Resenha: A Captura de Cérbero (Agatha Christie) - John Curran

Autor: John Curran
Páginas: 96
Ano: 2009
Editora: Leya
Gênero: Literatura Ingles (Biografia)
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Livraria da Folha
Nota:
Sinopse: Este livro de John Curran traz o conto de Agatha Christie, intitulado “A Captura de Cérbero”. Título este que foi inspirado nos Trabalhos de Hércules, uma referência a um livro da autora inglesa.
Hércule Poirot entra em cena para descobrir um personagem que está morto. O filho de Lutzmann, Hans, é acusado de ter matado Hertzlein (um nazista). O pai, contudo, afirma que o filho não é o autor do crime: “Meu filho não matou Hertzlein.” Lutzmann pede ajuda a Poirot para desvendar o verdadeiro autor.
Conforme descrição de John Curran o fato de o conto não ter sido publicado na Revista The Strand é um mistério. Em tese o conto deveria ter sido publicado dando a conclusão aos doze trabalhos de Hércules. 



Resenha: Esse livro, em específico, é para quem realmente gosta, ama o trabalho da Agatha e seus livros, pois além de ser um conto, A Captura de Cérbero (para quem não sabe é um monstro, na forma de cachorro com três cabeças e um demônio que vive no submundo).

Esse conto teria sido escrito e seria lançado em um jornal bem no começo da carreira da Agatha, porém ele citava muitas pessoas da época que não fizeram coisas boas, digamos assim.

Ele conta a história de Poirot, que está em Genebra e encontra uma conhecida, e ela acaba falando que ele é tão bom que reviveria até um morto. Seu amigo que esta junta a ela acaba desconfiando disso e acaba por pedir ajuda e um assunto particular.

Poirot como já provou ser um excelente detetive/ policial, enfim faz seu trabalho brilhantemente e descobre o que realmente acontece e quem está vivo e logo se vai deves.

Fora esse conto, Curran cita várias histórias dela e que ela escrevia e reescrevia avidamente em seus diários. Salvo engano são 78 diários e que não tem nenhuma ordem, pois ela mesma, às vezes nem se achava e escrevia o que vinha a sua mente em qualquer folha branca.

Como o papel na época não era tão bom, algumas páginas estão borradas e ilegíveis. Mas tenho certeza que adoraria ler seus diários, além de seus livros, contos, e afins.

Recomendadíssimo para que é fã ou que ama, ou até que é fascinado em suas história. Fora isso vai ser um pouco difícil entender a que história ele menciona e se refere.

Nenhum comentário

Postar um comentário