O Aprendiz de Assassino, Saga do Assassino, livro 01 – Robin Hobb

17 de novembro de 2019

Título: O Aprendiz de Assassino
Autor: Robin Hobb
Páginas: 376
Ano: 2019
Editora: Suma de Letras
Gênero: Fantasia, Ficção, Literatura Estrangeira.
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
Sinopse: Com personagens cativantes, tramas políticas complexas e lutas cheias de magia e reviravoltas, O Aprendiz de Assassino é tudo o que um fã do gênero pode esperar de uma ótima fantasia épica.
Fitz tem seis anos de idade quando seu avô o joga aos pés de um guarda real e anuncia que a partir de então o pai deve cuidar do bastardo que produziu ― e o pai de Fitz é ninguém menos que Chilvary Farseer, o príncipe herdeiro dos Seis Ducados.
Excluído pela realeza, mas importante demais para ser abandonado, Fitz é criado à sombra da corte, protegido pelo mestre dos estábulos e crescendo em meio aos criados e plebeus da Cidade de Torre do Cervo.
No entanto, um bastardo real é uma peça perigosa, e o rei Shrewd não demora a convocá-lo. Carregando no sangue a magia ancestral do Talento e uma habilidade ainda mais instintiva de se comunicar com os animais, Fitz passa a ser treinado para se tornar um assassino a serviço do rei.
Quando saqueadores selvagens começam a atacar as regiões costeiras dos Seis Ducados, Fitz recebe sua primeira missão. Embora alguns o vejam como uma ameaça, o jovem bastardo vai provar que pode ser a chave para a sobrevivência do reino.
“Exatamente como um livro de fantasia deve ser. A obra de Hobb é um diamante em meio a falsos brilhantes.” ― George R.R. Martin

Este livro foi cedido pela Editora Suma, porém as opiniões são completamente sinceras. Não sofremos nenhum tipo de intervenção por parte da Editora. 

Resenha:

“As crenças populares alegam que os nomes eram dados aos recém nascidos por magia e que devido a isso os de ascendência real não podia trair as virtudes que lhes eram atribuídas...”

O Aprendiz de Assassino é o primeiro livro da trilogia de Fantasia Épica da autora Robin Hobb, um livro com uma trama envolvente e intensa, onde os perigos podem ser encontrados tanto em ações diretas, onde os personagens lutam por sobrevivência, como nas complexas tramas políticas. Com uma nova edição lançada em 2019 no Brasil pela Suma das Letras, ela conta com novo projeto gráfico e tradução.

Temos uma sociedade medieval, e uma jornada onde toques de magia se fazem pontuais e criam um mundo misterioso e uma sociedade com um governo nobre.

A linhagem real do reino possui um dom mágico chamado talento, um talento que apesar de poder ser encontrado fora da linhagem real, por decreto de um antigo rei, o ensino dela foi legado apenas ao Rei e seu herdeiro.

Porém, graças um inimigo poderoso que começa a atacar o reino e os ducados que o formam de forma implacável e misteriosa, o talento de um jovem que não deveria existir, pode ser a única chance de salvar o reino.

Com uma escrita muito fluida Hobb, nos leva a conhecer Fitz, um bastardo sem nome, - Fitz, significa bastardo, e é assim que ele é conhecido – que nos conta sua história de vida, começando de suas memórias mais antigas, uma criança de seis anos abandonada por seu avô materno em frente a um castelo, para que fosse criado por seu pai.

Deste dia ele só lembra-se de uma voz feminina implorando para que ele não fosse dado, e de como foi recebido no castelo.

Dos anos de infância com sua mãe nada mais ficou em sua memória.

Não nomeado, não clamado por ninguém, entregue a realeza, ele descobre, que além de ser um bastardo é um bastardo real. Filho do príncipe Herdeiro Chivalry, ele descobre da maneira mais crua que nem sempre o sangue real é garantia de uma vida plena de amor, aceitação e felicidade.


Quando foi entregue no castelo onde seu tio, reconheceu sua semelhança física com o irmão mais velho. Porém, quando a noticia se espalha pelo reino e chega a corte, tudo se torna muito mais complicado. O príncipe herdeiro casado com Lady Patiente, não possui um herdeiro com sua esposa amada, e a notícia de que o nobre e sempre virtuoso príncipe tem um filho bastardo, traz sofrimento a sua esposa.

Em uma reviravolta do destino, Principe Chivalry, abdica do direito ao trono e se retira da corte, indo morar com sua esposa no campo. Mas por ordem do Rei Shrewd, Fitz é levado para crescer na corte.

Ao ser entregue aos cuidados de Burrich, o homem de confiança do pai de Fitz, - que foi deixado para trás por este quando partiu para o exílio, - ele cresce em meio ao estábulo, aprendendo tudo com este que é o mestre do estábulo e dos animais da corte. Seus momentos de liberdade são dedicados a brincar com as crianças plebeias, que não tem a mínima ideia de quem ele é.

Mas graças à força de seu sangue, o poder dele primeiro chama a atenção de Burrich, que tenta o dissuadir de usar um dos poderes peculiares que ele possui, e o outro dom o chamado talento, o poder que corre na linhagem real, acaba por atrair a atenção do próprio avó de Fitz, que enxerga muito mais além do que podemos imaginar, afinal um bastardo real, nas mãos erradas pode se tornar um inimigo formidável, ainda mais o filho de um príncipe tão querido pelo povo.

Habilmente o Rei entrelaça Fitz, em uma teia emaranhada e forte, onde prende a lealdade da criança a serviço da casa real, e o entrega para ser treinado como o assassino do rei. Antevendo o valor de um bastardo real, que pode se infiltrar onde os príncipes e herdeiros naturais não podem, já que como o rei mesmo, considera, Fitz, pode ser uma excelente arma, mas é uma ferramenta descartável.

“- Falo isso na sua frente para que saiba que não hesitarei em sacrificá-lo. Ainda quer me servir?”

Na ânsia de pertencer a alguém e ser reclamado e sem enxergar um destino melhor para si mesmo, Fitz, se entrega ao destino sombrio, e se torna um pupilo atento.

De uma forma crua e sem enrolar, Hobb, nos conta a transformação da criança em um jovem com talentos sombrios, que aos poucos sem perceber vai caindo cada vez mais nas intrigas reais.

Desejando ser mais do que o garoto não nomeado, ele se mantêm sedento por cada migalha de afeição que encontra, na forma como um dos tios o trata, como seu tutor secreto na arte refinada do assassinato, ou até mesmo no carinho bruto de Burrich, e no elo com os animais, que torna sua vida um pouco menos triste.

“- Porque o seu coração será martelado sobre ele, e sua força ganhará tempera no fogo dele...”

Até que um inimigo se torna mais poderoso do que nunca, e em ataques a costa do reino, espalha destruição, caos e um terror jamais imaginado pelo povo.

Isso força que Fitz, deixe de lado para sempre qualquer inocência e se torne uma ferramenta para o reino. Talvez o único que possa evitar que todos sejam destruídos.

Passando por um brutal e cruel treinamento no talento, ele é testado tanto fisicamente, como psicologicamente.

“– Tenha cuidado – disse por fim – pois entre as paredes do jardim. Não possuo nenhuma influencia. Lá, sou cego. Era um aviso estranho, e eu guardei bem.”

Como podem ver O Aprendiz de Assassino é um livro com uma trama rica, e muito bem escrito, com um pouco de tudo o que eu gosto em livros de fantasia épica, temos uma jornada de “herói”, enquanto maquinações, traições e intrigas políticas aquecem o caldeirão de acontecimentos.

Por ser o primeiro livro da trilogia temos a apresentação do mundo criado pela autora, que aos poucos nos entrega as informações, por ser narrado por Fitz, que conta sua história, só sabemos o que esta acontecendo pelo ponto de vista do mesmo e somente quando ele sabe de algo. Podemos assim ir aos poucos compreendendo tudo. Desde a parte política da trama, como os intrigantes poderes que ele possui. E seus inimigos.

Recomendo este livro para todos que gostam de uma trama mais profunda e equilibrada, para os fãs das crônicas de gelo e fogo (sem a parte mais apimentada ou a violência sexual), e livros de fantasias épicas.

Mal posso esperar pelo lançamento do segundo livro, pela Suma das Letras para que eu possa continuar acompanhando a vida de Fitz, o não nomeado, o abandonado... A luz bruxuleante da esperança.

Beijos e até a próxima.

8 comentários

  1. Engraçado que quando li o nome do livro bem quando foi lançado, sempre lia Robin Hood..rs
    Mas claro que vi a meleca que fazia. Este livro tem sido elogiado demais. E como é um gênero que amo de paixão, acredito que eu vá gostar demais quando puder ler a obra.
    Por ser apenas o primeiro livro, a gente já entende de cara que o roteiro é rico demais e que sim, os personagens irão crescer ainda mais!!!
    Com toda certeza, quero muito poder conferir!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Olá Vivian!
    De modo geral, A Saga do Assassino possui todos os elementos básicos de uma fantasia, porém Hobb acrescenta algumas peculiaridades envolvendo o aspecto mágico da história que corroboram para atiçar a curiosidade do leitor. Gosto dessas séries que focam bastante na formação do protagonista, e aqui é possíveL acompanhar o gradual amadurecimento de Fitz, o qual muda muito no meio de todas essas maquinações políticas.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Vivian!
    Interessante ver que a editora fez o relançamento dos livros com mudanças sutis.
    Quanto a história de Fitz, fiquei imaginando como deve ter sido a vida dele dentro do castelo onde todos o odeiam e ainda ser convocado para se tornar um assassino, mas o que me deixou mais intrigada, é para saber se ele aceita sua tarefa passivamente ou irá se rebelar...
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Olá! Nossa fiquei chocada em saber que o livro na verdade é relançamento, afinal amei o enredo e estou aqui tentando entender como é que eu não tinha visto (lido) nada sobre ele antes! Então preciso mudar isso o mais rápido possível, amo uma boa história de fantasia e tenho certeza que essa não vai me decepcionar.

    ResponderExcluir
  5. Olá Vivian,
    Eu não pensava que esse livro seria tão bem abordado e teria temas tão legais... Poxa, olha eu julgando o livro pela capa e sinopse. Mas, quando li sua resenha me despertou o desejo de mergulhar nessa história, principalmente, porque diz de muitas manipulações políticas, famílias e traição. Isso realmente me aguçou a curiosidade. E os personagens são animais, que incrível!!
    Ótima resenha,
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Lembro-me de ler algo sobre a trama, lembrava pouco. Agora ao ler novamente, me fez ter a curiosidade maior ainda ao livro. Tem uma ótima premissa é uma trama bem desenvolvidas. Espero muito conseguir ler em algum momento e saber mais sobre o pequeno garoto.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  7. Oi Vivian,
    Este livro tem bem o tipo de trama que gosto de ler e sendo fantasia (que é um gênero que curto bastante) já fiquei interessada pela leitura. A ambientação no estilo medieval, sozinha, já renderia uma boa trama, mas gostei que a autora se utilizou da magia para trazer mais elementos para a história. Fitz tem uma jornada bem longa até chegar ao seu destino final. Uma criança abandonada e tratada de forma tão desprezível, com certeza, crescerá com suas marcas e fico imaginando como isso o afetará no futuro. A descoberta dos poderes poderia ser algo bom se não fosse pela ambição e ganancia daqueles que o cercam. Fico pensando o quanto é importante ele ter alguém por perto que, realmente, se preocupe com ele, para que seus poderes não sejam usados para o mal. Gosto da narrativa em primeira pessoa, mas em livros de fantasia nem sempre isso é o suficiente. Acho que a autora se saiu bem na criação desse universo que, já no primeiro livro, introduz bem o leitor na saga do jovem Fitz.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Vivian
    Uaaau! Adorei sua resenha e a história, é bem o tipo de fantasia que gosto.
    Principalmente por começar com o Fitz criança, tem toda essa coisa de vermos ele crescer, acompanhar sua jornada e a eletrizante trama que surge.
    Parece ser um livro cheio de personagens maus que tentam dominar o Fitz.
    Quero demais ler!
    bjs

    ResponderExcluir