Resenha: Tudo o Que Ela Quer - Erika Rossas

Autor: Erika Rossas
Páginas: 400
Ano: 2015
Editora: Independente
Gênero: Jovem Adulto
Adicione: Skoob
Nota:   
Sinopse: Sara Montezuma é exatamente o que qualquer mocinha de romance jamais pensou em ser. Ela é a rainha do drama e da manipulação, odeia responsabilidades, só gosta dos caras errados e vive constantemente de ressaca.
Que ela sempre foi meio narcisista e politicamente incorreta, todo mundo já sabia. Mas tentar pular o muro do colégio é certamente o estopim. O resultado dessa pequena aventura? Um carimbo de expulsão no histórico escolar e uma viagem só de ida para a bonita e tranquila Campos do Jordão.
No final das contas, a mudança não era um castigo tão grande assim. Ela ia morar em um dos destinos de férias mais famosos do Brasil, dirigir o Bel Air 57 do pai sem carteira de motorista, conhecer os turistas mais gatos que podem existir e, acima de tudo, ficar bem longe de todas as memórias ruins envolvendo a morte trágica do padrinho.
É um novo começo. E Sara está se divertindo como nunca. O único problema é que aqueles últimos meses tinham deixado todos devastados e, mesmo com todas as festas e distrações, superar o passado é muito mais difícil do que ela poderia esperar. Mas não se chamaria Sara Montezuma se nem ao menos tentasse!
Tudo o que ela quer é uma história pra lá de audaciosa, feita principalmente para quem já cansou de ler sobre mocinhas comportadas e príncipes em cavalos brancos.


Resenha           

Tudo o que ela quer é um romance, mas sem nenhum príncipe encantado ou menina sonsa, no qual logo percebi no prólogo da história, a menina possuiu uma personalidade que me fez pensar " Essa menina é louca, só pode" mas também me fez dar muitas gargalhadas do que ela falava e fazia.

A menina que estou falando é Sara Montenuza que é descendente de japoneses e filha única de um médico, que está passando por várias mudanças incluindo a de sua cidade São Paulo por uma mais calma, Campos do Jordão.

Japa ama a noitada de São Paulo e tudo que ela propõe para ela, acredito que o amor dela sejam a Vodca e implicar o seu amigo de infância Bosi que foram criados juntos.  Quando ambos estão juntos são farpas por todos os lados que chega ser cômico, pois Japa é encrenca e o Bosi é certinho demais, e é muito zoado pela menina que vive brincando sobre a sexualidade dele, que por sinal já estava acostumado com isto.

Em São Paulo, ela não podia ficar quieta como o seu pai tinha em mente que aconteceria se caso mudasse para uma cidade calma, no qual isso não aconteceu, já que em sua chegada em Campos de Jordão ela chega aprontando e mostrando a Sara que todos conhecem.

Acontecem alguns problemas com a mãe de Bosi e o pai de Japa resolve trazer ambos para Campos do Jordão.

Os personagens são divertidos com as suas personalidades definidas, sem contar o enredo que é bastante divertido e bem escrito, pois não encontrei nenhum buraco que não fora preenchido no decorrer da história.

Teve alguns momentos que achei a Japa um tanto forçada e outros que tive vontade de pular no seu pescoço por ser tão egoísta, apesar disto ainda gostei bastante da personagem e o seu jeito bizarro de ser.

No decorrer da leitura vejo as mudanças que ela teve e suas indecisões de qualquer adolescente até me identifiquei com ela em certos momentos.

O desfecho da história deixou aberto uma continuação que espero que tenha, pois vou adorar mais sobre Bosi, Japa e o Bad Boy.

O livro é uma comédia romântica com um certo humor negro que gostei bastante, afinal deu um toque diferente e especial ao livro.

Um comentário

  1. Oi, como vai? Tenho dificuldade para gostar de personagens mesquinhas, ainda mais aquelas inconsequentes, mas no final acabo gostando e adorando a leitura, espero que este seja um desses livros.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir