Resenha: A Garota de Treze - Lilain Reis

Autor: Lilain Reis
Páginas: 220
Ano: 2016
Editora: Mundo Uno
Adicione: Skoob


Sinopse:  Oi, meu nome é Luce. Odeio ter treze anos, ser chamada de pirralha e não ser popular, mas, Acima De Tudo, odeio nunca ter sido beijada! Só tenho uma amiga de verdade, a Rafa, e um amigo apaixonado que tenta de todas as formas chamar minha atenção, o Bruno. Ele é pra lá de fofo, mas não gosto de garotos tão novos, entende? Minha vida sem graça começou a mudar quando botei os olhos no vocalista de uma nova banda. Nossa. Que gato! Eu já queria fazer aulas de violão, mas, depois que ouvi o carinha, decidi me matricular. Quase caí dura quando descobri que ele era o professor! Pelamordideus! Além de atencioso, paciente e lindo, tocava MUITO! Fiquei maluca por ele, tão maluca que decidi trapacear. Eu só não imaginava que as consequências seriam tão desastrosas!
Resenha: "Você seria capaz de trapacear para ficar com o carinha mais gato do pedaço?"
Luce é uma menina de 13 anos que está ansiosa para completar 16. Para ela, essa tão aguardada idade, lhe trará liberdade, maturidade (as pessoas vão para de cha-la de criança) e ela finalmente poderá namorar. Ela e sua melhor amiga Rafa, não são nada populares na escola e vivem sonhado em dar o tão aguardado primeiro beijo. Luce tem até um pretendente, seu amigo Bruno, mas ela o vê como um irmão ao contrário dele que nutre sentimentos por ela.
"Coisas legais nunca aconteciam para garotas de doze ou treze anos!!"
Inicialmente, a história gira em torno da vida de Luce e sua convivência com pai, com a mãe que não a compreende muito, seus amigos, a escola e as garotas que vivem implicando com ela... Tudo muda quando ela conhece Noah, seu professor de violão e vocalista de uma banda. Luce fica encantada por ele e logo desenvolve uma paixonite pelo rapaz de 18 anos. Quando o avançar da trama, percebemos que Noah começa a sentir o mesmo por ela e para não estragar suas chances, ela mente sua idade, dizendo que tem 16 anos. Noah não tinha como questionar, a aparência dela era de uma menina dessa idade e estava até maquiada como uma. Então, eles desenvolvem um namoro em meio a essa mentira e muitas outras vão sendo acrescentadas e isso vai tornando a vida de Luce em uma bola de neve.

Esse livro me levou ao passado, aos meus 13 anos, onde minhas preocupações eram as mesmas da protagonista. Acho que nessa fase, todos passaram por essa dúvida, afinal, estamos saindo da fase criança para a fase pré-adolescente ou adolescente. Uns tiveram mais paciência em relação aos conflitos da fase e outros eram totalmente apressados e queriam que anos passassem logo como Luce. Não vou dizer em qual me encaixo mas digo que ao contrário da personagem principal desse livro, meu primeiro beijo demorou uns anos para acontecer. Mas, voltando ao que interessa “A garota de treze”, apesar de ser um livro para meninas mais ou menos dessa idade, foi muito divertido de ler porque eu me identifiquei muito com a história e os acontecimentos. Luce é uma menina como todas foram ou somos (a não ser que você seja um menino. Desculpa kk) e com características de uma garota dessa idade. Ela passa por conflitos com mãe, com os amigos, tem toda aquela história de popularidade na escola como conhecemos, acrescentando o fato que ela é mega ansiosa para completar a idade dos sonhos, 16. Eu não sei vocês, mas eu também era! Em meio a isso tudo, ela se vê apaixonada por um garoto mais velho e que tem  uma vida com muito mais responsabilidade que ela.

Luce junta a paixão que ela sente por esse menino, mais a ânsia de aparentar ser mais velha e mente sua verdadeira idade para que eles pudessem ficar juntos, afinal, Noah nunca namoraria com ela caso soubesse sua real idade. Quanto mais Luce sustentava essa mentira mais mentiras iam surgindo, porém ela estava prestes a ser descoberta, pois uma coisa que não foi dita, ou melhor, esclarecida colocará o namoro deles em risco. E aí você pergunta: Mais em risco do que já está, Cinthia? E eu digo: Sabe de nada! Kk....


Elogios a parte, tenho que confessar que alguns pontos desse livro me desagradaram um pouco. Não me leve a mal, não é porque o livro é para adolescentes de 13, 14 anos e eu sou uma adolescente de 19 (ou uma criança de 19 anos) é que alguns assuntos foram abordados de forma errada e podem causar certa confusão na mente de meninas que leiam esse livro. Exemplo? Quando li uma parte em que Luce meio que ameaçou contar os pais de sua rival de turma que ela “colocava o dedo na garganta”. Sei que ela pode ter dito isso no calor do momento, pois ela estava sendo ameaçada pela menina, mas ao tratar de uma doença grave como essa de maneira tão distorcida pode causar confusões na cabeça de garotas que venham a ler esse livro. Bulimia não é uma gracinha para chamar a atenção das pessoas, é uma doença grave, séria e que precisa de acompanhamento médico. Talvez Luce não tenha tido acesso a tais informações, mas acho que toda garota deveria ter.

Outro ponto negativo é a importância em que ela dá a sua aparência. Sempre frisando que cabelos lisos são mais bonitos e que não gosta dos seus, pois são enrolados. Ela tem um caso de amor profundo com a escova e odeia sair em público sem estar com os cabelos bem esticados. Sabemos que pensamentos assim podem atuar de forma negativa para as meninas. Sei que quando éramos dessa idade, tínhamos pensamentos que eram influenciados por uma beleza imposta (nem todas éramos assim). Mas a cada dia, lutamos para que exista uma aceitação de um padrão de beleza próprio, lutamos por uma auto aceitação da sua identidade e características e colocar uma personagem que não se aceita, não me parece um bom exemplo.

Apesar dos pontos negativos, é uma história gostosinha de ler e divertida. Tem músicas atuais de artistas que eu gosto muito como “Let her go” do Passenger, "Give Your Heart a Break" da Demi Lovato e boybands como One Direction. Luce cita livros como 50 Tons de cinza que ela e Raffa estão curiosas para ler e Pretty Little Lies que é sua série de livros favorita. Quero deixar claro que minhas críticas a alguns pontos não influênciam a história, que é boa, bem escrita e recomendável, foi apenas uma ressalva que não passou despercebido aos meus olhos. Então se você tem uma adolescente em casa que gosta desse estilo de leitura e dos livros da Thalita Rebouças e Paula Pimenta, apresente essa história a ela, aposto que gostará muito e se identificará com as loucuras de Luce.


10 comentários

  1. Oi, não conhecia o livro, ele parece ser um pouco engraçado, apesar de gostar bastante do gênero esse não me chamou a atenção.

    ResponderExcluir
  2. Olá Cinthia
    Hummm vou passar a dica de hoje, o livro parece ser adolescente demais e com um tema que é legal quando somos adolescentes, mas na minha idade é só um grande mimimi XD. Ai ai se a gente soubesse que crescer não é assim tão legal quando tínhamos 13 anos iriamos preferir ter essa idade para sempre.
    Beijos

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oie,
    acho que todo livro mais adolescente é clichê e faz a gente voltar um pouco na nossa própria adolescência. E ter a tal maturidade para fazer coisas que não se pode antes heheheheh.
    Gostei da capa do livro e não o conhecia.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  4. hahaha na minha opinião com 19 anos não é nem adolescente e nem criança, já é considerada uma jovem kkkkk eu com 19 anos já me sustentava. Bom, vamos ao livro...
    Eu acho que alguns autores se esquecem que são formadores de opinião e quando tratam assuntos importantes em suas obras de maneira que não dê tanta atenção quanto o necessário, talvez fosse melhor nem colocar isso na trama, se não vai explorar ou fazer algum alerta, não coloque no livro pois isso pode mesmo confundir os leitores e até mesmo incentivá-los. Não acho certo ela falar para um público adolescente sobre livros como 50 Tons de Cinza, mesmo que os adolescentes de hoje em dia sejam tão entendidos, mas mesmo assim eu não acho legal (até porque isso é vergonhoso, criança deveria ser criança, adolescente deveria ser adolescente e o que tem acontecido é que ambas as faixas etárias estão querendo amadurecer mais rápido que a própria idade, lamentável).
    Mas, mesmo com tudo isso que eu concordo plenamente com a sua opinião, eu ainda tenho interesse para ler o livro, talvez não goste tanto quando eu imaginei que fosse gostar, mas não custa tentar.

    ResponderExcluir
  5. Oiii Cinthia, tudo bem?
    Que resenha incrível, adorei ler sua sinceridade sobre a obra, em algum momento fiquei meio confusa porque não sei se me habitaria bem a leitura, mas leria por curiosidade mesmo.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Nossa, Cinthia
    Ainda não conhecia o livro, mas amei sua resenha. Fiquei mais curiosa para ler o livro por causa das suas ressalvas do que por conta dos elogios rs
    Parece que tem muita coisa que não é bom mesmo para as meninas que irão ler e concordo completamente com você. Essa idade é fundamental para a formação dos pensamentos do adulto que ela será no futuro.
    Bela resenha, amei.

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Achei a sinopse um pouco..."Você só tem treze anos e já se preocupa com isso!!". Não sou o público-alvo e tal, por isso não me interesso muito. E realmente, é um risco tratar de assuntos como a bulimia desse jeito. Espero que nada. Adorei a resenha
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Não conhecia o livro e pra ser sincera tenho fugido de histórias adolescentes nesse estilo. Os pontos negativos que você destacou me deixaram bem desanimada e com um pé atrás, mas fico contente que tenha sido uma leitura divertida para você, apesar de tudo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi, oi, oi!
    Eu acho a capa desse livro uma gracinha e tenho vontade de ler, porém, depois da sua resenha eu já fiquei meio assim por conta dos pontos negativos. Mesmo ele sendo divertido e gostoso de ler, tenho medo que as futilidades dessa idade me irritem e me façam desgostar da leitura. Enfim, tenho trocentos livros na frente, então não me preocupo com ele rsrs.
    Bjks
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
  10. Oi,

    Eu gosto da capa do livro, e algumas amigas compraram o livro na bienal. Mas apesar de ser uma baby de 21, são poucos os livros adolescentes que me chamam a atenção, quando se é mais nova você lê esses livros e não faz grandes questionamentos sobre os fatos, mas quando se é mais velha é difícil deixar essas pequenas coisas passarem despercebidas. Se o livro agrada o publico alvo, já é um ponto positivo.
    Beijos.

    ResponderExcluir