Resenha: Joyland - Stephen King

Autor: Stephen King
Páginas: 240
Ano: 2015
Editora: Suma de Letras
Gênero: Suspense, Terror
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Submarino
Nota:                       
Sinopse: Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.
Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria.
O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.

Resenha:Tenham em mente que essa resenha é totalmente parcial e sou muito fã do mestre King e ponto. E outra ressalva, se você nunca leu algo de Stephen King, sugiro que não comece por esse. Pois esse é muito "leve", um dos poucos assim. Comece com "O Iluminado" e se aguentar a leitura,você passou no selo de qualidade para ser fã de King.


Confesso que não li tantos livros de King quanto gostaria, mas esse comparado com tantos outros dele,é um tanto quanto curto e direto ao assunto.

Não, ele não deixou de lado as descrições do ambiente, entretanto não são tão maçantes como todo começo de livro que já li dele.

Joyland nos conta a história de Devin, um rapaz comum que encontra um trabalho de verão no parque,um universo desconhecido por ele , onde há  toda uma forma de vida e linguagens próprias.
Durante o tempo em que ele trabalha no parque,amadurece como pessoa, perde a namorada, conhece novas pessoas, algumas com as quais teria amizade para a vida toda e algumas que iriam lhe marcar de um jeito que ele nunca esqueceria.
"Quando se trata do passado,todo mundo escreve ficção".
No meio de toda essa história há um mistério: a morte de Linda Grey no trem fantasma. Um crime que havia acontecido anos antes de Devin começar a trabalhar no parque. Mas que de alguma forma além de fascina-lo, ele começa a se envolver e não resta outra opção a não ser investigar o crime.
Algo que achei inesperado e pouco explorado no livro, foi um garotinho que lembra muito o Danny de "O Iluminado". Ele consegue enxergar o mesmo que Danny (tentando não dar spoilers), quem já leu sabe do que estou falando.Mas ele, assim como outros personagens não tem uma aprofundamento maior, como na maioria das obras de King. 
"Você pensa "Tudo bem, entendi, estou preparado para o pior", mas guarda aquela pequena esperança,sabe,e é isso que fode tudo. É isso que mata você." 
A minha parte favorita  é a reviravolta que dois personagens do parque dão, só vou dizer isso rsrsrs.
A historia não é inédita,mas a forma como King conecta os fatos é algo digno do nosso mestre, e embora muitas pessoas digam que esse livro é ruim, eu discordo. Ele apenas é curto e compacto, mas ainda assim conseguimos enxergar o estilo de King nele.

Leiam, tenho certeza que irão gostar.

2 comentários

  1. Oi Karla!
    Joyland foi uma leitura completamente prazerosa pra mim. Fiquei tocada com o enredo, com os personagens, enfim, com tudo rsrs.
    Adorei sua resenha.
    Beijo
    http://lua-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia!
      Fico feliz que tenha gostado, é realmente uma leitura prazerosa.
      Obrigada,
      bj!

      Excluir