Não se Apega, Não - Isabela Freitas



Título: Não se apega, não
Autor: Isabela Freitas
Páginas: 256
Ano: 2014
Editora: Intrínseca
Gênero: Literatura infanto-juvenil
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Cultura | Saraiva
Nota:                   
Sinopse: Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja.
O amor vem pros distraídos.
Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar o namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal per-fei-to! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.
Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, com as tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado.
Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico.


"Mudanças não precisam ser drásticas para significar alguma coisa."
"Se você se apega muito ao passado está destinado a revivê-lo."
Resenha: Tinha ouvido muito falar dos livros da Isabela Freitas, porém sempre colocava outros na frente, ao invés, de ler, essa hora finalmente chegou \o/

   Tenho que dizer que muitas pessoas leigas ou que não leem dizem que é um livro de autoajuda, por gentileza, antes de começa a ler qualquer livro, veja que nele está escrito qual é seu gênero e, esse é infanto-juvenil...

   As experiências de Isabela, personagem fictícia do livro, da Isabela Freitas são bem... ora simples, ora complicadas, ou será que não que complicamos tudo na nossa vida. Com certeza, terminar um namoro que não te faz bem há tanto tempo não é nada animador, pois se você esteve um relacionamento com essa pessoa significa que ela foi importante para você em algum momento de sua vida.

   O livro começa com a Isa ter terminado seu namoro de três anos e acaba vendo que o que importa é ela. Ela tem que se sentir bem consigo mesma para se sentir feliz outra pessoa. Se você não consegue de nenhuma forma conviver consigo. Tente! Tente pelo menos uma vez, do contrário vai todos os dias sobreviver a alguém que não te faz feliz só te dá à sensação de está-lo.


Resultado de imagem para Não se apega, não


   Portanto, tenho que escrever, que valeu muito a pena lê-lo. Li muito rápido! Em apenas dois dias...kkk

Então, pessoal leitura mais que recomendada. Que jogue a primeira pedra quem já teve relacionamentos que não deram certo, mas seguiu em frente.

16 comentários

  1. É um livro que chama atenção pela forma como faz a gente pensar. Pensar na gente, nos nossos relacionamentos e no que dá certo e errado. Achei isso legal. Autoajuda ou não o livro tem um jeito pé no chão que faz valer a pena ler. É pequeno, dá pra ler bem rápido e ainda tirar algumas lições legais dali né ^^

    ResponderExcluir
  2. Oi Raquel.
    Essa coisa de término de namoro é complicado né No entanto eu confesso que gostei bastante da premissa Eu já tinha visto falar dos livros da autora porém até agora eles não tinha me chamado atenção, porém agora quero muito ler e fiquei feliz em saber que essa foi uma leitura que valeu a pena para você.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Oi Raquel.
    Achei a narrativa divertida e bem informal. Acho válido a leitura, ainda mais sendo um livro com mensagem positiva.
    A capa chama bastante atenção. Gostei da cor.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá Raquel! Quando foi lançado esse livro se tornou sucesso nacional e continua até hoje. Realmente pensava que fosse um livro de autoajuda rsrsrs. A forma como a autora conta as dificuldades amorosas de todos nós é tão verídica que não podemos deixar de nos identificar com a personagem. Pretendo ler o livro em breve. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Esse livro vem me chamando atenção, já tem algum tempo mais eu também sempre empurro ele pro final. E um livro que faz você repensar suas escolhas de relacionamentos, se te faz bem ou se você é feliz.

    ResponderExcluir
  6. Olá, o que eu sei sobre a história é o que foi mostrado na adaptação feita pelo Fantástico, que foi puxada mais para o lado cômico. Quanto ao livro original nunca tive vontade de ler, mas agora bateu aquela curiosidade para saber as desilusões amorosas de Isabela. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Eu já li esse livro e também gostei bastante dele! Eu adorei a história, e ele realmente não é auto ajuda. Eu gostei bastante da escrita da Isabela Freitas, e eu também li esse livro bem rápido! Agora estou com vontade de ler o segundo livro :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá, ouço falar muito bem desse livro, inclusive fizeram uma adaptação na globo certo? Não sei se ficou fiel ao livro mas da adaptação eu gostei. O livro parece ser daqueles que fazem a gente se identificar com a personagem principal, sentindo o que ela sente. E parece pequenininho também, aquela leiturinha rápida de final de semana. Vou procurar pra ler. Beijo

    ResponderExcluir
  9. Raquel!
    Lendo sua resenha já me senti um tanto confusa, fiquei imaginando a leitura do livro então...
    Gosto de chick lit e gosto de auto ajuda também, mas não sei se os dois no mesmo livro vão me agradar.
    Gostaria de conferir a leitura para ver quais são os ensinamentos da Isabela ou das Isabelas...
    Como tenho o livro aqui, vou conferir, já que gostou tanto!
    Desejo um maravilhoso e florido final de semana!
    “Para saber uma verdade qualquer a meu respeito, é preciso que eu passe pelo outro.” (Jean-Paul Sartre)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  10. Oi Raquel. Acho que independente do gênero, esse é um livro construído para passar uma mensagem positiva para quem lê, daí a possível "confusão" com autoajuda. O que não deixa de ser, se é uma leitura que visa incentivar o amor próprio, a aceitação, a superação... é meio difícil limitar a um gênero só. E não tem nada de errado com isso. Aliás, são mensagens bem importantes e que nunca é demais que sejam reforçadas.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Também tinha esse mesmo problema de ter os livros da Isabela Freitas mas nunca lê-los e quando li me arrependi muito por ter ignorado eles tanto tempo, adorei a história e confesso que considero ele um autoajuda, pois ele nos mostra que não precisamos de ninguém para ser feliz e precisamos primeiro ser feliz com nós mesmas para depois ser feliz com outra pessoa.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Eu já li este livro, mas talvez por ele ser um livro infanto-juvenil ou a história dele, a história acabou não me agradando muito, gostei mais das frases.
    Que bom que você curtiu a história deste livro.

    ResponderExcluir
  13. Li faaaaaz tanto tempo e adoro as frases contidas no livro(bem mais do que a historia) kkkk

    ResponderExcluir
  14. Acho que esse livro bem bacana e de leitura rápida e descontraída, não li nada da Isabela Freitas, mas adorei a indicação!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  15. Nunca li nada da autora Isabela Freitas, mas achei bem interessante a premissa da estória, gosto de livros leves e com uma linguagem mas jovem.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Já ouvi fala muito desse livro e dos outros também. A história é bem interessante, a forma de falar é mais para autorajudar como você disse, eu não sei se leria mais me deixou bem curiosa.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir