Luz, Câmera, Ação! O Lar das Crianças Peculiares

Título: O Lar Das Crianças Peculiares
Gênero: Aventura
Direção: Tim Burtom
Elenco: Asa Butterfild, Eva Green, Ella Purnell, Samuel L. Jackson, Chris O'Dowd, Allison Janney, Terence Stamp e mais...
Origem: EUA
Duração: 127 min
Nota:
Sinopse: Quando seu querido avô falece deixando pistas sobre um lugar mágico, Jacob viaja para uma ilha galesa e encontra um orfanato abandonado. Lá, o mistério e o perigo se aprofundam quando ele começa a conhecer o local e os seus moradores: crianças com poderes especiais conhecidas como peculiares e a Senhorita Peregrine, uma peculiar que comanda o orfanato e cuida dos jovens. Jacob também conhece os inimigos poderosos de seus novos amigos, e, em última análise, descobre que apenas a sua própria peculiaridade especial pode salvá-los.


Resenha: O filme começa mostrando imagens em preto e branco. Se eu não soubesse do que se tratava, teria pensado que errara a sala de cinema, talvez tivesse entrado no da Bruxa de Blair? Hahaha! Mas não, estava no lugar certo. E logo de início o avô do Jacob (Asa Butterfild), mocinho da historia, é “assassinado”. O rapaz ainda consegue falar com o senhor em seus últimos suspiros. A cena é comovente e ao mesmo tempo estranha. O avo de Jacob é encontrado por ele nos fundos de sua casa, caído e todo ensanguentado, o curioso é que ele não tinha mais seus olhos nas orbitas oculares. Nessa hora eu já fiquei meio com medo(Pois sou a “coragem” em pessoa). E do nada nas sombras das arvores, surge uma criatura medonha, com garras e pernas enormes, porem meio humanoide(Medooo). O senhor Abraham Portman(Terence Stamp), avo do Jacob tenta avisa-lo que alí é perigoso, e que ele deveria fugir o mais rápido possível, e mais, procurar “A Ilha”, e que lá ele encontraria respostas para muitas perguntas. Uma amiga do Jacob que tinha ido com ele o ouve gritar e vai ao seu encontro e chega atirando, porem não vê nada no local para onde ele indicava e dizia ver algo tenebroso.

“Eu tinha acabado de aceitar que minha vida seria apenas comum, quando coisas extraordinárias começaram a acontecer comigo. A primeira delas foi um choque terrível e, assim como qualquer coisa que muda você para sempre, dividiu minha vida em duas partes. Antes e depois. Como muitas das coisas extraordinárias que viriam, ela envolveu meu avô Abraham Portman.”

A história segue contando como ninguém deu importância ao que o rapaz dizia. Os pais o levaram ate para fazer terapia, pois achavam que ele estava passando por um processo traumático, talvez pela perda do avô. Mais tarde nós entendemos melhor o porquê de somente seu avô o compreender, e por que seu velho estava sempre contando historias sobre pessoas especiais, e com poderes peculiares. Jacob é levado pelo seu pai a uma ilha no País de Gales, com o intuito dele conhecer um orfanato, onde supostamente seu falecido avô teria crescido. Gente pensa num lugar estranho, na hora tive um déja vu, pensei estar assistindo A Mulher de Preto. O local era todo em preto e branco, não que fosse noite, mas por que o local tem essa característica macabra. O povo muito anti social e para completar o pai do Jacob o deixou com 2 garotos idiotas, que tinham praticamente a palavra “bullyng” escrita na testa, rsrs. Eles foram pagos para levarem o menino no tal orfanato, enquanto seu pai iria fazer umas fotos. É claro que logo o Jacob se viu sozinho e cheio de lama nos pés, pois os ditos rapazes o orientaram a seguir um caminho errado de proposito, só para vê-lo cair num lugar cheio de barro. 

E aí a história começa a entrar no ritmo esperado. Jacob encontra o orfanato, porem faz uma descoberta triste. 


O tal lugar está em ruínas, pois logo descobre também que ele sofreu um atentado na segunda Guerra Mundial. Mas mesmo assim decide explorar o lugar, e percebe que está sendo observado, ao se virar, toma um baita susto. Há uma silhueta feminina o observando, talvez mais silhuetas em outros lugares. Ele sai correndo e quando já está quase saindo do lugar é alcançado por crianças (eu assim como ele achei muito parecidas com fantasmas). Eles o chamam pelo nome e o faz tomar um baita susto, era como se o estivessem aguardando. As apresentações são feitas e Jacob é levado para conhecer o verdadeira orfanato e a sua guardiã, a senhorita Pelegrine (Eva Green). 

O lugar é o mesmo que ele viu em ruínas, mas logo lhe é explicado que ele está em ótimo estado porque a senhorita Pelegrine abre uma fenda no tempo e o deixa sempre nesse tempo. Isso com o intuito de proteger os órfãos alí residentes. Quando ele é levado a tal mulher se vê diante de uma linda senhora distinta, toda vestida de preto, com os cabelos presos em um coque perfeitamente redondo no topo da cabeça. Rosto expressivo e enormes olhos azuis. Ela o examina de cima a baixo, e da a entender que se ele está alí é porque Abraham estava morto. Então se põe e explicar como tudo funciona a Jacob, e o que ele é, quem representa para todos. Ela é uma Ymbrine, guardian que tem a peculiaridade de abrir fendas no tempo, manipulá-lo, e levar pessoas peculiares a viverem indefinidamente, seguras. Longe dos Etéreos (criaturas vis que usam crianças peculiares para experiências macabras que os deixam mais jovens). Ela muda de forma, se transformando em ave, algo típico de ymbrines. 

Jacob sem saber foi seguido até a fenda em que o orfanato estava, e por nada mais nada menos pelo chefe dos etéreos, o senhor Barrom (Samuel L.Jackson), o pior de todos. E ele não foi sozinho, levou consigo uma criatura horrível. Que não pode ser vista por qualquer um, apenas por um tipo de peculiar, que seria o Jacob (Pasmem). E do nada o inferno caiu sobre o lugar, o Barrom queria a srta. Pelegrine, p/ fazer mais uma experiência, e para conseguir isso ele teria matado todas as crianças dali. Ela fez um acordo, iria sem lutar em troca de ele deixar Jacob e as crianças a salvo. Ele blefou e concordou, mas o que não sabia era que Jacob podia ver a criatura, e assim proteger os órfãos. 

Foi um caos, Jacob não tinha boa pontaria, mas conseguiu salvar as crianças. No fim por sua coragem (e sorte), ele matou todas as criaturas, alguns etéreos e ainda salvou a srta. Pelegrine e mais algumas ymbrines.

Achei o filme fraco, os efeitos fracos, a historia não conseguiu, claro, acompanhar a obra literária. Eu sei que raramente um filme chega aos pés do livro, mas pelas propagandas e trailers, achei que sairia da sala do cinema maravilhada, sabe? Bom, espero que gostem, ele não é ruim, mas deixa muito desejar

Nenhum comentário

Postar um comentário