Luz, Câmera, Ação! O Intruso - No Good Deed




Direção: Sam Miller
Ano: 2014
Classificação: 14 anos
Produtora: Aimee Lagos
Distribuidor Brasileiro: Sony Pictures Home Entertainment
Elenco:  Idris Elba como Collin
Taraji P. Henson como Terry
Leslie Bibb como Meg
Kate del Castillo como Alexis
Henry Simmons como Jeffrey
Frank Brennan como Parole Board Chairma.
Nota: 
Sinopse: Após largar o trabalho de policial no departamento de apreensão de drogas, uma mulher decide permanecer em casa e cuidar dos dois filhos. Um dia, ao testemunhar um acidente de carro, ela deixa a vítima entrar em sua casa para ser ajudada. Ela mal sabe que este é, na verdade, um prisoneiro que escapou da prisão, e simulou o acidente para se aproximar da antiga policial. Em seguida, este homem sequestra a família e aterroriza as crianças.






Faz muito tempo que um filme não prende minha atenção ou um personagem me faz torcer e gritar por ele ou contra ele. O Intruso conseguiu esse feito com louvor.

O filme começa de maneira típica, um criminoso indo à júri tentando soltura por "bom comportamento" e aquela visão de pequeno tribunal que já conhecemos. Tudo lindo, o centro da trama é o presidiário Collin. Assim que tem oportunidade, super calmo, Collin pede pede um minuto para falar e é atendido. Com coerência, narra seus bons feitos na prisão e explica que está "apto" a ser reeintegrado socialmente, pede uma segunda chance e até me convence (como se fosse difícil). Porém, a calma e a coerência terminam no momento em que ele é confrontado por um dos homens que compõe o corpo de julgadores sobre seu caso, o Sr Parole Board (ele só aparece nesse trecho para confrontá-lo).

O julgador chama Collin de Narcisista Maligno e diz que seu autocontrole só funciona enquanto não é contrariado, Parole Board fala com autonomia o que me leva a crer que ele é o "avaliador psicólogo" do caso (não que essa observação tenha de fato um peso para trama, mas foi uma percepção rsrs) e entre outras coisas, cita que Collin é um perigo para sociedade e relembra ainda as 4 mortes de mulheres cometidas por ele, assim como diversas agressões envolvendo sempre uma pessoa do sexo feminino. Acabou! O moço perde a linha e quer gritar.

O que acontece? Collin tem seu pedido de soltura por bom comportamento negado e a caminho da penitenciária, de onde só sairia quando terminasse a pena estabelecida, mata os dois policiais que o escoltavam e foge. Cena triste, pois o policial que dirigia o veículo acreditava no bom comportamento dele.

Sua primeira ação ao fugir: seguir sua ex namorada. Nessa "perseguição" ele a vê interagir romanticamente com um homem. Nesses filmes de suspense aparecer do nada é tão comum quanto andar e falar, para não fugir a regra, Collin aparece na casa de sua ex namorada, Alexis, como um fantasma. Depois de um bate boca, uns joguinhos psicológicos e uns tapas no rosto a jovem é morta brutalmente. Nessa cena fica claro a psicopatia do fugitivo, pois ele a envolve pedindo perdão, se aproxima, aproveita a oportunidade para estrangula-la e depois acerta-a diversas vezes com um abajur na cabeça. Sim, cena tensa, mas não mostra detalhes, fica a cargo da imaginação.

Collin sai da casa de Alexis dirigindo, aparentemente desnorteado e acaba batendo o carro. Ele vai até a casa mais próxima para pedir ajuda e essa é a casa do casal Terry e Jeffrey, onde a esposa encontra-se somente na companhia dos dois filhos enquanto o marido dá uma desculpinha para jogar com o pai.

Terry é linda, é mãe e dá conta de mil e uma coisas em casa enquanto seu marido Jeffrey a ignora e trata com frieza. Terry largou sua profissão para se dedicar em tempo integral aos filhos. Quando a coitada pede ajuda ao marido ele a lembra dessa escolha de "ser mãe em tempo integral", como se a culpa do caos que a vida está fosse consequência e responsabilidade dela. Panaca!

Rejeitada, sexualmente incompleta e cheirando a leite, Collin encontra ali um bom ambiente para atacar uma nova presa. Mas por qual motivo?

Collin aborda Terry de maneira educada, diz que seu carro bateu e precisa ligar para o seguro. Mas que raio de seguro, o carro é roubado, o que você quer aí? E já começou a gritaria aqui em casa! Sim, eu sou a louca que não sabe assistir filme envolvente e tenso calada.
- Sua burra, como você abre a porta para um estranho enquanto está sozinha? E seus filhos?
Bem, Terry não me ouve e se deixa levar pelo bom jeito de Collin. Ela não só empresta o telefone e roupas secas, como deixa o homem entrar e oferece chá! A melhor amiga de Terry, madrinha da filha mais velha dela chega e eu penso "nossa, ela não está mais sozinha", mas é por pouco tempo. Agora além do chá eles bebem vinho e conversam como se fossem amigos de longa data, enquanto Collin sonda a conversa das duas.

Quando Mag começa a perceber que Collin está mentindo, ele a mata! MAS POR QUE? O QUE ELE QUER ALI? 😱 Mag recebe uma baita "pazada" na cabeça enquanto eles fumavam na garagem, Terry não vê, pois está com uma das crianças que acordou chorando no quarto. Motivo da "pazada"? Mag o confrontou. MAS DE ONDE SURGIU A PÁ? Hahahaha De alguma maneira imperceptível Collin estava apoiado nela enquanto fumava.

Terry sente falta da amiga atiradinha, mas acredita que Mag foi realmente embora, como se quisesse deixar o bonitão e ela a sós. Afinal, a melhor amiga já deixou claro que Jeffrey não a valoriza.

A mamãe solitária começa a entregar sobre sua profissão, ela trabalhava no Ministério Público e ajudava a engaiolar agressores de mulheres e serial killers, a coitada cita que esse tipo é burro e previsível. Cuma?
- SENHOR! A burra é você, olha aí um agressor na sua frente, minha filha!


Como esperado, ela percebe que o moço não é tão legal assim. Mas já é tarde. Ele já cortou os fios do telefone e começa o joguinho psicológico. Terry reage, tem luta, tem sangue e quando Collin se vê machucado ele a leva pro banheiro e eu pensei, "não acredito que ele irá violenta-la!", mas ele não o faz. Uff! Collin a força a entrar no box com ele peladão, mas ela de roupa. O que ele quer com isso? Jogar, joguinho psicológico, óbvio! Ou não... Terry acha que mata a questão.

Ao perceber que Collin está jogando e que sua intenção não é mata-la, Terry confronta-o verbalmente e ele rebate com ameças. Mais pancadas, mais luta e mais sangue. Collin, já revoltado deixa claro que a intenção não é machuca-la, mas vai acabar perdendo a paciência, em seguida ordena que ela entre no carro com os filhos e dirija. Ele a leva para a casa de Alexis, a mulher que foi morta no início. Sim, eu comecei a entrar em parafusos nessa hora. Mas as coisas começam a ficar mais claras no cenário onde tudo começou.

O que levou Collin a agir assim? Por qual motivo Terry é envolvida nisso? Será que o fato de "ajudar a prender" psicopatas o fez ir atrás dela? Será que Jeffrey, por ser advogado, tem algo a ver com o pedido de soltura de Collin ser negado? Será Collin um torturador, maníaco que quer submeter a Terry a visão de uma vítima que ela talvez teria conseguido proteger se estivesse atudando em sua área, no lugar de "ser mãe em tempo integral"?

Essas foram as dúvidas que surgiram quando eles foram para a casa de Alexis. Óbvio que não vou contar o desfecho para vocês, mas aconselho, vejam!

Definição desse filme: inquietante, instigante e surpreendente. Senti que estava jogando detetive. Sabe, "quem foi?", "com qual arma?", "em qual lugar?", mas com um "quê +": POR QUAL MOTIVO?
Por fim: nunca abra a porta para um estranho, nunca se sabe o que pode acontecer, que lição ele quer ensinar para você, ou para o seu marido...

Bjs e bom filme :*

2 comentários

  1. Filme muito bom, surpeendente. O final foi o melhor, final mais que merecido. Nota 1000 pra atuação do ator que fez o Collin!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Final mais que merecido!!! [2]
      Kkkkkkkkk
      O tapa na cara é a melhor parte...
      Sem spolier 🙈

      Excluir