sinopse: Em Celular , King leva o medo da tecnologia e do terrorismo digital às últimas consequências. De uma hora para outra, telefones celulares se tornam os responsáveis pelo apocalipse, ao apagar do cérebro de milhões de pessoas qualquer traço de humanidade, deixando no lugar apenas violência e impulsos destrutivos.
Aqueles que não possuem um celular, como o artista gráfico Clayton Riddell e seu pequeno grupo de normies — pessoas que não sofreram o ataque —, agora lutam por sobrevivência. Enquanto batalha para chegar a um lugar seguro e reencontrar sua família, Riddell se vê cada vez mais rodeado por caos, carnificina e uma horda terrível de humanos que foram reduzidos aos instintos mais básicos... mas que parecem estar começando a evoluir.
Um dos livros mais sangrentos e horripilantes do mestre do terror. Stephen King captura o leitor desde as primeiras páginas, sem oferecer qualquer chance para que recupere o fôlego antes do final devastador.


Resenha: 

Editora Suma lança uma nova edição de mais uma obra de Stephen King, famoso entre aqueles que amam terror com uma pitada de humor negro. O "Celular" aborda em seu enredo uma nova e diferenciada construção de uma criatura bastante comum na cultura popular: os zumbis.

Exatamente as  três horas da tarde e três minutos, na tarde de 1°de outubro, todos os indivíduos que estavam utilizando o aparelho celular se transformaram em zumbis, também chamados na obra de fonáticos (loucos por usarem celular). Os normies, as pessoas que não foram vítimas de tal evento por não usarem o celular, batalham para sobreviver. No entanto os zumbis, que até então se mostravam extremamente violentos e provocavam o caos ao agir com seus instintos mais básicos, começam a mudar seu comportamento e evoluir, agindo cada vez mais parecidos com os próprios seres humanos. 

"Seja como for, o nome não tinha importância.
O importante foi o efeito”
É nesse contexto, de lutar pela vida e por reencontrar sua família, que temos o artista gráfico Clayton Rinddel que, ao ir atrás de dua ex mulher e filho, salva duas pessoas: Tom McCourt e a jovem Alice Maxwell. Os personagens, com o decorrer do livro eles descobrem que, de forma padronizada, o caos iniciou quando as pessoas que utilizavam o celular ouviram um sinal, o pulso.  

"O fato é: a maioria das pessoas dominou o que há de pior nelas, até o Pulso chegar e apagar tudo, exceto aquele núcleo vermelho."
A escrita simples se mostra impecável e genial, como já é clássico do autor. O medo, o arrepio e as cenas perturbadoras, como sempre, marcam presença! Os acontecimentos que vão surgindo com o enredo vão sendo explicados ao longo da história e, desta maneira, também é possível observar a construção e o drama de cada personagem. Apesar de tudo isso, o final deixa bastante a desejar. 

"Por mais horrível que os dias de hoje pareçam, é provável que mais tarde os consideremos uma calmaria entre duas tempestades. Talvez eles sejam nossa única chance de fazer algo importante."
É possível perceber, nesta escrita de King, uma crítica social bem direta aos fissurados pelo celular. Abordando essa temática, com bastante terror, é apontado o impacto de tal dispositivo móvel para a vida de nossa sociedade e, além disso, faz com que o leitor reflita sobre tal consumo excessivo desta tecnologia pela população. Assim, fica a pergunta: Será que essas novas tecnologias estão realmente comandando nossas vidas? Estamos nos tornando os fonásticos?


4 comentários

  1. Oi, Andressa,

    A proposta do livro é bem diferente inovadora, e a mensagem por trás da mesma é o que chama atenção para algo já constatado, e envolve ainda mais o leitor.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Realmente é para se pensar sobre nossa dependência em relação aos celulares, tenho certeza que depois de ler, vou ficar apreensiva na hora de pegar meu celular, ainda bem que 01 de outubro agora soa ano que vem.

    ResponderExcluir
  3. Oi Andressa!
    Não li nenhuma obra do King ainda acredita?
    Acompanho mtas resenhas e através de filmes conheci algumas histórias baseadas em suas obras.
    Os livros dele estão nos meus desejados aguardando uma oportunidade.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Escuto fala muito dos livros de King, um terror de deixa os cabelos em pé...Quero muito ler os livros deles, com certeza terei oportunidade..Amei o enredo do livro, tem uma premissa ótima e uma historia diferente.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir