Luva Vermelha - Mestres da Maldição, 2 - Holly Black

11 de fevereiro de 2020

Título: Luva Vermelha
Autor: Holly Black
Páginas: 368
Ano: 2014
Editora: Rocco Jovens Leitores
Gênero: Ficção, Literatura Estrangeira
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Saraiva | Amazon
Nota:   
Sinopse: Cassel Sharpe nasceu em um clã de golpistas de primeiro time. O que os difere de outros vigaristas, no entanto, é que eles são capazes de operar maldições apenas com o toque dos dedos. Na continuação de Gata Branca, primeiro volume da bem-sucedida série Mestres da Maldição, o jovem Cassel já sabe que ele é um mestre da maldição muito poderoso. Recrutado pelos federais para ajudar a desvendar o assassinato de seu irmão mais velho, Cassel se vê entre a lei e a máfia, que sabe o quão valioso ele pode ser. Mas a quem ele deve recorrer se não pode confiar em ninguém – menos ainda em si mesmo? 


Resenha:

“A magia nos dá muitas escolhas.
... A maioria delas é ruim.”

Luva Vermelha é o segundo livro da trilogia de fantasia da autora Holly Black, Mestres da Maldição, publicado no Brasil pela editora Rocco, em seu selo Rocco Jovens Leitores.


Por se tratar de uma série, esta resenha possui spoiler do primeiro livro da trilogia, Gata Branca, cuja resenha nós temos publicada, para ler basta clicar na imagem abaixo.

                                                        

Vamos lembrar um pouco desse mundo de mágico de Holly Black?

Aqui temos um mundo muito parecido com o nosso, porém com um único detalhe diferente, que torna tudo, totalmente estranho, ou como gosto de dizer... Exótico.

Magia 

Algumas pessoas são capazes de realizar magias, bastando um toque de suas mãos. Existem varias tipos de magias, que nesse universo são consideras maldições, daí o nome: mestres de maldições, que é o titulo que as pessoas capazes de manipular essa energia ganham, os mestres podem: matar, apagar memórias, manipular emoções, ler mentes, entre outras manifestações. Porém, o uso desse dom natural, é proibido, e a sociedade considera, todos os mestres criminosos, sejam inocentes ou não. Para evitar que os poderes sejam usados. Luvas são obrigatórios, e o ato de tocar em alguém sem luvas, pode ser considerado um ataque, ou um ato de extrema intimidade e confiança entre pessoas.

No primeiro livro conhecemos o jovem Cassel Sharpe, que vive em um colégio interno, até que começa a ter surtos de sonambulismo que ameaçam a sua vida, com isso, a diretoria do colégio, acredita que ele esta sendo ameaçado por algum mestre da maldição rival a sua família.

Enquanto ele lida com seus problemas, e tenta conseguir um modo de voltar a escola Cassel, começa a desvendar o mistério que é a sua própria vida.

Com dois irmãos mais velhos, todos ligado a uma poderosa família de mafiosos, ele descobre que ao em vez de ser um assassino, que matou sua melhor amiga, ele é um tipo de mestre muito raro, que não a matou, porém, e transformou em um gato.

Lilá então em forma de gato branco resolve fazer de tudo para que Cassel a transforme em humana de novo e com isso o joga no meio de uma intricada intriga entre sua família, os irmãos de Cassel – Philip e Barron – e a policia.

Após tudo ocorrer com relativas perdas durante o processo, Cassel, acredita que sua vida vai voltar ao normal, ou o mais normal possível para alguém como ele, quando no começo do segundo livro, ele precisa lidar com as repercussões das suas ações no primeiro livro e uma nova reviravolta em sua vida.

Seu irmão mais velho Philip é morto, e a policia federal recruta Cassel, para que ele seja um informante deles, e os ajude a desvendar o que houve com seu irmão.

Mas é claro, que nada disso é fácil, já que ele se encontra em uma delicada posição. Se as famílias mafiosas descobrem que ele esta ajudando a policia, ele seria considerado um traidor, e isso seria uma sentença de morte para toda a sua família, se ele se recusar a ajudar a policia, bom...

“Achei que jamais conseguiria trair minha família, jamais enfeitiçaria quem amo, jamais mataria alguém, jamais seria como Philip, mas me torno a cada dia mais parecido com ele. A vida é cheia de oportunidades para tomar decisões ruins que parecem boas. E, depois da primeira, o resto fica bem mais fácil.” 

O segundo livro mantém o ritmo do primeiro, muitas informações são nos mostrada aos poucos, e um mistério precisa ser desvendado.

Cassel agora não está mais sozinho, ele possui dois amigos leais – Sam e a maravilhosa Daneca – Lilá e sua família, porém, em muitos momentos ele simplesmente não consegue imaginar em quem pode confiar, muito menos nele mesmo.

Como já um traço que percebi na escrita de Black, ela nos entrega personagens com personalidades complexas, e cujas índoles e morais são ambíguas. Cassel, está longe de ser um herói perfeito. Com muitos defeitos e algumas atitudes e decisões que eu não consigo defender ele tanto erra quanto acerta, o que torna a leitura uma experiência muito interessante. A autora escreve de uma forma que torna os personagens bem reais, mostrando seu lado bom e também o seu pior lado.



Os personagens de apoio são tão interessantes quando os principais, e não consegui evitar criar uma empatia pelos irmãos de Cassel no primeiro livro, nesse me vi em um misto de adorar e os odiar.

Com uma trama bem equilibrada Luva Vermelha, me prendeu durante a leitura e me deixou ansiosa para ler o último livro da trilogia e saber como termina está história.

Neste livro além do suspense, dos dilemas de confiança, temos ainda espaço romance, para cenas muito bonitas onde percebemos o quão importante é ter alguém que podemos confiar, em um mundo onde sentimentos podem ser manipulados.

“A pele dela está macia e muito quente depois do ar frio da noite. Ela enrosca a perna na minha. A sensação é tão boa que tenho que sufocar um suspiro. É tão fácil. Errado, mas fácil. Tem tantas outras coisas que quero dizer a ela, e todas são injustas. O que eu faço é beijá-la, sufocando o indizível... eu te amo, sempre te amei... contra a língua dela.”
Uma leitura rápida e fluida, com personagens com muito humor e uma aventura que agrada os fãs do gênero fantasia e jovens adultos.

Até a próxima.



5 comentários

  1. Gente...eu não imaginava nunca que Gata Branca tinha sequência.rs(em que planeta vivo?)
    Eu li o primeiro há tanto tempo que admito que preciso dar uma refrescada na memória, pois fiquei meio perdida com os nomes aqui na resenha deste segundo livro.
    Mas pelo que entendi, o ritmo continuou o mesmo, com o diferencial de trazer não só mais personagens, mas também situações novas e claro, alguns segredos sendo revelados!
    Vou ter que reler o primeiro..rs
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Foi de longe as melhores obras eue a holly Black escreveu. Tambem amei os presonagens secundarios bem mais que os protagonistas. Fiquei feliz que o segundo livro foi tão bom quanto o primeiro

    ResponderExcluir
  3. Olá! Bom saber que a história continua com um ótimo ritmo e mais uma vez vai nos prender. Confesso que me interessei pelos livros, bem mais por conta da história (e da palavra magia), do que por essas capas #prontofalei (vai ver quando eu ler eu entenda melhor o porquê delas). Já estou aqui curiosa para conhecer melhor esse protagonista tão real, adoro quando nos entregam personagens com características mais reais (mesmo se tratando de ficção), acho que deixa a leitura ainda mais interessante.

    ResponderExcluir
  4. Vivian!
    Gosto quando os livro trazem personagens com personalidades ambíguas, porque ficamos sempre na dúvida das atitudes que eles podem tomar e dar uma dinâmica melhor na leitura.
    Adoro quando os livros trazem magia e fiquei intrigada com a proibição de usar a magia.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Não tinha conhecimento desse livro mas fiquei bastante curiosa pela trama. Tem uma ótima premissa. Fiquei bem interessada pelo enrendo e irei procurar para saber mais.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir