Resenha: O Caso da senhorita canhota - Nancy Springer

Autor: Nancy Springer
Páginas: 215
Ano: 2010
Editora: Novo Século
Gênero: Ficção norte-americana
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon, Submarino
Nota:             
Sinopse: Os mistérios de Enola Holmes continuam a intrigar os leitores mais uma vez nesta aventura incrível e perigosa. A jovem inglesa permanece solitária, vivendo sozinha na maior, mais sinistra e suja cidade do mundo. Sua mãe ainda é uma incógnita, e para dificultar essa busca, Enola está sendo procurada pelo detetive mais famoso do mundo - seu próprio irmão, Sherlock Holmes. Para que possa continuar livre, ela precisa enganá-lo. Ao encontrar um esconderijo cheio de brilhantes desenhos feito a carvão, ela sente como se fosse uma alma gêmea da garota que fez aquelas obras de arte - mas a garota, a jovem Srta. Cecily desapareceu sem deixar rastros. Desbravando as ruas sombrias onde os assassinos espreitam, Enola deve descobrir como as pistas - uma escada inclinada, um balconista vesgo e alguns panfletos de política - podem levá-la a encontrar a moça canhota. Mas para salvar Srta. Cecily de um poderoso vilão, Enola se arriscará a revelar mais do que ela pode. Será que seu próprio coração solitário a trairá?


 Resenha: 

Esse é o segundo livro de uma série sobre a Enola Homes e seus casos, entre outras coisas. E mesmo sabendo que é o segundo não fiquei perdida em nenhum momento. O livro conta um pouco da vida que a irmã mais nova de Sherlock tem. Ela tem 14 anos e vive sozinha. Isso mesmo o que você leu. Em pleno fim do século XIX. Ela morava com sua mãe, porém sendo uma sufragista ela decide viver com os ciganos e prepara a filha para viver sozinha em Londres. Sua mãe deixou uma boa fortuna para que ela se vire e corra atrás do que quer. Seja o que for.

Mesmo Enola, que ao contrário é alone, tendo 14 anos e vivendo sozinha, a meu ver dá a impressão que ela tem mais, por exemplo uns 18 anos, pois ela lida com as coisas de uma maneira madura.

Ela se depara com um caso se fazendo de secretária de um vidente e acaba pegando esse caso. De uma jovem que segundo os pais fugiram de casa e em meio a diversas investidas em saber o que realmente aconteceu o seu irmão Sherlock está atrás dela todo preocupado, por ela ser tão jovem, sozinha, sem ninguém para orientá-la. Significando que no fundo ele tem um coração e pensa em alguém além dele mesmo.

Não sei se na história original realmente ele teve uma irmã ou é só uma invenção da autora.

O livro é bem juvenil. Tenho certeza que qualquer adolescente vai querer ler e acompanhar a série, infelizmente, só tenho esse livro.

Recomendo a todos que querem uma leitura agradável, tranquila e boa para dar umas risadas com as trapalhadas da Enola.

Nenhum comentário

Postar um comentário