Resenha: O Sol é para Todos - Harper Lee

Autor: Harper Lee
Páginas: 364
Ano: 2015
Editora: José Olympio
Gênero: Ficção Americana
Adicione: Skoob
Onde Comprar: CulturaSaraiva
Nota:              
Sinopse: Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça. 'O Sol é Para Todos', com seu texto “forte, melodramático, sutil, cômico” (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações.


Resenha:  
Quase todo mundo acha que está certo e que você é que está errado.
Aquele que mergulha na vaidade sucumbe na escuridão!
Um coração feliz faz um semblante alegre.
Ad Astra per aspera – por caminhos difíceis, chegamos às estrelas.
Direitos iguais para todos, privilégios para ninguém.
De certa maneira, esse livro me cativou, pois quem narra essa triste história sobre preconceito, é uma menina chamada Scout e com toda sua ingenuidade de criança. Entendemos bem o que ela diz, ela fala através de seus olhos, suas ações. A autora não poderia ter escolhido ninguém melhor do que uma criança, porque eles não estão corrompidos pela sociedade e seu pai é um bom homem, dá a eles bons exemplos e sempre explica de uma maneira simples para que ambos entendam e não fiquem com dúvida, que é advogado e o qual vai tentar ajudar a injusta acusação.

Scout conta tudo: sua rotina, as brincadeiras com o irmão, as férias com o irmão e o amigo Dill, como o pai é, no que trabalha, a empregada Cal, que os ajudou a cria-los; a tia, o tio, enfim todos, nem os vizinhos escapam. É tanta pureza e discernimento que não fica dúvida nenhuma sobre o que ela vai nos contar.

Seu irmão Jem é cinco anos mais velho, que Scout, mas a trata com tanto amor e carinho, não só por serem irmãos, mas porque ele realmente gosta da sua pequenina irmã e as brincadeiras que a alguns anos faziam, conforme vão crescendo elas são deixadas para trás e o amadurecimento dos dois vem de maneiras diferentes.

É uma história que deve ser lida pelo menos uma vez por qualquer pessoa.

Portanto, recomendo a todos, mesmo você, que, talvez, tenha algum preconceito. Entenda não podemos e nem devemos agradar ninguém, mas ser respeitado é o mínimo onde quer que você esteja.

Nenhum comentário

Postar um comentário