Resenha: Simplesmente Irresistível - Rachel Gibson

Autor: Rachel Gibson
Páginas: 389
Ano: 2013
Editora: Jardim dos Livros
Adicione: Skoob
  
Sinopse: Cheia de romantismo, humor e picardia, esta história da inigualável Rachel Gibson começa com o casamento, no Texas, da recém-formada Georgeanne com o milionário Virgil, um homem três vezes mais velho que ela. Os únicos talentos de Georgianne são cozinhar e falar muito, mas o que Virgil realmente aprecia nela é o corpo curvilíneo e perfeito.
Percebendo que não é capaz de desposar um homem com idade para ser seu avô, Georgeanne larga o noivo no altar e foge com o astro do hóquei John Kowalsky, que joga no time do qual Virgil é proprietário. John não faz ideia da encrenca em que se meteu, e só percebe que está ajudando a noiva do seu chefe quando já é tarde demais. Uma longa noite se estende diante deles, e nenhum dos dois resiste à tentação de passá-la juntos.
Mas, no dia seguinte, John dispensa Georgeanne para não comprometer sua carreira, deixando-a com o coração partido e sem rumo.
Sete anos depois, os dois se encontram novamente. Georgeanne é sócia numa empresa de catering em seattle e ele deixou os dias de rebeldia para trás.
Outra surpresa aguarda John: ele descobre que aquela noite de amor produziu uma filha adorável e incorrigível, de cuja vida ele quer fazer parte.
A paixão por Georgeanne renasce; mas será que ele vai se arriscar, novamente, a incorrer na cólera do seu patrão? Ela, vai aceitá-lo, depois de ter levado um fora dele?
Diversão garantida também é o romance de Mae e Hugh, amigos dos protagonistas, nesta trama hilária, cheia de personagens impagáveis, de uma das autoras mais lidas e apreciadas da atualidade.
.


Resenha: Hoje eu trouxe um livro todo amorzinho, bem do estilo que eu quase nunca leio, e provavelmente não leria se não fosse parte do Projeto Livro Viajante que estou participando. Ele me foi enviado pela Nayara e eu confesso que comecei a ler meio desconfiada e um pouco a contragosto exatamente por ser um estilo incomum à mim.

Então, eu mordi a minha língua, de novo, porque gostei da leitura!

Georgeanne foi criada pela avó, sua mãe a abandonou e ela nunca conheceu seu pai. A avó supria, dentro do possível, a falta dos pais com todo o amor e carinho possível. As marcas ficam, a tristeza e a dor de ser abandonada, também. A menina cresceu com dificuldades, é disléxica, só que na infância isso não foi diagnosticado assim, e sim como um "distúrbio". Georgeanne está de casamento marcado com Virgil, uns 40 anos mais velho do que ela e na hora de subir ao altar o medo e a incerteza a pegam de jeito e ela foge! Assim, vira as costas e vai embora!

John Kowalsky é um jogador de hóquei, que joga exatamente no time que Virgil patrocina, um homem amargurado por algo que aconteceu no passado, que tenta esquecer do que o assombra bebendo, e muito.

Quem será que Georgeanne conhece bem no momento de sua "fuga"? Pois é, o grandão e lindo jogador a quem ela imediatamente pede ajuda para sair dali... John a ajuda, claro, mas antipatiza com ela imediatamente, além de achá-la linda...pois ela realmente é! Porém, a mulher nunca cala a boca, acho que ela fala mais que eu! Apesar de o meu marido achar impossível! 

Ela tagarela a ponto de cansar o coitado, e ele se irrita de verdade, mas o que ela despertou nele além de toda essa irritação foi uma atração e uma paixão meio que incontrolável, eles se entregam, em uma noite mágica...só que não....

Na manhã seguinte, ele compra uma passagem de avião pra ela, a abandona no aeroporto e parte sem olhar para trás, bem quando ela achava que eles iriam construir algo.

No aeroporto ela toma uma resolução que vai mudar a sua vida e ao invés de voltar de cabeça baixa para a casa de sua família, vai à luta, atrás de um emprego de cozinheira, algo que ela faz muito bem aliás! O tempo passa e eles nunca mais se encontram, até que anos depois, quando Georgeanne já é uma empresária de sucesso, eles se reencontram, só para John descobrir que tem uma filha com a mulher que nunca cala a boca!!

E aí a confusão começa, os momentos hilários que temos lá no começo com brigas super divertidas voltam com tudo agora! Só que tem uma menina linda que quer um pai, um pai que deseja muito ter sua filha perto e uma mãe que não quer nem dividir a filha e nem pensar em contar a ela quem é seu pai!

Realmente, tenho que admitir que a leitura é super divertida, além é claro de trazer o problema da dislexia de Georgeanne, a forma como foi mostrada é bem como acontecia antigamente, é diagnosticado um distúrbio...era isso, não tem jeito, seja feliz e se acostume! Lá na década de 70, quando não era um problema conhecido era assim mesmo, eu meio que me irrito com isso, pois não considero como distúrbio e sim como dificuldade de aprendizagem, que se tratado de forma natural, não atrapalha ao ponto que atrapalhou a nossa protagonista.

O problema de John, aquele que fez com que ele se entregasse à bebida lá no começo do livro também é bem construído e coerente e absolutamente compreensível. Não que eu acredite que bebida supre qualquer sentimento, mas vá lá...tem lógica dentro do contexto.

O final não me surpreendeu, no geral o livro não é surpreendente! Não acontece nada que eu diga "Ah, meu deus, não acredito!" mas ele é bom, sem surpresas e com uma pitada (bem grande por sinal) de humor e uma pitada maior ainda de romance. Gostei de como terminou.

Adorei a capa, achei fofa, durante a leitura eu lembro de ter visto apenas um erro ortográfico. As páginas são amarelas (bem clarinhas) e a diagramação está perfeita.

Enfim, se você gosta de romances assim, meio água com açúcar, com carinha de sessão da tarde e que não tem como não gostar de tão gostosinho de ler, se joga pois vale a pena!






7 comentários

  1. simeia silva23/08/2016 09:45

    Vim correndo ler sua resenha, se não tivesse gostado eu ia te matar,hahahaha, brincadeirinha. Amo esse livro, é um dos meus xodós dos meus chick-lits da estante. Leia os outros, vou pegar o segundo da serie depois pra ler e já to ansiosa.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha...oi Simeia! Menina eu amei...e amei a escrita da autora!a também pretendo ler os outros sim!!!! hehe

      bjs

      Excluir
  2. Olá, Denise. Eu sou apaixonada pelos livros da Rachel, para mim são os melhores chic-lits, por isso já li vários dela, exceto esse af. Mas eu sei que a leitura é divertida e muito envolvente e que vou amar!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olha, me arrependi por não ler antes! se soubesse não tinhe esperado tanto tempo não!

      bjs

      Excluir
  3. Que resenha incrível, Deh!! Fiquei muito mais interessada nele agora. Amei!!! Parabéns ❤❤��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehe

      obrigada Cinthia!

      olhaaaa, leia sim, vai valer a pena!!!!

      Excluir
  4. olá Denise..eu estou iniciando neste mundo maravilhoso da leitura...e estou apaixonada...sempre gostei de ler..sou da época que tinha ler e fazer prova sobre o livro ou resumo rsrs...mas com o passar do tempo..meu gosto pela leitura fico adormecido..pois eu tinha q ler livros..textos...para faculdade..pós etc..enfim para o uso profissional...e com um empurrãozinho de uma prima "louca"eu comecei (meio sem querer) a ler..comecei com 50 tons de cinza e não parei mais..rsrs...AMO a série "Perdida"de Carina Rissi..e to ansiosa pelo próximo livro " Prometida"..sou romântica..mas tbm gostaria de conhecer outros tipos de livro..o q vc me indicaria? Parabéns pelo blog..muitooooooo bommmm bjssss

    ResponderExcluir