O Dia do Curinga - Jostein Gaarder

Título: O Dia do Curinga
Autor: Jostein Gaarder
Páginas: 378
Ano: 2016
Editora: Seguinte
Gênero: Ficção norueguesa
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon | Saraiva
Nota:  
Sinopse: Você já pensou que num baralho existem muitas cartas de copas e de ouros, outras tantas de espadas e de paus, mas que existe apenas um curinga?', pergunta à sua mãe certa vez a jovem protagonista de O mundo de Sofia.
Esse é o ponto de partida deste outro livro de Jostein Gaarder, a história de um garoto chamado Hans-Thomas e seu pai, que cruzam a Europa, da Noruega à Grécia, à procura da mulher que os deixou oito anos antes. No meio da viagem, um livro misterioso desencadeia uma narrativa paralela, em que mitos gregos, maldições de família, náufragos e cartas de baralho que ganham vida transformam a viagem de Hans-Thomas numa autêntica iniciação à busca do conhecimento - ou à filosofia.
O dia do curinga é a história de muitas viagens fantásticas que se entrelaçam numa viagem única e ainda mais fantástica - e que só pode ser feita por um grande aventureiro: o leitor.


"Meu conselho para todos os que querem se encontrar é continuarem bem onde estão. Do contrário, é grande o risco de se perderem para sempre."

Resenha:    Li o livro A biblioteca mágica de Bibbi Bokken e me apaixonei pela escrita dos autores. Ela nos faz entrar na história e gostar das personagens de uma forma muita boa. Então resolvi procurar um livro de um dos autores, o Jostein Gaarder e não me arrependi.

Cada capítulo nos acrescenta muita coisa, nessa na vida física, psicológica, espiritual. É um livro de autoconhecimento ou conhecimento de mundo que me deixou impressionada até agora. Ainda estou estarrecida com tanta coisa que o autor fala de uma forma muito clara e simples.
"- Mas o acaso, definição. é exatamente alguma coisa que acontece por puro acaso!"
"A vida é uma loteria gigante, da qual só se veem os ganhadores."
"- Acho que o universo é fruto de uma vontade."
Em um primeiro momento conhecemos Hans-Thomas, uma criança que está viajando desde a Noruega até Atenas, com seu pai, em busca de sua mãe que ambos há oito anos e, mesmo assim eles partem para essa aventura para trazê-la de volta para casa. Hans é uma criança feliz, quieto, gentil, meio filósofo e muito imaginativo. Seu pai é um senhor ainda jovem, que se sente e fez cursos de filosofia, então ele é bem filosófico, sério, calmo, educado e deseja conhecer mais da vida. Sua esposa, porém não ficamos sabendo muito dela, porém na última parte do livro a conhecemos e entendemos num pouco dela e o porquê ela os deixou.

O livro é dividido em quatro partes cada uma com os naipes dos baralhos e uma com o do Curinga. No decorrer da história entendemos o porquê do título do livro e também porque faz muito sentido quando lemos as histórias contadas nele. Realmente não esperava gostar tanto de um livro e muito menos que a pegar as personagens. Principalmente a Hans-Thomas que acredita no possível e que a cada novo dia é possível vive-lo intensa e imensamente, pois eles são únicos e inigualáveis.



"Antes de ele saltar da cama, ainda tive tempo de refletir um pouco sobre como é importante ter os olhos bem abertos para tudo, mas que não existe nada mais importante do que estar na companhia de alguém que a gente ama."
" Acho que a gente vê aquilo em que acredita."





"E quanto a nós, seres humanos, também nós não somos frutos vivos da imaginação de alguém?"
Com certeza eu li esse livro na hora certa da minha vida, pois, ao meu ver, acrescentou e me faz ver o mundo com mais sensibilidade e clareza e imaginei que não teria. É cada pensamento, frase, parágrafo, capítulo que me fizeram amar esse livro de uma forma particular e única.Não sei expressar o quanto ele me fez bem. El é um pouco longo e tem que ler com tranquilidade para entender o que ele está dizendo, querendo dizer, e em relação ao que, pois se você não entender vai ficar um pouco difícil. Penso que essa divisão por partes ajuda a contar a história e faz você compreender que não é só filosofia. Tem filosofia de vida, sobre a vida e afins, mas tem muitas outras coisas.

Livro mais que recomendado! Cinco estrelas fáceis e tenho certeza, absoluta que você vai se apegar a personagem Hans-Thomas e não vai querer larga-lo.

9 comentários

  1. Ainda não conhecia este livro, e fiquei surpresa com sua resenha, em me deparar com uma obra que nos passa uma mensagem tão linda, ao ponto de nos fazer ter uma visão diferente em referente a vida, já se estou curiosa para conhecer melhor este personagem, e sua estória. Me pareceu ser uma obra bastante envolvente, e cativante.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Raquel! Eu sou muito fã do Jostein Gaarder. Dele já li O Mundo de Sofia (lágrimas) e Através do espelho (mais lágrimas) e tudo o que sei sobre filosofia aprendi com os seus livros. Pela sua resenha tenho certeza que essa é mais uma brilhante obra, ainda mais porque a história se passa na Grécia (sou apaixonada por mitologia grega). Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Quel!
    Gostei muito da resenha e me fez muito querer ler essa obra.
    Obrigada pela dica ;)

    ResponderExcluir
  4. Eu não conhecia o livro e nem o autor, mas fiquei com vontade de conhecer melhor esse livro. A história dele é bem interessante, e parece ser daqueles bem leve e gostoso de ler. E fiquei bem curiosa pra saber porque a mãe dele foi embora. O livro já entrou para minha listinha :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, o diferencial do livro é que o autor consegue abordar assuntos complexos de uma forma simples, sem deixar a leitura cansativa. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Não conheço a escrita do autor, mas sua resenha foi tão positiva, a respeito da obra, que fiquei muito curiosa e com vontade de ler também.
    Gostei da indicação!
    Linda resenha e muito motivadora.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Raquel!
    Gosto daqui porque vejo resenha de livros que não são lançamentos e badalação, são diferentes e gosto muito.
    Já li O mundo de Sofia do mesmo autor e gostei demais, porque gosto dos livros que nos colocam para refletir e filosofar sobre a vida, porque eles mexem muito com nosso estado psicológico e espiritual.
    Gostaria de ler esse.
    Desejo uma ótima semana!
    “A vida guarda a sabedoria do equilíbrio e nada acontece sem uma razão justa.” (Zíbia Gasparetto)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  8. Livros com criança, acaba comigo, mas já fiquei louca pra ler esse livro kkkkkk
    O livro realmente parece ser ótimo. E fiquei bem curiosa para saber o porque do título, e pra saber mais da mãe do Hans-Thomas. Gostei muito da resenha e da dica!
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Realmente fiquei um pouco curiosa pelo livro e principalmente pelo título. A história tem uma premissa muito ótima e desejo conhecer essa trama e entender um pouco sobre o porquê desse título. Não tinha conhecimento desse autor mais ao conhecer esse livro me deixou bastante curiosa por ele.

    ResponderExcluir