Montado na Bala - Stephen King

Título: Montado na Bala
Autor: Stephen King
Páginas: 34
Ano:1995
Editora: Independente
Gênero: Terror, Suspense
Adicione: Skoob
Nota:                  
Sinopse:"Eu nunca contei esta estória a ninguém, e nunca pensei que poderia - não porque eu tivesse medo de não acreditarem, realmente, mas porque eu tinha vergonha...e porque isto era coisa minha. Eu sempre senti que contando eu nos tornaria baratos, a mim e a estória, diminuindo-a e tornando-a mais mundana, apenas mais uma estória de fantasma daquelas contadas em acampamentos depois que as luzes se apagam. Eu acho que eu também tinha medo de que, se eu contasse, ouvindo-a com meus próprios ouvidos, também começaria a não acreditar. Mas desde que minha mãe morreu, eu não tenho dormido muito bem. Eu acordo e cochilo de novo, desperto e tremo. Tenho deixado o abajur aceso, como ajuda, mas não ajuda tanto quanto você deve achar. Há tantas sombras na noite, você já tinha notado isso? Mesmo com a luz acesa há muitas sombras. A maior delas poderia ser a sombra de qualquer coisa, você sabe. De qualquer coisa, mesmo."

Resenha: Você já sentiu que de algum modo a vida não parece realmente justa? O nosso protagonista vai perceber esse fato, seja por bem ou por mal.
"Eu comecei a entender que há coisas por baixo, veja só - por baixo - e nenhum livro pode explicar o que elas são. Eu acho que, às vezes, é melhor simplesmente esquecer que as coisas estão lá. Se você pode, faça isso."
Alan Parker está na universidade quando recebe o telefone de uma vizinha de sua mãe dizendo que a mesma sofrera um derrame e encontra-se no hospital. Ele sente-se apreensivo quanto ao estado de sua mãe mesmo que a vizinha tenha lhe dito que não era grave e que poderia ir para casa apenas dois depois, no final de semana.

Decide deixar uma nota para seus professores explicando sua ausência repentina e decide pegar uma carona para tentar chegar o mais rápido possível ao seu destino.

Ele pega uma carona com um senhor, que ele descreve como alguém meio estranho e que fede a urina, mas ei, ali era proibido pegar carona e aquele estranho foi o único que parou para ele.
"Eu fiz o pedido e imediatamente desejei não ter feito; eu pensei que nenhum desejo feito para uma lua laranja como essa desse em coisa boa."


E durante a viagem,Alan começa a ver sinais de que sua mãe encontra-se muito pior do que realmente lhe disseram, e que essa viagem pela estrada não será tão tranquila quanto esperava, e ele não poderia estar mais certo.

Ele resolve descer do carro em uma cidade agradecendo o oferecimento do motorista de leva-lo até a porta do hospital dizendo que não queria incomodar e pegaria outra carona dali em diante. Quando o carro vai embora, nosso protagonista sente um alívio mas que iria durar muito pouco.

Ao perceber que está encostado no muro de um cemitério, Alan resolve entrar e fazer um passeio por ali.Enquanto isso vai pensando cada vez em sua mãe, até que para em frente a um túmulo um pouco recente, devido a data que ele lê: George Staub. Mas lá na pedra também estava escrito uma frase que sua mãe sempre dizia: "Diversão é diversão, e o que está feito está feito."

Ele pensa que talvez sua mãe já esteja morta e isso é um aviso.Ele fica um tempo no chão sem coragem de olhar novamente a lápide, mas após um momento ele consegue visualizar o que realmente está escrito lá: "George Staub  nascido em 19 de 1977- Falecido 12 de outubro de 1998. Bom inicio, tão cedo partiu."

 Ele sai do cemitério apavorado,  lá fora consegue uma carona, mas mal sabe ele que seu tormento está apenas começando.


 "Minha mão pareceu flutuar como a mão num sonho. Eu queria que fosse um sonho, mas não era; era a mais pura realidade. O cheiro por cima era pinho, por baixo era algo químico, provavelmente formol. Eu estava viajando com um homem morto."
Esse conto do King ainda não foi publicado em livro físico por aqui e não sei se algum dia será. Achei em algum lugar na internet e já tinha lido, mas resolvi reler.Quem não achar e quiser saber mais sobre a história, tem um filme com o mesmo nome "Montado na bala" de 2004 com David Arquette que é tão bom quanto o conto.

Até a próxima! 🖖
 

6 comentários

  1. Oi Karla, com certeza terror não é pra mim, como assim ele percebe que encostou no muro de um cemitério e resolve dar uma volta por lá?!! haha, mas achei a dica interessante pra quem curte o gênero e ainda tem um filme o que é bem legal ;)

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Um conto bem interessante. Eu não tinha conhecimento desse livro do senhor King, mas gostei bastante. Realmente me pareceu bem apavorante a parte que ele ver sinais estranhos, dar até medo. Tenho desejo enorme de ler os livros de King, amo terror e ele saber fazer uma história bem assustadora.

    ResponderExcluir
  3. Oii
    Até agora só li um livro do king, mesmo tendo vários na minha estante. Mas isso é uma coisa que quero muito mudar na minha vida, pois o livro que li eu adorei. Gostei muito desse conto, parece ser realmente muito bom. Eu não conheço esse filme, vou procurar para assistir!
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus que conto, hein!
    Não sou de ler muitos contos, mas esse me cativou. Amo o gênero terror e King então só me apaixonei pelo conto.
    E que pena que ainda não é publicado em livro físico :/
    Não conhecia o filme, mas já quero ver!
    Adorei, beijos.

    ResponderExcluir
  5. Apesar de ser um livro do King, conhecer sua escrita, seu gênero, achei o enredo bobo. Não bastasse pegar carona com um desconhecido, mesmo pra tentar chegar mais rápido até a mãe, a pessoa me entra num cemitério e começa a refletir sobre a situação da mãe... Sério?! Fiquei com vontade de rir.

    ResponderExcluir
  6. Karla!
    Quando li o título, fiquei me perguntando: por que nunca vi falar desse livro? Daí no final, você explica, que é um conto dele ainda não publicado aqui no BRasil.
    Mais uma história do mestre bem aterradora, concorda?
    Um final de semana de muita inspiração e paz no coração!
    “Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não terminou.” (Richard Bach)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir