Resenha: Limbo - de Thiago D'evecque

Autor: Thiago D'evecque
Páginas: 165
Ano: 2015
Editora: Amazon
Adicione: Skoob
Resenha retirada do blog Delírios Literários da Snow
 
Sinopse: O Limbo é para onde todas as almas vão após a morte. Além de humanos, deuses esquecidos e espíritos lendários também vagam pelo plano. Muitas almas sabem exatamente onde estão e por que; a maioria, entretanto, ainda tem a impressão de estar viva. A morte é um hábito difícil de se acostumar. 
  Um dos espíritos residentes no Limbo acorda sem nenhuma lembrança de sua identidade. Ele descobre que a Terra está prestes a ser destruída pelos próprios humanos e fica encarregado de enviar doze almas heroicas de volta. Elas reencarnarão no plano dos homens e tentarão reverter o quadro apocalíptico. 
  Contudo, poucas almas encaram o retorno com bons olhos. O espírito deve, então, forçá-las. Armado, de preferência. Assim, resolve visitar um velho amigo: Azazel, anjo ferreiro e primeiro escolhido da lista. 
  O espírito descobre mais sobre quem realmente é, ouve uma versão completamente diferente sobre a rebelião dos anjos e é presenteado com uma surpresa de péssimo gosto. 
  LIMBO mistura elementos e referências de videogames, RPGs, HQs, animes, mangás, filmes, séries e livros. De Matrix até Final Fantasy, é uma homenagem às influências que marcaram o autor.
Resenha: Uma alma desperta do limbo. Ele não se lembra de nada e o seu corpo é coberto por uma névoa, de forma que ele não consiga se ver. Uma voz diz que ele tem a missão de mandar doze almas para a Terra, para reencarnarem na forma humana, para salva-los da destruição. Porém... Algumas não querem voltar. A alma terá que força-las de preferencia armado. Assim, vai atrás de um ferreiro, que é a primeira alma escolhida para voltar, e também seu amigo. O anjo Azazel. Ele faz uma arma e a alma pergunta se ele quer voltar para a Terra, mas o anjo se recusa e ele precisa força-lo... Prepare-se. Muitas coisas estão por vir.


"E quem melhor para criar uma lâmina espiritual do que o primeiro forjador que os humanos conheceram, aquele cujo coração passou a pertencer a uma mortal, o Punho Divino, a Bigorna dos Céus, o lendário anjo ferreiro Azazel." 
  Limbo foi um dos melhores livros que eu li esse ano e eu vou explicar a vocês o porquê. Começando pela capa, que é linda e muito diferente das que eu já tinha visto. Foi um dos motivos que me chamou muita atenção e que me fez querer ler o livro.


  Quando eu comecei a ler, logo de cara me viciei na leitura. O personagem principal não tem um nome e não lembra de nada do seu passado. E você quer descobrir quem aquele personagem era, o que aconteceu com suas memórias e o por que dele ter sido escolhido para aquela missão.
"Se eu falhar agora, falho com os humanos. Falho com toda a Criação."
  Uma coisa que me apaixonou no livro foi a escolha de personagens mitológicos e deuses, no qual alguns são conhecidos. E isso foi fascinante porque enquanto eu lia e identificava aquele personagem heroico e/ou mitológico, fiquei com mais vontade de ler porque eu já tinha lido sobre ou ouvi minha mãe contar uma história dele para mim quando era menor, e ele estava ali, presente no livro e sendo escolhido para voltar para a Terra para nós salvar.

  Os anjos também estão presentes e conhecemos uma nova versão do autor do que aconteceu com a revolução deles no céu, antes da queda. E é incrível o jeito que o Thiago reescreveu. O modo que ele trabalhou alguns personagens que conhecemos de um jeito e temos uma visão diferente dele no livro, é muito convincente.

  Além do personagem central do livro, eu também adorei Cacá, que é o Deus que está preso na espada que foi forjada por Azazel para o personagem principal do livro. Ele era o Deus do medo e é bem chato no início, mas não vou dizer o porquê eu gosto dele. Vocês vão ter que ler para descobrir!

  Me surpreendi muito com a alma, que é o personagem central. Perto do final do livro, temos uma revelação de quem ele é e caramba, eu fiquei surpresa demais. Nunca imaginei aquilo e o Thiago foi muito criativo.


  O final é maravilhoso. Tive uma nova visão de um personagem que eu nunca imaginei pensar nele daquele jeito e sabemos de todo o passado que a alma não lembrava. E podem se preparar, porque o escritor soube contar o passado de uma forma incrível, que me fez repensar na visão que eu tinha.

  As doze almas são escolhidas por causa de características deles que podem ajudar a salvar a humanidade e eu achei interessante porque são o que realmente podem salvar o nosso mundo real. O escritor simplesmente listou o que poderia ajudar a nós salvar e foram escolhas incríveis!
"Eles se esqueceram de tudo. Os próprios conceitos que me criaram foram deturpados. Não amam mais o fazer, o caminhar, a viagem. Não amam o trabalho que fazem, somente a glória que esperam. Não se importam com a vida atual, somente a vida de ilusões futuras. Não querem o parceiro atual, somente um ideal imaginário que jamais será alcançado."
  Outro aspecto interessante é o cenário que se adapta a mente do espírito. Cada uma das doze almas possui um ambiente diferente. Vemos ambientes tristes, outros que são a imitação de um lugar no qual o personagem conhecia na terra, entre outros. E é muito legal ver esses ambientes no livro e foi uma das coisas que eu mais gostei.

  Para finalizar, queria falar da escrita do Thiago, que é incrível. Ele escreve de um jeito que te prende do início ao fim do livro e você quer mais. Eu queria saber mais sobre o Limbo e quando eu menos esperei o livro acabou.

  Com toda a certeza do mundo e depois dessa resenha enorme, Limbo merece cinco estrelas sim e ainda se tornou um favorito. Foi um dos melhores livros que eu li. Parabéns Thiago! Seu livro é PERFEITO!

Nenhum comentário

Postar um comentário