Resenha: A Traidora do Trono (A Rebelde do Deserto, 2) - Alwyn Hamilton

Autor: Alwyn Hamilton
Páginas: 496
Ano: 2017
Editora: Seguinte
Gênero: Ficção juvenil
Adicione: Skoob
Onde Comprar: AmazonSaraiva
Nota:      

Sinopse: Amani Al’Hiza mal pôde acreditar quando finalmente conseguiu fugir de sua cidade natal, montada num cavalo mágico junto com Jin, um forasteiro misterioso. Depois de pouco tempo, porém, sua maior preocupação deixou de ser a própria liberdade: a garota descobriu ter muito mais poder do que imaginava e acabou se juntando à rebelião, que quer livrar o país inteiro do domínio do sultão. Em meio às perigosas batalhas ao lado dos rebeldes, Amani é traída quando menos espera e se vê prisioneira no palácio. Enquanto pensa em um jeito de escapar, ela começa a espionar o sultão. Mas quanto mais tempo passa ali, mais Amani questiona se o governante de fato é o vilão que todos acreditam.





Resenha: 

Estou encantada com a sequência do livro: A Rebelde do deserto (leia a resenha aqui).

Além de o livro ser todo caprichado com a capa, a revisão excelente a história se desenrola muito bem.

Antes de começar de fato a história da nossa Rebelde (Amani), o livro mostra um mapa indicando alguns lugares do deserto que o sultão tem em mãos; uma lista dos personagens (então quem esqueceu algum, vale a pena relembrar),  mitos e lendas que são os mesmo do primeiro livro... Enfim, leia para não se perder com tantos nomes de personagens distintos, porém tem personagens novos e diferentes.

A história começa contando o que o sultão fez para tomar o trono de seu pai e ele foi/é muito cruel, mas também é cauteloso e esperto. Sempre calmo em qualquer atitude que deva tomar. Dá uma certa tensão quando a personagem é calma demais. Em seguida fala onde está Jin e o que ela está observando para ajudar seu irmão a ser o sultão.

Um pouco mais adiante vemos nossa traidora, Amani. Ela está em missão para salvar e ajudar as pessoas da cidade de Salmorati, espero que o nome esteja certo. Portanto ela consegue com ajuda das outras dmidji e encontra uma parenta que ela pensava que estava em Izman, só que, por coincidência ou nem tanto ela a ajuda e traz para o acampamento do príncipe Ahmed.

A história vai seguindo e ela acaba sendo traída por quem não e esperava e torna-se prisioneira do sultão e a cobiça do sultim, mas ela está lá para, contra sua vontade, invocar seu pai, um djini. Aí que a história deslancha... Amani acaba não só sendo informante para a rebelião, mas também faz aliados na corte. Alguns a ajudaram outros... será uma facada no coração, piadinha estranha....kkkk

Portanto, ela consegue ajudar seus aliados, mas também é uma traidora, pois o sultão a tem em suas mãos e nem tudo acaba bem. Entre muitas guerras e armadilhas já não sabem que realmente está bem, ou quem vai sobreviver.

Recomendo, com certeza, para você que leu o primeiro gostou e estava esperando o segundo e vai esperar ansiosamente o terceiro. É uma leitura muito agradável, muito bem traduzido, são muito bem contadas as lendas e os mitos, tem todo o sentido na história e é escrito de uma maneira simples de entender.

Um comentário

  1. Belíssima Resenha, Raquel! Amei! Vou começar a ler o livro 1. Bjs

    ResponderExcluir