Garotas como Nós - Dane Mele

15 de abril de 2019

Título: Garotas como Nós
Autor: Dana Mele
Páginas: 400
Ano: 2019
Editora: Universo dos Livros
Gênero: Ficção
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
Sinopse: Kay Donovan é uma jogadora de futebol cujo grupo de lindas e populares amigas comanda uma escola particular, mas guarda segredos sombrios que se esforça para não respingarem no presente. No entanto, quando o corpo de uma garota é encontrado no lago da instituição, a vida cuidadosamente construída de Kay começa a desmoronar.

Repleta de escândalos e tragédias, esta narrativa apresenta uma visão sombria e emocionante sobre amizades femininas, as pressões para alcançar sucesso acadêmico e também sobre saúde mental. Garotas como nós é uma história clássica, assustadora e com um final surpreendente.

Este livro foi cedido pela Editora Universo dos Livros, porém as opiniões são completamente sinceras. Não sofremos nenhum tipo de intervenção por parte da Editora. 

Resenha:

Garotas Como Nós. O que esse título te faz pensar? Eu certamente me inclino a dizer meninas bem estilo Patricinhas de Beverly Hills, mas que são tão humanas e normais quanto qualquer uma de nós, meras plebeias. Até certo ponto esta inferência está correta. As garotas desse livro estudam em um Colégio interno de elite e se preocupam com garotos, fofocas e status social. Mais do mesmo.

Só que, já no primeiro capítulo, o grupo de garotas principais (as mais populares da escola) da história encontram o corpo de uma das garotas do colégio no rio. Suicídio ao que parecia. Digo abertamente que tive certo receio no começo do livro que esse tópico fosse se desenvolver de maneira superficial. É um assunto tão delicado para se falar e quando não há cuidado, a discussão não passa da superficialidade. Mas fui surpreendida. O que parecia um triste ato de Jessica, a menina que morreu, foi na verdade um assassinato. E uma história que de origem me parecia superficial se tornou uma investigação criminal. E liderada em várias frontes, é preciso comentar.

Kay, a personagem central de nossa história, é uma garota que, ao contrário das outras da escola, não vem de uma família abastada. Ela viveu de perto a morte e à medida que o histórico dela vai sendo revelado, as coisas vão fazendo cada vez mais sentido. Enquanto a suspeita de assassinato paira no ar, Kay recebe um e-mail da própria Jessica, com um link para um blog da vingança que ela deveria obedecer.

No blog, Jessica ameaça Kay, dizendo que tem informações do que ela fez quando houve a investigação sobre o irmão dela e isso é suficiente para fazer a garota entrar de cabeça nessa história de vingança (detalhe importante, só descobrimos o que de tão ruim Kay fez da metade pra frente do livro). O pior é que a vingança de Jessica é contra as pessoas mais próximas de Kay.

À medida que ela foi se envolvendo com o blog, as relações dela na escola foram diminuindo. Sua melhor amiga, Brie, começa a duvidar dela e Nola, a garota que está a ajudando a mexer nas questões técnicas do site, é a única em quem ela pode confiar. E de quebra Kay ainda vira a suspeita número um, alvo da polícia. Ela entra então em sua própria "personal vendeta" para descobrir quem matou Jessica e nesse ínterim outro assassinato acontece.

É incrivelmente interessante como a autora constrói o clima ao longo da história. No começo a leitura estava super devagar, mas ela foi se intensificando a ponto de me fazer abrir o livro até quando meu professor saiu da sala pra beber água. Cada segundo era relevante. A evolução da narrativa é gradativa e atinge o ápice antes da metade do livro, mantendo a energia até o final. Eu estava ensandecida por tentar descobrir também quem que matou a Jessica e fiquei super angustiada quando Kay se afundava cada vez mais na lama da suspeita do assassinato. Mas assim, acabou tudo muito rápido. Algo normal em histórias policiais, porém. É sempre corrido no final.

As personalidades do livro também são muito bem construídas. Kay vive um dilema interno, envolvida eternamente com seu ex e ao mesmo tempo não conseguindo deixar de lado sua paixão por sua melhor amiga. O drama familiar dela deixa traços em sua personalidade de um jeito bem reconhecível também. Fora que ele é super intenso e emocionante.

Além disso, a escrita da autora também me surpreendeu. Ela foi soltando algumas dicas de forma nada aleatória desde o começo da história que vai se amarrando quando a solução do assassinato se aproxima.

A construção gradativa narrativa também é um ponto ruim, dificulta nosso envolvimento com a história. Demorei uma eternidade pra conseguir engatar (tudo bem que depois flui super), mas até chegar la foi um pouco custoso. Não sei se é porque eu tinha acabado de sair de uma imersão intensíssima na fantasia e foi difícil de voltar pro mundo cotidiano. Talvez. Então pode ser que pra você a dinâmica seja diferente. Só digo que vale super a tentativa e a leitura. Simples assim.

Por fim, Garotas como nós não cometem assassinatos, não fazem intrigas nem se envolvem escândalos. Garotas como nós são inocentes de tudo. Será?

6 comentários

  1. Oi Maíra, primeira vez que ouço falar desse livro e fiquei curiosa. Mesmo com esse possível inicio lento, a trama com assassinatos parece surpreender e envolver o leitor com tempo. o fato de você ler até nos intervalos da água do professor (rsrs) me deixaram animada e vou colocar ele na lista de livros pra ler ;)

    ResponderExcluir
  2. Pelo título já imaginei algo do tipo garotas ricas e clichê mesmo. Mas achei legal o que venho vendo dele e isso do tom investigativo, das reviravoltas e o rumo que a história toma me chamou atenção. Legal isso do clima dela mudar bastante, de algo devagar pra algo que qualquer segundo de leitura é mega importante. Livro assim é uma delícia de ler. Final corrido e coisa do tipo parece padrão né. Mas acho que vale a pena pelo todo. Parece uma história que vai ganhando a gente e ficando impossível de não ler e isso me animou bastante nele.

    ResponderExcluir
  3. Quem vê cara não vê coraçao, né? Nesse caso quem vê capa não vê um bom enredo. Pela capa eu não diria que seria um suspense policial tão bom assim.
    Às vezes é difícil engatar na leitura, principalmente quando a anterior foi tão boa.
    Gosto muito dessas tramas investigativas. Agora preciso ler para saber quem matou a Jessica.

    ResponderExcluir
  4. Oi Maira 😚
    Eu tive uma impressão totalmente diferente pelo título mesmo, e agora preciso ler. Eu simplesmente amo livros com suspense e o famoso mistério quem matou!
    Estou bem curiosa para ler agora.

    ResponderExcluir
  5. Olá! Gosto por demais desses livros que vamos descobrindo as coisas aos poucos, no qual nem tudo o que parece realmente é aquilo que imaginamos, surpresas e reviravoltas são super bem-vindas, Kay parece ser uma personagem bem complexa, fiquei bem curiosa para saber mais sobre ela e o que de fato aconteceu com a Jessica.

    ResponderExcluir
  6. Maíra!
    Bom ver que o que seria um suicídio a princípio, se transforma em uma tremenda trama de assassinato com personagens bem desenvolvidas, bem como todo enredo.
    Gosto quando essas reviravoltas acontecem.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir