Resenha: Kitty - Elle S.

Autor: Elle S.
Páginas: 295
Ano: 2014
Editora: Arwen
Gênero: Ficção, Romance
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Editora Arwen
Nota: 
Sinopse: Kitty é uma gata sarcástica e cheia de mistérios que aprendeu a viver nas ruas há mais de quatrocentos anos. Independente e esperta, ela foge de qualquer contato humano, já que deixar-se ser adotada é o seu pior pesadelo. O grande medo dessa felina é que alguém desperte dentro dela o seu maior segredo.
Vivendo nos becos da cidade de São Paulo, Kitty conquista o coração de Eduardo e, contra sua vontade, vira um animal de estimação. Tudo o que essa gata não queria que acontecesse.
Entre as diversas tentativas de fuga, ela se vê cercada de afeto e carinho pelo seu novo dono e começa a ser cativada. Então, é Eduardo, seu dono ruivo e charmoso, que desperta o que Kitty tem de pior. Quando ele deseja que sua amada amiga de estimação seja mais do que ela realmente é, a gata precisa correr contra seu próprio instinto.
Ser quem ela foi condenada a ser, ou viver como quem ela verdadeiramente é? Dividida entre duas espécies, Kitty precisa decidir o destino de sua vida para viver um grande romance.
Resenha: Kitty reune tudo que eu gosto em um livro: romance, fantasia e uma dose de mistério. Kitty é uma gata de rua com a pelagem de cor e olhos marcantes, como todo felino, Kitty é independente, arrogante e cheia de si mas ela também possui um outro lado que é sensível, sarcástica, mal humorada, teimosa e às vezes indecisa.

Ela está acostumada a se virar sozinha, mora em um beco escondido e consegue comida em um restaurante local mas se engana quem acha que a cidade de São Paulo não tem os seus perigos para uma gata de rua Kitty não é uma gata comum, ela tem 400 anos e ao longo dos anos ela aprendeu truques e viu a cidade de São Paulo se transforma no que era hoje.
Eu aprendera da pior forma que o amor era uma loteria e os números eram escolhidos para nós
Eduardo é dono de um restaurante, ilustrador, desenhista, uma pessoa muito boa mas com baixa estima e de quebra ainda coleciona uma ex namorada abusiva e megera. Em uma discussão com sua ex, bebe todas e acaba no beco que Kitty mora, vê e acha que é um gato macho resolve adotar o gato de rua, mas para Kitty foi uma ofensa e não ficou nada feliz de ser levada visto que rua é como sua casa e está convivência com Eduardo pode ameaçar o segredo que Kitty esconde.
Quando ele me chamava, eu não era uma gata, era simplesmente dele. Não era o que uma gata deveria ser, eu apenas pertencia docilmente ao meu ruivo dono.
A premissa e prefácio do livro chama bastante atenção visto que tem uma ideia original sem falar que é um prato cheio para os amantes dos animais.

A capa de Kitty ficou linda tanto na versão de capa dura como na versão de capa comum e mais importante ela representa a história, a diagramação também estava boa, a autora só se enrolou com a estrutura do livro.

O livro é escrito na primeira pessoa, o que fez aumentar o mistério sobre o segredo que Kitty esconde. A escrita da autora é perfeita, tornando assim a leitura fluida e com personagens bem construídos que faz você se apegar a eles ou simplesmente odiar outros. Confesso que algumas características dos personagens me incomodou um pouco como a baixa autoestima de Eduardo e a teimosia exagerada de Kitty insistindo na mesma coisa várias e várias vezes.

O início começou muito bem, instigando o leitor, com personagens bem elaborados e marcantes, só que com o desenrolar da história foram acrescentado algumas cenas que poderiam se enxugadas sem prejudicar o enredo pois foi dado muita ênfase em algumas cenas e os capítulos finais mereciam uma dedicação maior não houve teve o que acabou deixando a desejar, dando a sensação de vazio e vários questionamentos sobre o passado e sobre os personagens e que deveria ter trabalhado melhor os esses detalhes e reviravoltas. Apesar desses pontos conseguiu, fazer com que eu aproveitasse e gostasse e apreciasse a leitura.

O romance é bem trabalhado e esteve em sua maioria no foco da história mas como amante de uma boa ficção gostaria que esse foco tivesse sido dividido pois o lado da fantasia da história poderia ser explorado através do passado de Kitty, referências e o que fez de Kitty se quem ela era ou até mesmo explorado a decisão sobre a vida de Kitty no final, não deixando pontas soltas.

Nenhum comentário

Postar um comentário