Amanhã você vai entender - Rebecca Stead

Título: Amanhã Você Vai Entender
Autor: Rebecca Stead
Páginas: 222
Ano: 2009
Editora: Intrínseca
Gênero: Ficção infanto-juvenil
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:
Sinopse: Miranda está em meio a um grande enigma. Um estranho pode ter invadido sua casa, seu melhor amigo foi agredido na rua e uma série de bilhetes, que ela não compreende nem tampouco sabe quem escreve, alerta sobre a morte de alguém. Alguém próximo. Alguém que ela poderá ajudar a salvar. Mas, para isso, a menina precisa descobrir o que está acontecendo. Bilhete após bilhete, as peças do quebra-cabeça se juntam, até que finalmente o cenário se completa e Miranda percebe que a resposta sempre esteve ali, bem na frente dela - mas o tempo é ardiloso: guarda hoje momentos que só amanhã você vai entender.

Resenha:

É um fato comprovado que toda cabeça dá um nó automático só pelo menção da expressão "viagem no tempo". E foi o que aconteceu com a minha na primeira vez que li Amanhã você vai entender. Fiquei em um estado de confusão tão grande que descansei o livro na estante e lá ele ficou por alguns anos. Então, finalmente, resolvi relê-lo e fiz jus ao nome porque só entendi no outro dia (outro dia aqui simbolizando a outra leitura). No fundo, no fundo, a história é muito clara, mas em minha defesa, a primeira vez que a li minha singela mente de 12 anos ainda não conhecia os mistérios dos viajantes do tempo.

A verdade é que nem mesmo Miranda, a personagem do livro (também de 12 anos), conhece. E olha que o livro que ela mais gosta fala justamente sobre isso. Acho que é um tema complicado mesmo. A questão é que em um belo dia de outono ela encontrou no tal livro preferido um bilhete de alguém pedindo-a para escrever uma carta contando uma história que ainda não aconteceu. Assustada, ela deixa o bilhete de lado, mas com a chegada de outros endereçados diretamente a ela e com fatos que ainda nem se realizaram fica impossível esquecer. Ainda mais quando a pessoa diz que veio para salvar um amigo dela. E precisa de sua ajuda. Com isso, ela fica cada vez mais confusa: como alguém pode saber das coisas mesmo antes delas acontecerem? Quem é esse alguém? E porque logo ela foi "escolhida" para escrever essa tal história que ela não faz ideia de onde começa ou onde termina?

O desenrolar da história acompanha Miranda contando sobre tudo o que aconteceu desde que recebeu o primeiro bilhete, seu melhor amigo apanhou e eles pararam de voltar da escola juntos. Ela conta sobre os novos amigos, sobre o trabalho (voluntário) e sobre sua família. O livro aborda coisas bem cotidianas, além de desenvolver assuntos, como a primeira paixonite, de uma maneira muito singela. Percebemos esses aspectos novos bem devagar e eles parecem estranhos em meio à tudo o que está acontecendo com ela. Exatamente como ocorre na nossa vida. Determinados sentimentos e situações são construídos de maneira tão sutil que à medida que eles se instalam e passamos a percebê-los vemos algo de estranho e avulso em meio à tudo o que conhecíamos. A escrita da autora conseguiu passar isso de uma forma muito interessante através das palavras escolhidas, do tom usado e da maneira como os acontecimentos foram narrados.

Outro ponto da obra que me chamou muita atenção foi o nome dos capítulos. Eu sei que todo nome de capítulo tem uma leve relação com o que será narrado, mas no caso desse livro os nomes te instigam a procurar nas palavras o seu significado. Depois que eu percebi a relação entre eles e a história eu me peguei prestando atenção dobrada para conseguir ligar os pontos. No começo eu precisava fazer um esforço para lembrar o nome já no meio do capítulo (que são bem curtos por sinal), mas com o desenvolver da narrativa isso deixou de ser necessário. Descobrir esse mistério passou a ser uma tarefa quase “natural”, em que minha mente já procurava instintivamente a ligação.

Definitivamente, foi uma leitura muito prazerosa e que me deixou com alguns nós na cabeça. Mas não se assuste, foram nós bons. Vários diálogos entre os personagens envolviam os aspectos intrigantes das viagens no tempo e por vezes me vi lendo-os mais de uma vez para ver se conseguia absorver tudo. O mais divertido é que sempre que eu parava para refletir sobre as teorias e os mecanismos dessas viagens (apesar de gastar um certo tempo nessas reflexões) eu conseguia compreender o que os personagens apontavam. A autora conseguiu trabalhar os aspectos de uma maneira clara e objetiva. No fundo acho que essa é a palavra que resume a obra: objetiva. Não tem excessos hora nenhuma. Vai instigando a curiosidade do leitor para descobrir que raios de bilhetes são aqueles e de onde eles vem com os mínimos detalhes possíveis. Mas no final todos esses detalhes passam a fazer muito sentido e a autora conseguiu amarrar todos os elementos que ela desenvolveu.

Preciso confessar que no começo fiquei com medo da minha primeira impressão do livro se concretizar, mas me surpreendi e muito. A história, voltada para um público mais infanto-juvenil, conseguiu me alcançar no auge dos meus 20 anos e certamente cumpriu seu propósito. A todos os viajantes do tempo que estão soltos por aí, perdidos nesse mundo e cada vez mais distantes do que eram quando iniciaram a viagem eu digo: leiam a carta de Miranda porque ela vai, com certeza, esclarecer muita coisa. E por último, tentem não aterrissar nos brócolis, vocês são pessoas espertas.

6 comentários

  1. Oi Maíra, a capa desse livro tá bem bonita e curti a resenha apesar desse ser um livro infanto-juvenil. O suspense que se desenvolve aos poucos parece dar o tom da história que ainda tem as coisas cotidianas acontecendo pra nossa protagonista o que deve fazer com que a história não perca o ritmo. Curti a resenha e se tiver oportunidade vou querer conferir a história ;)

    ResponderExcluir
  2. OI Maíra!
    Eu gostei muito desse livro quando o li. Por ser para um publico infanto juvenil achei o modo como ela explica a viagem no tempo bem didática. Além disso acho que a autora tratou com muita leveza os temas família e amizade.
    Bkus

    ResponderExcluir
  3. Oi! Tudo bem?
    Gostei muito da premissa do livro sobre viagens no tempo. Confesso que também ficaria confusa com historia e com nós na cabeça sobre os nomes dos capítulos fazer jus com a historia!
    Amei a resenha, vou adicionar na minha listinha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Em minha defesa, parafraseando vc, eu sou meio lerda pra sacar mistérios. Minha confusão já começou na sinopse e mais confusa ainda fiquei pela personagem ter somente 12 anos e ter que se virar pra montar esse quebra-cabeças.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Livros com viajem no tempo, pois é comigo mesmo. Eu fico bastante curiosa com esse tipos de temas, já que é uma teoria que muitos pensa se é verdade ou não, mas eu ainda sim tenho minhas duvidas. Gostei bastante desse livro, com certeza ira me encanta. A personagem é super fofa e também os mistério que envolve a garota. Espero conseguir esse exemplar para ler.

    ResponderExcluir
  6. Maíra!
    Gosto demais de temas relacionados com viagem no tempo e ver que o livro o aborda de forma excepcional e consciente, trazendo um enredo carregado de emoção e uma trama muito bem desenvolvida, dá uma tremenda vontade de conhecer a escrita do autor e poder ler o livro.
    Um final de semana de muita inspiração e paz no coração!
    “Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não terminou.” (Richard Bach)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir