TOP 03: Recomendações de Livros Clássicos para Começar a Ler

  Um dos comentários que eu mais escuto é que literatura clássica é chato. Eu mesmo falava isso direto, porém mudei de ideia após ler Capitães de Areia, de Jorge Amado. Hoje vou indicar para vocês três livros clássicos, que eu li e amo e acho que são ótimos livros para iniciar no gênero. Espero que gostem!

1. O Primo Basílio, de Eça de Queirós

 Li o Primo Basílio ano passado para a minha matéria de Literatura Portuguesa I e assumo que fiquei apaixonada pela história. Eça conseguiu escrever um livro que mais se assemelha a uma novela. Além disso, achei a história incrível. Juliana, Luíza, Basílio, Jorge... Todos são personagens que dividem opiniões e trazem questões interessantes se você ler atentamente.

Sinopse: No cenário de um mundo profundamente transformado pelo desenvolvimento tecnológico, “O primo Basílio” (1878) — romance realista que revela a intimidade, os acontecimentos, os tipos e comportamentos humanos das famílias da sociedade burguesa de Lisboa do século XIX — representa um dos primeiros momentos de reflexão sobre o atraso da sociedade portuguesa.



2. Capitães de Areia de Jorge Amado


Como já disse anteriormente, Capitães de Areia foi o primeiro livro clássico que eu li e foi amor à primeira vista. Fiquei apaixonada pela história dos meninos que moravam em um trapiche abandonado em Salvador. Jorge Amado soube trabalhar muito bem com o livro e apontar muitas questões interessantes como preconceito, desigualdade racial, entre outros.

Sinopse: Capitães da Areia, a história crua e comovente de meninos pobres que moram num trapiche em Salvador e clássico absoluto dos livros sobre a infância abandonada, assombrou e encantou várias gerações de leitores e permanece hoje tão atual quanto na época em que foi escrito.



3. Vidas Secas, de Graciliano Ramos


Vidas Secas foi o segundo livro que eu li do gênero clássico. Além disso, foi o que mais ouvi comentários negativos por ser considerado chato. Eu discordo e considero como um dos melhores livros que eu já li na vida, porque Graciliano soube falar sobre um tema muito recorrente e abordado no Nordeste, que é a seca, de uma forma que impressiona. E acompanhamos Fabiano, Sinhá Vitória, seus dois filhos e Baleia, a cachorra, durante essa jornada.

Sinopse: O que impulsiona os personagens é a seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro. Apesar desse sentimento de transbordante solidariedade e compaixão com que a narrativa acompanha a miúda saga do vaqueiro Fabiano e sua gente, o autor contou: "Procurei auscultar a alma do ser rude e quase primitivo que mora na zona mais recuada do sertão... os meus personagens são quase selvagens... pesquisa que os escritores regionalistas não fazem e nem mesmo podem fazer ...porque comumente não são familiares com o ambiente que descrevem...Fiz o livrinho sem paisagens, sem diálogos. E sem amor. A minha gente, quase muda, vive numa casa velha de fazenda. As pessoas adultas, preocupadas com o estômago, não tem tempo de abraçar-se. Até a cachorra [Baleia] é uma criatura decente, porque na vizinhança não existem galãs caninos". VIDAS SECAS é o livro em que Graciliano, visto como antipoético e anti-sonhador por excelência, consegue atingir, com o rigor do texto que tanto prezava, um estado maior de poesia.
Espero que tenham gostado das indicações e que se interessem pela leitura de livros clássicos. Muitos são vistos como chatos, principalmente por conter palavras desconhecidas por serem antigas. Mas são livros incríveis.

Boa leitura!

Post retirado do blog Delírios Literários da Snow

Um comentário

  1. Carol, você descreveu três livros que amo na literatura.
    Wow
    Cada um com seus personagens, história e cenários diferentes.

    ResponderExcluir