A Elegância do Ouriço - Muriel Barbery

Título: A elegância do ouriço
Autor: Muriel Barbery
Páginas: 352
Ano: 2008
Editora: Companhia da Letras
Gênero: Literatura estrangeira
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Saraiva
Nota:                     
Sinopse: À primeira vista, não se nota grande movimento no número 7 da Rue de Grenelle: o endereço é chique, e os moradores são gente rica e tradicional. Para ingressar no prédio e poder conhecer seus personagens, com suas manias e segredos, será preciso infiltrar um agente ou uma agente ou por que não? duas agentes. É justamente o que faz Muriel Barbery em A "Elegância do Ouriço", seu segundo romance. Para começar, dando voz a Renée, que parece ser a zeladora por excelência: baixota, ranzinza e sempre pronta a bater a porta na cara de alguém. Na verdade, uma observadora refinada, ora terna, ora ácida, e um personagem complexo, que apaga as pegadas para que ninguém adivinhe o que guarda na toca: um amor extremado às letras e às artes, sem as nódoas de classe e de esnobismo que mancham o perfil dos seus muitos patrões.

Resenha:
A história é narrada por duas personagens:Paloma, uma adolescente muito madura filosoficamente falando, para sua idade. E temos também Renée, a zeladora taciturna e ignorante de um prédio localizado em um bairro nobre de Paris, prédio esse que Paloma reside com sua família.
"As pessoas creem perseguir as estrelas e acabam como peixes vermelhos no aquário.Fico pensando se não seria mais simplesmente ensinar desde o início às crianças que a vida é absurda."
Paloma, não consegue imaginar sua vida como adulta já que o mundo aos seus olhos não parece grande coisa e então por isso, no seu 13º aniversario decidira tirar sua própria vida. Mas vejam bem, ela não quer fazer disso um grande acontecimento, já que sabe que um dia todos morrem, porque passar pela fase adulta e todos os problemas que ser adulto traz?
"Morrer deve ser uma delicada passagem,um escorregão acolchoado para o repouso."
Então como que para dar uma ultima chance à vida, Paloma decide fazer um diário duplo: um para a vida e outro para a alma, aonde irá observar e anotar os acontecimentos referentes ao corpo e a essência, a alma.

Reneé, longe de ser aquele ser ignorante que todos no prédio acreditam ser, leva uma vida dupla:na frente dos moradores é a sisuda zeladora que entres outros estereótipos referentes ao seu cargo, tem um caniche como totem , e na privacidade de seu lar se transforma em Renée que gosta e conhece filosofia, uma coisa ou outra de Lênin e Marx.
"Já que minha fome não podia ser aplacada no jogo de interações sociais que eram inconcebíveis por minha própria condição,ela o seria nos livros."
A vida dessas duas personagens ,tão incompreendidas no meio social do qual estão inseridas, irá sofrer uma reviravolta quando um certo senhor sorridente, e misterioso Kakuro Ozu começar a fazer parte de seu meio por assim dizer. E o que acontecerá com Paloma? Ela conseguirá encontrar algum motivo para continuar vivendo? E Renée continuará a viver do mesmo jeito após essa interação?


Um livro que fala sobre questões como a vida, arte, beleza e amor e como as pessoa sofrem quando são estigmatizadas em seus papeis na sociedade, muitas vezes secundários apenas pela sua idade ou condição social.

É uma boa leitura, mas que talvez não seja para todos porque tem uma linguagem peculiar, filosófica e as vezes dispersa. Mas com certeza é um livro para ser lido ao menos uma vez na vida. 

Então é isso, até a próxima 🖖

6 comentários

  1. Karla eu não conhecia a obra acredita?
    Não é mto o estilo que curto ler mas achei mto bacana, vou anotar a dica e tentar conhecer em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Livros que fazem a gente refletir não costumam agradar muita gente. Ao contrário de mim, que amo livros deste gênero. Adoro os questionamentos que histórias assim podem nos trazer.
    Como não conhecia o livro, já vou correndo colocar na lista de desejados.
    Quem sabe não consiga ler ele?
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Já me chamou atenção por uma personagem tão nova vendo a vida dessa forma e pensando em acabar com tudo. Achei interessante o tom reflexivo, essa coisa dos diários dela e como vai analisar a vida com isso. E a Reneé é bem aquele tipo de personagem que a gente mais vê nessa vida: conhece um lado da pessoa mas não vê o que ela guarda pra si. Achei bem interessante porque de cara é uma mulher que a gente subestima e olha só o que ela tem escondido! As duas personagens tem um certo carisma que chama atenção e dá vontade de conhecer. Achei interessante o livro e pelo o tom dele pode ser bem gostoso de acompanhar.

    ResponderExcluir
  4. Eu não conhecia o título, mas me chamou atenção. Eu gostei dois personagens: uma jovem que não vê razão na vida e uma adulta que mantém quem realmente é para si.

    ResponderExcluir
  5. Nossa... Vim até aqui esperando uma resenha de uma história clichê ou talvez um livro sobre poesias (como a capa aludiu a mim), mas não podia estar mais enganada com minha primeira impressão. Por isso é tão importante dar uma chance e ler a sinopse, realmente é um livro que parece ser bem criativo e trazer algo novo e filosófico. Vou prontamente adicionar no meu Skoob :D

    ResponderExcluir
  6. Livros reflexivos é bom para alguns momentos em nossas vidas, mas eu não gosto.

    ResponderExcluir