Juntando os Pedaços - Jennifer Niven

Título: Juntando os Pedaços
Autor: Jennifer Niven
Páginas: 391
Ano: 2016
Editora: Seguinte
Gênero: Romance, Jovem Adulto
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Livraria Cultura || Saraiva || Americanas || Submarino || Amazon
Livro cedido pela Editora para Resenha
Nota: 
Sinopse: Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.

Resenha:

Em Juntando os Pedaços, conhecemos Libby e Jack. Libby parou de frequentar a escola e passou a estudar em casa, porque sua mãe faleceu. Para suprir o vazio, ela descontou na comida e acabou se tornando a adolescente mais gorda dos Estados Unidos. Ela não podia mais sair de casa por causa do peso e quando passou mal, tiveram que quebrar a frente dá sua casa e utilizar um guindaste para tirar ela de lá, para leva-la ao hospital. Depois de fazer dieta, ela perdeu bastante peso (136 quilos) e, mesmo tendo que perder mais alguns quilos, ela se sente muito bem com seu corpo. Agora ela está voltando a escola.


Jack é um garoto de pele negra, com cabelo black e que é um dos mais populares. Namora com Caroline Lushamp, líder de torcida. Porém, Jack possui um problema chamado prosopagnosia, no qual ele não consegue reconhecer o rosto das pessoas. Mesmo que ele veja todos os dias alguém, ele não consegue lembrar dá sua fisionomia.

Esses dois personagens estudam na mesma escola, no colégio Marvin Van Buren, em Indiana. Libby, inicialmente, se preocupa muito sobre como seus colegas vão reagir. Entramos na questão do julgamento​ das pessoas, que a autora dá muito destaque na história. Além disso, ela deseja entrar para o grupo das líderes de torcida, conhecido como Damsels, já que adora dançar.


Por causa de algumas brincadeiras​ ridículas sobre gordas e algumas palavras ofensivas, a menina vai para o banheiro e risca qualquer frase ofensiva sobre si mesmo na parede. É uma forma dela se preparar para as ofensas, já que todas já foram feitas por ela.

Ao sair do banheiro, ela encontra com outra garota com o peso semelhante ao seu, com o rosto cheio de lágrimas, que se chama Iris Engelbrech. Ela conta que Dave Kaminski, conhecido como Kam, a agarrou e, mesmo que ela pedisse, ele não soltava, até que ela começou a chorar. Libby resolve ir até a arquibancada, onde eles estavam e acaba correndo atrás de Kam e mostrou para todos que independente do seu peso, ela sabia correr. Todos ficaram surpresos, incluindo Jack.


Jack Masselin arrumou uma encrenca enorme por beijar a prima de Caroline, achando que fosse ela. Como ninguém sabia de sua doença e ele preferia que assim continuasse, entrou numa grande enrascada. O namorado​ dá garota, Reed Young, estava furioso.

O menino sente que precisa de Caroline, porque ela ajuda ele a reconhecer as pessoas ou a não ficar isolado, mesmo que ela não perceba. Por isso, a via ela como uma necessidade. Ela tinha mudado bastante com o passar do tempo e a garota que ele se apaixonou deixou de existir e deu lugar a uma sem graça, porém ele ainda mantinha a esperança de que ela retornasse a ser quem era. Quando chega na escola, ele logo vai pedir desculpas a menina e retorna com o seu relacionamento.

Depois das aulas, ele encontra seus amigos na arquibancada e Seth acaba falando sobre um jogo chamado Rodeio das Gordas, que era agarrar uma garota acima do peso e quem fizer isso por mais tempo ganha. Kam, então, encontra uma menina e faz isso com ela. E logo depois, Libby aparece e corre atrás de Kam.

Por conta disso, Kam decide que Libby é o objetivo para a Roda das Gordas. Jack, com medo que alguém fizesse algo pior com ela, decide que vai fazer isso. Assim, quando ele encontra Libby, no dia seguinte, pede desculpas e a agarra. Ela fica sem reação, tentando entender o que está acontecendo e quando entende, grita um não, empurra o garoto e finaliza com um soco na boca. O que ela não viu, foi que ele colocou uma carta na bolsa pedindo desculpas, explicando porque fez aquilo e contando sobre sua doença.

Juntos, eles foram para a diretoria e ambos levaram como castigo a detenção. Jack por ter agarrado Libby e Libby por ter riscado nas paredes as ofensas a ela mesmo. Muita coisa vai acontecer depois desse encontro e vocês devem ler o livro para saber mais (desculpas kkk, mas é segredo).

