O Livro de Memórias - Lara Avery

Título: O Livro de Memórias
Autor: Lara Avery
Páginas: 348
Ano: 2016
Editora: Seguinte
Gênero: Literatura Juvenil
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Amazon | Americanas
Nota:    
Sinopse: Sammie sempre teve um plano: se formar no ensino médio como a melhor aluna da classe e sair da cidade pequena onde mora o mais rápido possível. E nada vai ficar em seu caminho — nem mesmo uma rara doença genética que aos poucos vai apagar sua memória e acabar com sua saúde física. Ela só precisa de um novo plano. É assim que Sammie começa a escrever o livro de memórias: anotações para ela mesma poder ler no futuro e jamais esquecer. Ali, a garota registra cada detalhe de seu primeiro encontro perfeito com Stuart, um jovem escritor por quem sempre foi apaixonada, e admite o quanto sente falta de Cooper, seu melhor amigo de infância de quem acabou se afastando. Porém, mesmo com esse registro diário, manter suas lembranças e conquistar seus sonhos pode ser mais difícil do que ela esperava.
Resenha: 
  Samantha McCoy está longe de ser uma menina comum. Determinada ao extremo, ela tem sua vida inteira traçada com cada passo que ela deverá seguir para atingir o sucesso em seus planos, que consistiam em vencer o campeonato de debates - esses tipos de campeonatos são muito comuns nos Estados Unidos - juntamente com  sua "quase" amiga Maddie, ser oradora da turma e cursar a NYU, a universidade em Nova York que ela tanto sonhou e que conseguiu ser admitida. Ela não via mais sentido em permanecer no lugar em que nasceu, uma região montanhosa no norte do país, pois achava o lugar muito pequeno para seus grandes sonhos, e que lugar melhor para realizar sonhos do que a Grande Maça?

  Uma das coisas que Sammie mais se orgulhava era a sua capacidade de memorizar as coisas, ela tinha uma memória surpreendente e de causar inveja, até o momento em que ela descobre que está com uma rara doença genética chamada Niemann-Pick C, comumente chamada de NP-C, em que os sintomas resumem-se a perda da função motora, ossos e músculos fracos, e pior de todos os sintomas, demência, ou seja, logo Sammie iria perder sua memória, até mesmo esquecer quem é. Mas, ao contrário do que muitos imaginavam, ela não abaixou a cabeça para essa doença e continuou a lutar pelos seus objetivos. Ela estava disposta a provar que mesmo com essa doença fatal, ela estava seria capaz de vencer cada etapa que idealizou para a sua vida. Para isso, ela começou a escrever um livro de memórias onde passou a escrever tudo que acontecia na sua vida, e até mesmo acontecimentos passados, com intuito de relembrar a Sam do futuro de todas as memórias que a doença levou e de seus objetivos futuros. Na cabeça dela, tudo iria dar certo, e como tinha grandes chances de sobreviver - a maioria dos casos de morte acontecera a crianças - ela estava mais determinada que nunca.
"[...] Pensei na minha mãe e no meu pai e naquela frase terrível: 'reconhecer suas limitações'. Talvez o contrário do que ele queria dizer também também fosse válido. Todas as limitações de que meu pai e minha mãe falavam não passavam, por enquanto, de hipóteses impostas sobre mim por outras pessoas. Eu estava indo atrás dos meus próprios objetivos"

   Paralelamente a todos esses acontecimentos, Sammie reencontra Stuart, um antigo amor de escola que havia se formado um ano antes, se mudado para Nova York, e agora retornava à cidadezinha em que morava. Os dois se conheciam de vista e acabam se aproximando mais em uma festa de amigos em comum. Surge daí um namoro que será muito importante para Sammie conseguir seguir em frente com seus sonhos. Ela o admira por ter ser tornado um escritor, por ter uma vida ativa em Nova York, Stuart praticamente é o seu espelho, o que a impulsiona a não desistir da sua vida. Contudo, nossa protagonista não poderia se basear apenas nessa visão de mundo, e é com esse objetivo que Cooper retorna a vida de Samantha. Os dois já foram grandes amigos no passado, mas por um mal entendido se afastaram com o tempo. Eles retomam a amizade de uma maneira não muito convencional - Sam conta a Cooper sobre sua doença em um momento de desespero - e passam a ficar a cada dia mais próximo um do outro. Cooper é a pessoa responsável por levar à Sammie um outro olhar sobre a vida, um não tão grandiosos quanto Nova York, um mais simples, mais próximo da realidade que a cercava e que era igualmente bela, ela só precisava perceber. Em momento algum isso se torna um triângulo amoroso, entretanto essas duas visões de mundo ajudam a Sammie a reorganizar seus planos, pois a cada dia que passa a doença se agrava mais, sua memória passa a falhar com mais frequência, e a partir desse momento em que ela percebe que não se pode ter tudo, mas que não ter tudo não era o fim do mundo por razões que ela só percebeu, e nós também, no decorrer da trama.

