Remissão - Daya Engler

Título: Remissão - Dangerous, 2
Autor: Daya Engler
Páginas: 201
Ano: 2015
Editora: Independente
Gênero: Drama
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse:
Antonella tinha tudo sob controle até Thor Castellammare bater em seu caminho e ela sucumbir na paixão avassaladora que queimava em suas almas.
Ele, enfim, estava conseguindo esmorecer suas defesas, e as paredes dela estavam caindo lenta e gradativamente. Porém um novo elemento surge, levantando-as quando uma inesperada gravidez acontece, trazendo com ela demônios de seu passado, que Ella buscava esquecer. Agora eles estão mais vívidos do que nunca e prontos para devorá-la.
Enlouquecida pelas novas perspectivas indesejáveis, ela se afasta de tudo e de todos.
Thor partiu. E agora seu castelo de areia está ruindo e o cerco do destino é implacável.
Ella tem duas escolhas e nenhuma chance de fugir delas.
Enfrentar seus fantasmas. Ou se entregar a eles.
A escolha é inevitável e precisa ser feita, antes que o relógio pare de contar.
Qual será sua escolha?


Resenha:

Segundo livro da série Dangerous, Remissão me surpreendeu, literalmente. Enquanto em Indômitos, temos o casal explosivo e super quente brigando e se amando, aqui temos uma Ella que está em uma nova fase de sua vida.

Ella descobriu que estava grávida, e qual foi sua primeira reação? Felicidade. Alegria. Surpresa. Amor. Nada disso, Ella entrou em parafuso, ficou completamente descontrolada, quase consegue fazer um aborto e perdeu Thor. Que foi ao socorro de seu bebê indefeso e mostrou para Ella que não estava brincando, que se fosse para escolher seu filho ou a mulher que ele ama, seu filho sempre viria em primeiro lugar.

Não é difícil de imaginar uma mulher que se assuste ao descobrir que está grávida. É super normal, aliás, eu que sou mãe também me surpreendi quando descobri que estava grávida. Mas Ella é aquela mulher que ainda é menina, que não compreende e não tem experiência com certas coisas. Ela jamais se imaginaria mãe, não era algo com que ela sonhasse.

Para ela, todos ao seu redor estavam ficando completamente loucos. Ela não queria o bebê e ninguém poderia dizer o contrário. Ela acaba brigando com todos. Se tornando uma pessoa solitária. Sempre que pode magoando todos.

Eu fiquei perplexa. Nunca havia lido algo assim. Uma personagem que se nega a ser mãe, se nega a seguir outro ideal que não seja o seu.

Me vi tão apegada na leitura, tão profundamente envolvida, que por várias vezes, tive que parar um pouquinho para respirar, pois estava quase chorando.

Esse livro é completamente diferente do primeiro. Em Remissão, temos o amadurecimento de Ella, é tão lindo de ler.

" Eu já não tinha certeza dos meus sentimentos a respeito dele. A única relutante certeza é que ele já não era um desconhecido para mim. Não o amava, mas também não o odiava mais. O único sentimento que passei a ter por ele era condescendência por sua luta involuntária. Um estranho conhecido que eu poderia ajudar sem trair a mim mesma.
(...)
"É como se houvesse uma briga ininterrupta dentro de mim enquanto eu fico estática sem conseguir agir."

Ella vai se descobrindo como pessoa. Como mulher. Como mãe. Com a ajuda de um profissional, que é incrível ,ela aos poucos vai se abrindo, descobrindo seus medos, suas angústias, seus sonhos.
Aquela Ella que eu passei tanta raiva no primeiro livro, está completamente diferente, eu amei cada linha, cada parágrafo e cada capítulo. E se for possível, meu coração ficou mais apaixonado pela série Dangerous.

" No fundo, eu sempre fui medrosa e fraca demais. Preocupei-me tanto em me proteger para não levar nenhuma rasteira da vida, que acabei dando várias nas pessoas que eu amava e também me amavam."

Não deixe de ler esse livro maravilhoso. Que me deixou quase em lágrimas e com muito orgulho da literatura nacional! Agora é correr e ler Consequências !

Beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeijos :*




10 comentários

  1. Oi Yohanna, ainda não li nenhuma história em que a mãe não queira o filho e entre em parafuso e achei isso bem legal e diferente e fiquei cheia de vontade de saber como ela amadurece com essa situação. Tenho gostado muito de acompanhar as resenhas dessa série por aqui e espero ter a oportunidade de ler futuramente ;)

    ResponderExcluir
  2. Dentre o primeiro e o segundo livro, esta continuação foi a que mais me agradou, e ainda aborda um estória real, no qual podemos nos deparar dentro da nossa sociedade. Muitas das mulheres quando descobre que terão um filho e algo que muitas das vezes surpreende, principalmente quando não e planejado, e por isto e uma situação difícil, em se precisa de apoio, carinho, atenção, e realmente disto que está leitura trata, amadurecimento enquanto amar um filho que não conhece, e se tornar mãe.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Fez meu dia mais feliz, Yohanna!
    Cá estou que nem uma pateta lendo sua resenha linda *-*
    Uma das muitas coisas que pensei em trabalhar na série quando D começou a ganhar formas na minha mente, primeiro, trazer toda história e tudo que a engloba o mais perto do real quando possível. Depois, enquanto escrevia essa etapa da história, me deparei com o tabu da maternidade (nem sabia que existia um nesse âmbito) e por isso muitas sofrem. Uma gravidez é algo realmente grande. É mais que um filho. É um novo ser humano que você está trazendo ao mundo sob sua responsabilidade. Isso é grande o suficiente para aterrorizar mesmo as mulheres que anseiam ser mães. Amor e maternidade são coisas que precisam ser construídas, e como em toda construção tem lá seus momentos ruins... Outra coisa, eu sempre tive horror a pais que preferem seus cônjuges acima de suas crias. Isso era uma das coisas que sempre quis deixar muito clara na série: Thor, apesar de amar Ella imensamente, ele sempre iria escolher o filho se tivesse de fazê-lo.
    Mais uma vez, muito obrigada por essa linda resenha.

    Bjkas,
    Daya Engler

    ResponderExcluir
  4. Olá Yohanna! Ao contrário do primeiro livro, que tem uma trama leve, esse é um pouco dark na minha opinião. Por outro lado é interessante acompanhar a evolução da protagonista. Não é raro mães que não se sentem felizes quando engravidam, nem todas ficam exultantes de alegria. ótima resenha. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu fiquei com bastante vontade de ler essa série depois da sua primeira resenha, e pelo jeito esse segundo livro também é incrível! Eu gosto muito de livros que envolvem gravidez, assim no meio da história, e acho que nesse livro eu iria gostar mais ainda do Thor por querer o bebê (mas também entendo um pouco o lado da Ella). Adorei a resenha, e espero ler esse livro logo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá, a série realmente parece ficar melhor a cada livro. Acho incrível como a autora consegue remodelar suas personagens, dando a elas novas facetas. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Pelo jeito a série toda é muito boa, e nem um pouco clichê! Já percebi que as coisas vão mudar bastante agora com a gravidez da Ella, e já estou gostando mais ainda do Thor por colocar seu filho em primeiro lugar. Eu até entendo um pouco esse medo da Ella, mas acho que mesmo assim vou me irritar um pouco com ela nesse livro. Adorei essa resenha, e quero muito ler essa série *-*
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  8. Oi.
    É muito bom saber que essa série está cada vez ficando melhor, mais bem desenvolvida. Não conheço a escrita da autora, mas já estou bem curiosa!
    Linda resenha e muito motivadora.
    Obrigada pela dica, espero ter a chance de conferir.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi! Que bom que a série está mantendo a qualidade. Adoro livro em que vemos o amadurecimento dos personagens. Não sabia que era um livro nacional. Beijos

    ResponderExcluir
  10. Ola!
    Depois da primeira resenha, fiquei curiosa e com vontade de ler a série. O segundo já me agradou muito, o amadurecimento da personagem é maravilhoso, mas fiquei triste por ela querer fazer aborto, fiquei bastante com raiva dela por isso, mas mesmo assim desejo ler.

    ResponderExcluir