Resenha: Ninfeias Negras - Michel Bussi

Autor:Michel Bussi
Páginas: 352
Ano: 2017
Editora: Arqueiro
Gênero: Suspense, Ficção
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Saraiva
Nota:                       
Sinopse: Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, Claude Monet, um dos maiores nomes do Impressionismo, a imortalizou em seus quadros, com seus jardins, a ponte japonesa e as ninfeias no laguinho.
É nesse cenário que um respeitado médico é encontrado morto, e os investigadores encarregados do crime se veem enredados numa trama em que nada é o que parece à primeira vista. Como numa tela impressionista, as pinceladas da narrativa se confundem para, enfim, darem forma a uma história envolvente de morte e mistério em que cada personagem é um enigma à parte - principalmente as protagonistas.
Três mulheres intensas, ligadas pelo mistério. Uma menina prodígio de 11 anos que sonha ser uma grande pintora. A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e vida nova, mas está presa num casamento sem amor. E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela.

Resenha: 
"As flores do luto. As mais tristes que alguém já pintou."
No livro, iremos conhecer a história de três mulheres, com diferentes idades mas com uma vontade em comum: ir embora de Giverny.

A cidade, conhecida como o jardim do mundo, lugar onde Monet imortalizou em suas obras, atraem muitos turistas que fascinados, tentam imaginar como seria viver ali para sempre.
Só que nem tudo é uma maravilha e naquele local quase divino,acontece um misterioso assassinato onde muitas pistas levam a um provável envolvimento com a obra de Monet.

Paralela às investigações, temos a historia de Fanette, uma menina de 11 anos um prodígio na pintura, qual é filha de uma senhora humilde que não gosta que sua filha demonstre tanta ambição na vida ao desejar se tornar uma pintora famosa.
"Genialidade incomoda todos os que não a têm, ou seja,quase todo mundo. A genialidade afasta você de quem você ama e provoca inveja nos outros."
Temos também Stéphani, uma mulher na casa dos 30 anos muito bonita, e misteriosa com seus belos olhos violetas.É a única professora do vilarejo, muito apaixonada pela arte e sua historia. Casada,aparentemente leva uma vida feliz. Aparentemente.
"O tédio insuportável da mulher que, entretanto, nada tem a reclamar do homem que vive ao seu lado. nenhuma desculpa,nenhum álibi. Apenas o tédio, essa certeza de que a vida está em outro lugar."
E nossa terceira personagem, a narradora, é uma incógnita. Sabemos que é uma senhora de quase 80 anos, e que mora no moinho.
Ela passa por todos os lugares quase que invisível, narra todos os fatos do livro, é onipresente.
"Sou eu quem vou fechar o parêntese, confiem em mim. E não vão ficar decepcionados, isso eu garanto!"
Nossas três personagens querem a mesma coisa: sair de Giverny, mas apenas uma delas irá embora dali...resta saber qual delas.
"Não vou inventar histórias: é claro que o jardim é magnifico. A catedral de rosas,o círculo das damas, o Clos Normand e as cascatas de clematitas,o maciço de tulipas cor-de-rosa e miosótis...São todos obras-primas."
Temos outros personagens tão importantes quanto nossas três personagens femininas: o investigador, o marido de Stéphani,o assistente do investigador...e muitos outros.

É um ótimo livro, porém quem não gosta de muita descrição pode acha-lo bem maçante, pois, além do local, fala bastante sobre Monet e arte de um modo geral, mas longe de ser maçante.

O suspense do livro me tirou o sono, e quando tudo estava se resolvendo,aconteceram coisas inimagináveis e minha cabeça deu um looping que fez me sentir no filme "A Origem",rsrsrs.

É uma leitura muito boa mesmo.Tenho certeza que irão se surpreender com o final.

Nenhum comentário

Postar um comentário