Jogo Perigoso - Stephen King

14 de maio de 2018

Título: Jogo Perigoso
Autor: Stephen King
Páginas: 336
Ano: 2013
Editora: Suma das Letras
Gênero: Romance
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:       
Sinopse: Jessie e Gerald estão tendo problemas no relacionamento. Na tentativa de dar nova vida a seu casamento, viajam para uma região isolada no Maine. Mas um jogo de sexo acaba se transformando em prelúdio para uma noite de horror. Durante o jogo, Jessie é acorrentada à cama, e, subitamente, Gerald morre diante de seus olhos. Está presa e logo percebe que não há chance de alguém ouvir seus gritos. É nesse momento que, impotente e acompanhada apenas do cadáver do marido, vê todos os seus maiores medos ressurgirem para torturá-la. 'Jogo perigoso', de Stephen King, revela o estilo eletrizante que consagrou este mestre do terror moderno, e faz o leitor mergulhar numa trama fascinante e diabólica.
Resenha:




Jessie Burlingame é uma boa pessoa, a esposa perfeita, uma mulher calma e equilibrada que acata e realiza os crescentes desejos do marido. Casados há vários anos levam uma vida normal e sem grandes atrativos.
Gerald Burlingame é um advogado que sempre colocou sua carreira a frente das necessidades de sua esposa. Eles não possuem filhos e com o passar dos anos o relacionamento sexual foi esfriando deixando o casamento por um fio. O casal resolve apimentar a relação e viajam em um fim de semana para a casa de veraneio da família localizada no lago Kashwakamak.
Na casa, Gerald inicia seus jogos sexuais e algema Jessie na cama. Sentindo-se desconfortável, manipulada e revivendo um incidente do seu passado que ela faz questão em não lembrar, começa a discutir com o marido, recusando-se a fazer sexo naquela situação. O desentendimento aumenta de intensidade e Gerald se recusa a libertá-la. No entanto Gerald não consegue suas intenções com a esposa, sofre uma parada cardíaca e morre, deixando-a presa à cama, numa situação completamente constrangedora e desesperadora, afinal ela não tem como pedir socorro ou mesmo se soltar das algemas.

Jessie fica sozinha com todos os seus pensamentos, medos e mistérios que envolvem seu passado. A tensão da narrativa está toda inserida na mente de Jessie, na ativa elaboração de diferentes falas dentro de sua cabeça que verdadeiramente reproduzem inúmeras questões de sua personalidade e consciência.

“Não quero olhar!, sua mente berrava. Não quero olhar, não quero ver! Mas sentia-se impotente para resistir. Era como se mãos fortes invisíveis virassem sua cabeça enquanto o vento soprava, a porta dos fundos batucava, a veneziana batia e o cachorro, mais uma vez, lançava um uivo solitário de congelar os ossos para o céu escuro de outubro.”

O livro se desenrola ao longo das próximas 28 horas, enquanto Jessie luta contra a sede, alucinações e em suas tentativas de escapar de suas algemas. Com o passar do tempo seu corpo começa a enfraquecer e quando sua consciência começa a lhe pregar peças com vislumbres de uma criatura que começa a aparecer com frequência, Jessie percebe que o seu tempo de pessoa submissa acabou e se quiser realmente sobreviver deverá tomar atitudes extremas.

“Estive muito próxima de enlouquecer lá dentro” Muito próxima mesmo, não foi?

Contendo em suas páginas Bondage (tipo específico de fetiche, geralmente relacionado com sadomasoquismo, onde a principal fonte de prazer consiste em amarrar e imobilizar seu parceiro ou pessoa envolvida) necrofilia e abuso sexual, Jogo Perigoso é um dos livros mais bem escritos e sombrios de Stephen King. Ele desenvolve uma mulher muito real inserida em um ambiente claustrofóbico de maneira a tornar tudo muito crível e convincente. O drama de autoconsciência que Jessie passa e os mecanismos que ela se utiliza em situações completamente inquietantes a sua situação, marca sua personalidade e circunda todas as técnicas de rejeição de sua mente.


King estabelece relações e semelhanças ao psiquê da vítima e as inquisições intrínsecas entre as mulheres e a urgente e crescente necessidade masculina de dominação. Mesmo que sua primeira edição tenha sido lançada no ano de 1992, Jogo Perigoso é certamente uma leitura atual e muito corajosa, afinal é um homem falando dos conflitos que as mulheres passam no seu dia a dia quando são manipuladas, usadas como mercadoria e inferiorizadas pelo sexo masculino.
Para quem não sabe, Jogo Perigoso virou filme e já saiu pela Netflix. Dirigido por Mike Flanaga, é considerado um dos melhores filmes produzidos pelo serviço de streaming e uma das melhores adaptações da obra do Stephen King. Vale a pena conferir!


9 comentários

  1. Acabei vendo o filme não tem muito tempo e claro que adorei!Aliás, tudo que vem ou é baseado em alguma obra do Mestre King é maravilhoso!
    Já tinha lido o livro há muito tempo,em uma versão tão antiga que as folhas até esfarelavam nas mãos, na biblioteca da escola.
    King tem esse poder que só ele tem de envolver o leitor no enredo e o jogar literalmente dentro da história. Nossa mente é possuída de todo jeito.rs
    Super recomendado, filme e livro.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nádya.

    O livro, ao que parece, apresenta momentos tensos, até mesmo nos leitores... E, por que, não, cruciais e sufocantes?

    Afinal, o fator principal é a luta pela sobrevivência e contra o tempo...

    ResponderExcluir
  3. Olá Nádya!
    Eu não li livros ainda do King, sempre vejo filme então já vi este e preciso confessar que não curti, não foi o que esperava, talvez o livro seja melhor...
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. 😯
    Gente, 50 tons de cinza versão terror, que medo!
    Realmente King não faz meu gênero, apesar de muitos elogiarem a escrita dele, eu não sou de ler terror e nada sombrio.
    Fiquei com o coração apertado com essa resenha e imaginando a situação que essa mulher passou.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu fico impressionada com os enredos de King, sempre há algo novo e que nos prende no ambiente criado por ele. Eu ainda não havia lido nada sobre o livro, embora tenha o colocado em lista, e também não sabia sobre o filme. Gostei bastante. Fiquei curiosa para saber o desfecho de tudo isto e o passado que assombra tanto a Jessie.

    ResponderExcluir
  6. Olá Nádya
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler o livro, ou ver o filme. Me parece ser algo bem sombrio e misterioso, apesar de não fazer parte do gênero literário que eu goste de ler, confesso que despertou minha curiosidade.

    ResponderExcluir
  7. Oi Nádya.
    Eu ainda não vi esse filme, mas meu irmão viu e o recomendou.
    Não consigo imaginar como deve ser ficar tanto tempo presa a cama, tendo que lutar contra sede e alucinações.
    Agora não sei se vejo o filme primeiro ou se leio o livro rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Nádya,
    Faz anos que desejo ler um livro do mestre King mas ainda não tive a oportunidade. Confesso que continuo adiando a leitura pois sou medrosa kkk, mas pelo que li, esse livro não é um terror tenebroso, acho que dou conta de ler.
    É a primeira resenha que leio desse livro, que se não estou enganada, até então não conhecia. Achei uma trama muito bem elaborada, e mesmo que a primeira edição foi lançada lá em 1992, traz um enredo muito atual, abordando as questões que as mulheres passam nessa sociedade machista. Pelo jeito a Jessie foi muito bem construída, uma personagem bem real e que através do drama de sua autoconsciência ira proporcionar uma leitura intensa e forte.
    Fiquei intrigada para ler esse livro, quem sabe escolho ele para a minha estreia com o autor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. OI Nádya.
    Eu estou louca para assistir esse filme, porém o livro não me chamou muito a atenção não, apesar de gostar bastante dessa premissa, acho que não terei estômago o suficiente para ler, no entanto, acho que tenho coragem de assistir, acho que assim, me sinto um pouco mais desligada da história e dos personagens, quero muito saber o que acontece com ela e se ela irá conseguir sair dessa situação, enfim, pretendo assistir o filme, quanto a ler o livro, aina não sei.
    Bjs.

    ResponderExcluir