A Garota das Laranjas - Jostein Gaarder

10 de novembro de 2019

Título: A garota das laranjas
Autor: Jostein Gaarder
Páginas: 131
Ano: 2005
Editora: Seguinte
Gênero: Literatura Infantojuvenil
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse: Georg Roed mal conheceu o seu pai, Jan Olav, que morreu de uma doença incurável quando o garoto não tinha nem quatro anos de idade. Porém uma longa carta de despedida, escrita pelo pai poucos dias antes de sua morte, dá início a uma comunicação entre o presente e o passado. Na carta, que durante onze anos ficou escondida no forro de um velho carrinho de bebê, Jan Olav se dirige a um Georg adolescente, mais apto a entender alguns assuntos que uma criança pequena não compreenderia. O garoto, ao ler as palavras do pai, descobre afinidades secretas que tinha com ele: uma certa curiosidade filosófica, o interesse pelas fotos tiradas pelo telescópio Hubble, e o olhar atento para o universo. Em meio a reflexões e perguntas, Jan Olav conta ao filho uma história real, acerca de uma personagem misteriosa: a garota das laranjas, desconhecida que surge por acaso pelas ruas de Oslo levando sempre nas mãos um saco enorme de laranjas, e que suscita um amor instantâneo e uma série de perguntas sem resposta na imaginação do jovem Jan Olav. Ao relatar a sua busca por essa figura quase sobrenatural, o pai tece com o filho um diálogo que mexe fundo com as emoções de Georg. E também lhe faz uma pergunta muito importante, de cuja resposta podem depender os rumos que o menino tomará ao ingressar na vida adulta.

Este livro foi cedido pela Editora Seguinte, porém as opiniões são completamente sinceras. Não sofremos nenhum tipo de intervenção por parte da Editora. 


"Acho meio sinistro guardar tantos retratos de uma pessoa que já deixou de viver."

Resenha: Conheci esse autor pelo seu livro mais conhecido O Mundo de Sofia, que por incrível que pareça, ainda não li, pois fala de filosofia e já pensei muitas vezes em começar por outros escritores anteriores a ele. Todavia cada vez que pego um outro livro dele para ler me impressiono como ele relata a vivência das pessoas. Que observador sagaz e minucioso.

"Não é só um lugar na existência que nós temos. Temos um tempo limitado que nos foi atribuído."

O livro é narrado por um jovem, que aos três anos perdeu seu pai por uma doença, que não é relatada, porém poderia ser câncer, pela maneira que o homem nos conta no decorrer da narrativa. Esse jovem é Georg, que está em uma fase da adolescência, de descoberta... sobre a vida, sobre o amor, sobre quem é, sobre não deixar de ser ele mesmo e conhecer outras coisas além do que ele gosta. São textos bem curtos que vão contando a nós leitores, quem é Georg, quem foi seu pai, quem é sua mãe, seu padrasto, quem são seus avôs, quem ele mesmo é, e por último e não menos importante quem é a garota das laranjas da carta de seu pai? Quem poderia ser? Quem de fato era seu pai que ele tenta relembrar!?

"Não me importaria se os dias atuais se prolongassem por toda a eternidade. Naturalmente, chegariam a tarde e a noite, pois o dia tem lá seu decurso, o seu ritmo, próprio, cíclico, mas por mim o dia seguinte podia começar exatamente no mesmo ponto que o anterior."

A cada novo paragrafo vamos conhecendo um pouco mais de Jeorg, pai do Georg e a maneira que ele conta a história que ele quer contar para seu filho, mas vemos como ele era um homem sábio, imaginativo, gentil, amoroso e que tem sabias lições ao seu filho e que ele deve prestar atenção não só no que ele gosta e fica fascinado, mas também a ver além do que seus olhos podem alcançar.

"Pode parecer meio mágico falar em fotografias do passado, mas olhar para o universo é a mesma coisa que retroceder no tempo."

Portanto, penso que esse livro me acrescentou muito a ver um mundo com outros olhos, ou seja, além do que podemos ver fisicamente, pois há muitas outras coisas que podemos ver. O universo é um espetáculo todos os dias... pena que não paramos para ver o céu ao amanhecer ou ao entardecer. Seria encantador se valorizássemos tudo que temos e além disso sermos mais abertos a tudo ao nosso redor. Leitura de um livro curto que nos engradece com valiosas palavras.

5 comentários

  1. Acabei lendo O Mundo de Sofia há muito tempo e admito que foi um livro difícil na época. Ainda não era uma leitora de verdade, lia sem absorver muito. Aí tempos depois, reli a obra e fiquei fascinada com a alma do autor dentro da história!
    Ainda não conhecia este trabalho e mesmo sendo tão curtinho em matéria de páginas, parece ser uma obra tão grandiosa em ensinamentos que chega a dar um aperto no coração só de ler a resenha!
    Com certeza, vai para a lista dos desejados!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Já ouvi muito fala do livro O mundo de sofia mas ainda não li e pretendo muito. A trama desse livro me encantou, deixou-me bastante curiosa por ela e pela forma que é contata a historia do personagem. Espero conseguir ler em algum momento da vida algo dele.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  3. Olá Raquel!
    Mesmo com um número limitado de páginas, a história desenvolvida por Gaarder não é nem um pouco desprovida de profundidade. Esse fato faz com que a leitura seja sensível e densa, cabendo ao leitor escolher o seu próprio ritmo de leitura para absorver os ensinamentos deixados pelo leitor, os quais são espelhados na comovente relação entre Georg e Jan.
    Diferentemente do teor mais didático presente em O Mundo de Sofia, A Garota das Laranjas trilha um caminho mais linear e, portanto, menos cansativo de acompanhar, embora o viés filosófico ainda tenha um grande destaque.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Raquel!
    Livros infanto juvenis que trazem análise do comportamento humano e aprendizado através de questionamentos que podem mudar nossas vidas, acho sempre válidos e interessantes de serem lidos.
    Gosto muito do autor e do lado mais filosófico que ele traz em seus livros, inclusive já li O mundo de Sofia que é lindo.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Oi Raquel,
    Já ouvi falar muito do livro O Mundo de Sofia, mas eu não havia percebido, até você mencionar, que A garota das laranjas é uma obra do mesmo autor. Este livro me parece ser daqueles bem tocantes, pois aqui se explora uma relação linda, entre pai e filho, mas que não teve a chance de acontecer. Através da carta deixada por seu pai, Georg irá ter uma experiência única que pode ser tanto boa quanto decepcionante ao meu ver. Imagino que o personagem possa ter idealizado algo a respeito de seu pai que durante a leitura da carta pode se concretizar ou revelar mais do que o garoto esperava. Apesar de ser triste que a história contada da garota das laranjas seja narrada por um personagem morto, é, ao mesmo tempo, poético que este personagem tenha se preocupado em deixar algo para o filho ter acesso em algum momento de sua vida, talvez até em um momento em que ele fosse precisar desse contato.

    ResponderExcluir