Nunca havia lido nada da Jennifer Niven e sempre fiquei extremamente curiosa, por ouvir diversos comentários positivos. Por isso, decidi escolher Juntando os Pedaços e não me decepcionei. Muito pelo contrário. Foi um livro muito amorzinho, que discute algumas temáticas que são bem importantes e com personagens tão diferentes, com personalidades tão fortes e incríveis, que foi impossível não se apaixonar.

Durante a história, a autora soube tratar de temas com muita perfeição. O tema principal é o julgamento da sociedade sobre o diferente. Temos dois personagens que são “fora dos padrões” determinados em algumas situações. Libby por ser acima do peso, é julgada e recebe apelidos como “balofa”, “gorda vadia” e mesmo ela estando bem com seu corpo, é algo que as pessoas comentam e julgam muito. Inclusive quando ela faz o teste para ser líder de torcida. É possível ver o ódio das pessoas, por ela receber constantes cartas com mensagens falando que ninguém gosta dela.
"(...)
Juntando os pedaços é sobre ver e ser visto. Como Por lugares incríveis, esse romance é uma história pessoal. Ele vem da perda, do medo e da dor que eu mesma senti, ou que pessoas muito queridas para mim sentiram. Vem do meu eu de doze e treze anos, que lutou com o peso e com o bullying decorrente disso. (...)" (Jennifer Niven, p. 05)
Jack é do time dos populares, porém possui uma doença. E ele não conta para ninguém porque tem medo de ser julgado. Sendo assim, ele prefere se omitir e fingir que tudo está bem, quando na verdade não está. É até possível ver as consequências disso, na história. O irmão do Jack, Dusty, também é um alvo para o bullying, por ir para a escola com uma bolsa. E em algumas partes, ele aparece triste e para baixo.
"(...)
Além disso, o livro vem do meu primo de dezesseis anos, que teve que aprender a reconhecer as pessoas à sua volta não pelo rosto, mas sim pelas coisas importantes, como quão legais elas são e quantas sardas ela têm. (...)" (Jennifer Niven, p. 05)

Eu observei que, mesmo com todo o julgamento feito, Libby, em momento nenhum me sentiu intimidada com isso. Eu fiquei encantada com ela por conta disso, essa força de vontade, mostrando que independente do que os outros dizem, ela é feliz do jeito que é e não são por comentários negativos que ela vai mudar. Achei essa mensagem muito especial e gostei da autora desenvolver uma personagem acima do peso e com essa personalidade forte. Aprendi muito com ela.

Já o Jack, eu senti que ele deixava o medo de ser julgado sempre acima de tudo e acabou passando por algumas situações que seriam evitadas. Com o contato com Libby, ele se livrou mais disso, e teve algumas situações que ele demonstrou que seu julgamento em relação a personagem feminina era diferente e que não se importava com o que falavam dela e nem pelo fato deles andarem juntos. Fiquei bem feliz com isso e com o desenvolvimento dele com o decorrer da história. Inclusive, a autora me surpreendeu por trazer um personagem negro e com black. Fiquei muito contente com a escolha. Acho que foi o primeiro livro que eu li, com um personagem com essas características.
"Faça o que for preciso. Seja o maior babaca de todos os tempos. Qualquer coisa para não ser a vitima. É sempre melhor ser o caçador do que a caça." (Jack, p. 12)
Sobre a história, eu não tenho como dizer algo ruim sobre. Muito pelo contrário. Os personagens me conquistaram e eu fiquei presa a eles o tempo todo. Sobre o fim do livro, eu estava ansiando por ele. A Jennifer segurou o melhor para o final e não foi algo diferente do que imaginei, mas não deixou de ser fofo e incrível.  Foi muito doloroso terminar de ler porque eu queria muito mais e já estou com saudades dos dois.

A escrita da autora também é maravilhosa. É bem simples e muito gostosa de ler. E ela separou o livro em capítulos alternando entre Libby e Jack, o que achei perfeito, já que conhecemos cada um dos personagens e entendemos seu jeito de pensar e agir. A diagramação está incrível, inclusive achei a capa linda e consegui entender o que a editora quis passar com ela. Juntando os Pedaços conquistou um espaço no meu coração e já se tornou favoritado.
"Alguém gosta de você. Você é necessário. Você é amado." (Jennifer Niven, p. 05)

Nenhum comentário

Postar um comentário