  O Livro de Memórias é contado nesse formato de diário/livro, narrado pela protagonista, mas com pequenas interferências de amigos e familiares, o que tornou tudo mais especial, pois podíamos ler opiniões diferentes quanto aos momentos vivenciados com personagem, e alguns relatos emocionantes. Além disso, o livro em si se divide implicitamente em dois momentos: O momentos em que ela não leva à sério a sua doença e o momento em que ela tem noção da gravidade do NP-C, e de certa forma nós também. Parece que estamos diante de duas Samanthas, e posso citar como exemplo a sua visão quanto a NY. Na primeira parte ela tem aquela visão sonhadora quanto a cidade, o lugar onde os sonhos se realizam, o lugar almejado que a tiraria daquela cidadezinha. Já na segunda parte, a personagem já tem uma visão totalmente diferente através das experiências vivenciadas pelas pessoas próximas a ela, uma visão mais realista da cidade, onde nem todo mundo obtêm sucesso. É  o embate entre a Sammie versus Sam do futuro (essa mudança de apelido é muito importante para designar uma mudança de personalidade, da Sammie da cidadezinha para a Sam independente e realizada do futuro). O que ela vai percebendo com o tempo é que a Sam do futuro é algo totalmente idealizado, que talvez ela não alcance, e que sua felicidade não depende disso, pelo contrario, que ela poderia o encontrar em coisas simples da vida coisas que ela nem se dava conta por estar presa a um ideal que talvez não a pertencesse (digo "talvez" porque tudo pode acontecer nessa história).

Completamente emocionante, esse livro mexeu comigo de uma forma surpreendente. Podemos acompanhar o agravar da doença através da escrita da personagem que vai apresentando erros com forme o tempo, e isso foi extremamente tocante. O final foi um dos mais emocionantes que eu já li, nas últimas páginas eu já estava em prantos, mas valeu muito a pena. Indico a todos que apreciam uma boa leitura, com uma linda história que vai muito além da romântica, que envolve família, sonhos, amizade, enfim, uma história que fala sobre o sentido das nossas vidas.


Um grande beijo e boa livroterapia!  

7 comentários

  1. Tem algum tempo que quero ler esta estória, exatamente por ser muito bem construída, envolvente, cativante, com uma premissa que fala sobre o sentido da vida, e nos faz abraçar estes personagens de forma que conseguimos sentir empatia pelo que estão passando. Acredito que irei ter um misto de emoção durante a leitura, mas o mais ainda com certeza irei me debulhar em lágrimas como você.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu acho a capa desse livro linda, e ela é uma das coisas que mais me atrai nele. Acho essa história bem interessante, e acho que vou gostar bastante dos personagens, porém livros com doenças assim sempre me abalam muito. E eu sempre carrego aquela pontinha de esperança. Gostei que este livro é organizado em forma de diário, eu acho que isso vai nos deixa mais próximos do personagem. Adorei a resenha e quero muito ler o livro!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá Cinthia! Estou muito emocionada com a resenha! Me identifiquei com a personagem pois também sou um pouco nerd e sonho grande. Livros que nos fazem chorar são os melhores, e esse faz cm que reflitamos sobre várias coisas que permeiam nossas vidas. Com certeza irei ler. Obrigada pela dica! Beijos

    ResponderExcluir
  4. Confesso que compraria esse livro pela capa, sempre achei ela super linda. Eu sempre procuro ler livros que me fazem refletir, e esse parece ser um livro bem tocante e com uma história muito bonita. Nunca li nada da autora, mas parece que ela fez um trabalho incrível nesse livro. E também acho que vou gostar muito do jeito da Sammie.
    Já tinha vontade de ler esse livro, agora minha vontade só aumentou kkkkk
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Livros com toda essa carga emocional e que nos fazem refletir sobre a vida, sempre são leituras imperdíveis. Tenho muita vontade de ler esse livro, espero que em breve possa fazê-lo.
    Sua resenha está perfeita e me motivou muito a fazer a leitura.
    Obrigada pela dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi! Meu Deus, eu acho que não teria forças pra ler esse livro. Ao ver a mudança da escrita da personagem por causa do agravamento da doença, eu ficaria extremamente triste. Acho que esse vou deixar passar por enquanto. Beijoss

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Amei o livro, nele mostra uma personagem que apesar de descobri uma doença não se deixa abalar por isso, simplesmente procura soluções e tenta se ajudar, e também nunca desistir dos seus próprios sonhos e amei essa personalidade forte dela. Um livro que com certeza já uma reflexão maravilhosa!

    ResponderExcluir