Graça e Fúria - Tracy Banghar

2 de agosto de 2018

Título: Graça e Fúria
Autor: Tracy Banghar
Páginas: 304
Ano: 2018
Editora: Seguinte
Gênero: Fantasia, Ficção, Jovem adulto, Literatura Estrangeira
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:   
Sinopse: Duas irmãs lutam para mudar o próprio destino no primeiro volume de uma série de fantasia repleta de romance, ação e intrigas políticas. Em Viridia, as mulheres não têm direitos. Em vez de rainhas, os governantes escolhem periodicamente três graças — jovens que viveriam ao seu dispor. Serina Tessaro treinou a vida inteira para se tornar uma graça, mas é Nomi, sua irmã mais nova, quem acaba sendo escolhida pelo herdeiro. Nomi nunca aceitou as regras que lhe eram impostas e aprendeu a ler, apesar de a leitura ser proibida para as mulheres. Seu fascínio por livros a levou a roubar um exemplar da biblioteca real — mas é Serina quem acaba sendo pega com ele nas mãos. Como punição, a garota é enviada a uma ilha que serve de prisão para mulheres rebeldes. Agora, Serina e Nomi estão presas a destinos que nunca desejaram — e farão de tudo para se reencontrar.

Resenha: Caramba minha gente...por onde começar?

Bom, deixa eu contar que eu tenho o (péssimo) hábito de, depois de ler algumas páginas e conhecer os personagens, ler o final do livro. Não tem jeito, é mais forte do que eu, até já tentei não fazer isso e o ebook até que foi último nesse caso. Aí eu inventei um esqueminha: baixei o app no celular e aí leio no kindle, fácil ver o final no aplicativo sem bagunçar no kindle.

Pois é, tá vendo? É mais forte do que eu, não consigo evitar...mas então, voltando, eu li sei lá, uns dois capítulos e fui ao celular ler o final e o que eu pensei, de imediato foi...caramba...é uma cópia da Rainha Vermelha! Já impliquei porque apesar de ter gostado do livro não amei... Mas vamos seguindo a leitura e vendo no que dá né. Vou contar por que eu achei parecido. Ah, lembrou um pouco A Seleção também. Já explico.

O mundo está esquisito, as mulheres não podem fazer nada, nadinha! Elas não têm permissão para aprender a escrever, não podem ler, podem trabalhar em pouquíssimos lugares, aos quais os homens permitem, é claro, não podem cortar o cabelo, nenhuma mulher pode usá-los acima dos ombros. Enfim, são meras procriadoras e servem única e somente para servir.

Nesse mundo, que é governado pelos homens obviamente, eles não têm esposas, escolhem de tempos em tempos, três graças, que são mulheres, que desempenham um papel decorativo e procriativo, apenas, nem são capazes de criar seus filhos. Acaba que cada governante tem um montão de esposas, ou seja, graças.

Estas meninas crescem treinando para se tornar a graça do governante, e assim cresceu Serina. Assim que sua mãe viu que ela seria uma menina bonita, demais, começou a treinar a menina para casar com o superior (aí, também, a semelhança com os livros citados acima).

Terrível, foi a fato de a mãe ao pensar em treinar a filha para graça, esqueceu a outra, Nomi, que seria somente aia da irmã. Uma era uma princesa que só aprendeu a bordar e se comportar e a outra, a gata borralheira que trabalhava e limpava. Isso não as impediu de serem grandes amigas, Nomi, escondida de seus pais, aprendeu a ler, seu irmão a ensinou escondido, e isso foi a ruína das meninas.

Elas foram escolhidas, só que Malachi, o herdeiro, que será quem vai escolher suas graças, escolhe Nomi, não a irmã e aí os papéis se invertem. Como se não fosse suficiente, Serina é pega com um livro da irmã em mãos e todos pensam que ela sabe ler, para proteger a irmã, deixa que pensem isso e assim é enviada para Monte Ruína, uma prisão feminina à qual ninguém sai.

Isso tudo é só o início do livro, separadas, as irmãs vão ter que aprender a viver suas vidas sem uma à outra e completamente diferente do que foram ensinadas a vida toda. Serina, que era toda meiga e delicada, vai ter que aprender a ser dura se quiser sobreviver numa prião em que a brutalidade reina. Lá ela vai contar com algumas amigas e com Val, um guarda que a ajudará a superar alguns dos seus piores desafios. seu objetivo maior é fugir e salvar a irmã, mas não vai se calar diante das atrocidades que vê na ilha em que está presa e uma nova líder, parece, está para nascer. Já Nomi, vai ter que aprender a representar uma doce menina, enquanto trama com Asa, o irmão de Malachi um jeito de escapar do destino que ela jamais quis (olha a semelhança com A Prisão do Rei que eu falei), além de também, ansiar por resgatar a irmã da Prisão.

E o final surpreendente que teve esse livro? Puxa vida, é por isso que eu gosto de ter todos em mãos para ler. Até quando eu vou ter que esperar? Quantos volumes serão? Não faço ideia, mas uma coisa é certa, adorei e vou ficar esperando ansiosa pela sequência, porque esse final deixou muita coisa em suspenso, além disso trouxe uma promessa de um próximo livro intenso e cheio de ação e romance!

É uma leitura muito, muito recomendada!!!



5 comentários

  1. Oi, Denise,

    A destreza e força das personagens são muito evidente e se destaca, se faz necessária para grandes mudanças na história, pois a mesma é a representação do empoderamento feminino fictício ou não.

    É muito importante o que o livro passa e evidencia - ao abrir horizontes e luta contra a opressão -, pois a desigualdade e tudo o que é ditado por uma sociedade machista, deve persistir.

    Pelo o que eu percebi, é um livro muito denso e bem desenvolvido.

    Enfim, acredito que, pra mim, será uma leitura proporcional. Mas, eu devo confessar: Me desanima o fato do livro ser semelhante ao livro "A Rainha Vermelha" - que foi um livro que eu não curti muito.

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise, fiquei animada com essa resenha, já tinha amado essa capa e agora sabendo mais da história quero sim ler. Mas acho que vou esperar lançarem os próximos pra começar e não ficar tão ansiosa, não lido tão bem com a ansiedade haha. Também tenho esse hábito de ler as últimas páginas e já me acostumei, não consigo mais não fazer isso :D

    ResponderExcluir
  3. Olá Denise!
    Conheci sobre o livro esses dias e adorei, parece ser uma história que prende o leitor, estou doida pra ler!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu não sou muito de ler ebook, mas de vez em quando leio... A historia me pareceu interessante, apesar de você menciona que parece um pouco com outros livros lidos.. Eu até gostei da trama, o pior e que nessa época a mulheres são praticamente excluida e isso é muito ruim, mas espero ler para ter uma noção da trama..
    Quem nunca foi ao final do livro para saber o final né..hahaha, tive essa mania mais parei..tenho que deixa o livro me surpreender ne´..

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  5. Olá! Confesso que também tenho esse “hábito” de dar uma conferida lá nas páginas finais dos livros (risos), estou adorando conhecer mais sobre esse livro, como fã de distopia de carteirinha vou amar conferir toda a história, apesar de lembrar um pouco outras histórias, acredito que a autora soube conduzir bem o enredo e nos presentear com um livro completo, onde é possível encontrar, romance, aventura, intriga, um prato cheio para nós, amantes da leitura.

    ResponderExcluir