Reunião de família - Lya Luft

Título: Reunião de Família
Autor: Lya Luft
Páginas: 125
Ano: 1982
Editora: Nova Fronteira
Gênero: Romance brasileiro
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:                
Sinopse: Criados de forma severa por um pai repressor e violento, Alice, Evelyn e Renato cresceram marcados pela insegurança, submissão, desconfiança, desunião e, acima de tudo, pela falta de amor. Quando o filho de Evelyn morre em um trágico acidente e ela passa a se comportar de forma estranha, acreditando que o menino ainda está vivo, a família decide se reunir para ajudar a irmã caçula. Mas nada acontece como esperado: o fim de semana que deveria servir para unir transforma-se numa catarse de culpas e segredos, um terrível jogo da verdade no qual os papéis de vítima e algoz se invertem. 'Reunião de Família', terceiro romance de Lya Luft, compõe com 'As Parceiras' e 'A Asa Esquerda do Anjo' o que alguns críticos consideram a 'trilogia da família'. Neles são dissecados alguns dos valores que dão sustentáculo a nossa sociedade e são destruídas as falsas aparências que, em detrimento de todos os impulsos de vida e autenticidade, se constroem a partir de uma opressão mutiladora. Neste livro, o leitor encontrará, em uma linguagem sóbria e refinada, os conflitos familiares dramáticos diante de situações extremas que tanto fascinam a autora: a incomunicabilidade e amor, solidão, morte, mistério e busca de sentido.


"A gente agarra coisas banais querendo segurar a vida."
Resenha: Primeiro livro que leio da escritora Lya Luff e minha primeira impressão foi: UAU! Ela escreve esse livro em um tempo psicológico na cabeça de Alice e vemos e entendemos tudo o que ela vê, ou seja, as outras personagens conheceram e entenderam a partir de como ela nos apresenta. Esse é meu primeiro livro que leio nesse tempo e narração. É muito diferente, não estou acostumada, porém é uma nova visão da realidade que ela (Alice) nos conta.

Alice é uma senhora que casou aos 18 anos, ainda é casada, têm dois filhos adultos e que trabalham e ainda vivem com os pais, mas ambos são tranquilos, segundo o que ela conta e está tudo bem. Ela é uma ótima dona de casa, não quis trabalhar fora, então ela cozinha, lava, passa e não se cuida, ou melhor, ela não cuida e não liga muito para aparência.

Sua cunhada, Aretusa, convida para ela passar o fim de semana na casa de seu pai. Seu pai está idoso, não tão lúcido. Sua irmã e o cunhado vivem com ele, mas sua irmã não está muito bem, ou finge não estar (essa parte ainda estou processando em minha mente), pois ela perdeu o filho de oito anos a alguns meses e age como se ele estivesse vivo. Não fala, mas age assim, ela anda sempre com o boneco que a criança vivia agarrada. Seu cunhado é fraco, boco e ama demais a esposa e deixam-na como está e vida que segue. Seu irmão mora no mesmo bairro, mas continua do mesmo jeito fraco, só, triste, enfim.

O pai deles, desses três irmãos, não foi um bom pai. Castigava-os por pouca coisa, batia neles, era genioso, mau, ruim. Era um homem desprezível. A mãe era muito jovem e segundo o que eles sabem morreu de triste por ter casado com um homem assim. Ou seja, todos sofreram o pão que o diabo ameaçou. Sempre que algum deles fazia algo colocava a culpa em outra para que não levasse surra. A emprega que os ajudava ainda reside lá e não pode fazer muito, mas fazia o que podia, para que o professor não os machucassem.
Eles aprenderam a serem dissimulados, falsos. A terem seus próprios segredos.

Aretusa é uma mulher ousada, melhor palavra educada que encontrei. No tempo / ano que conta-se a história foi um fato, tenso. Ela, na juventude, ter perdido a virgindade. E não para por aí. A mulher sempre foi uma safada. Mostrava partes íntimas para Alice, mas Alice não é santa, não, viu!? Alice é sonsa.

Isso mesmo! Sonsa!! Acha-se a purita, porque é casada, tem marido bom, é dona de casa e tal, mas a vida dela é revelada nessa Reunião de Família, nesse fim de semana que Aretusa a convida para visitar o pai e a irmã. Muitas coisas ruins serão reveladas a todos. Cara a cara cada um vai mostrar de fato que são.

Uma coisa que achei bem diferente a realidade que Alice cria a partir dos momentos que ela olha para o espelho.Como se fosse uma realidade paralela onde tudo é possível e onde ela vê mais do que de fato parece existir.

Recomendo para todos que desejam conhecer como são suas narrações e ver como é diferente ler em um tempo psicológico e não cronológico.

9 comentários

  1. Se não me estou enganada conheço outras obras desta autora que não estou me lembrando neste momento, que inclusive possuo, mas ainda não tive oportunidade de ler. Enfim acredito que mostra está realidade através de uma visão psicológica e não cronológica, e algo bastante diferente, porém poder acompanhar este encontro familiar onde segredos, e verdades serão reveladas, já me chamou a atenção, e pretendo sim ler.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, confesso que nunca tive contato com esse tipo de escrita, que parece ser mais profundo e ser capaz de relevar novas perspectivas das personagens. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Raquel! Não conheço a autora e suas obras, mas já gostei do tipo inovador de escrita que ela tem. Abordar as relações familiares é um terreno bem delicado, pois geralmente as relações são muito conturbadas. Esse livro deve ser um poço de revelações bombásticas sobre os personagens, como você deu a entender na resenha. Só achei a capa um pouco sem graça. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Que resenha incrível! Achei a leitura desafiante... quero tentar!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Eu não conhecia esse livro, mas achei ele bem diferente. Eu também nunca li nenhum livro nesse tempo, mas eu acho que iria estranhar muito isso. Achei a história bem interessante, mas não sei se quero ler. Com certeza é um livro bem diferente do que eu costumo ler, e não sei se iria gostar muito...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia nenhum livro escrito desse forma e nesse tempo, e isso me chamou muito a atenção. Eu achei a história um pouco confusa, mas acho que vou entender ela melhor quando estiver lendo. Eu fiquei bem interessada nesse livro por ser tão diferente, e já anotei ele aqui na minha listinha. Adorei conhecer ele =D
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Nunca li nada nesse estilo, mas parece ser bem interessante. Já vi falar dessa autora, mas não conheço seu modo escrever.
    Por ser uma leitura diferente de tudo que estou acostumada, será um desafio. Quem sabe um dia!
    Excelente resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi! Nunca li nada da autora, e nunca li um livro nesse estilo. Foge um pouco da minha zona de conforto, mas acho que não custa conferir. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Que história em, fiquei um pouco confusa em algumas parte, mas deu para perceber que a história é muito envolvente é incrível. Não tinha conhecimento do autora mas gostei muito desse livro dela.

    ResponderExcluir