Vozes do Joelma - Vários Autores

16 de junho de 2021

Título: 
Vozes do Joelma
Autor: Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini
Páginas: 288
Ano: 2019
Editora: Faro Editorial
Gênero: Terror, Literatura Nacional, Contos
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:   
Sinopse: Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini são autores reconhecidos pela crueldade de seus personagens e grandes reviravoltas nas narrativas. As mentes doentias por trás dos livros A Casa dos Pesadelos, O Escravo de Capela, Dança da Escuridão, Horror na Colina de Darrington, Quando ela desaparecer, O Casamento, Colega de Quarto, e da série As Crônicas dos Mortos, se uniram para criar versões perturbadoras sobre as tragédias que ocorreram em um terreno amaldiçoado, e convidaram o igualmente perverso Tiago Toy para se juntar na tarefa de despir os homicídios, acidentes e assombrações que permeiam um dos principais desastres brasileiros: o incêndio do edifício Joelma. O trágico acontecimento deixou quase 200 mortos e mais de 300 feridos, além de ganhar as manchetes da época e selar o local com uma aura de maldição. Esse fato até hoje ecoa em boatos fantasmagóricos que envolvem a presença de espíritos inquietos nos corredores do prédio e lendas sobre lamúrias vindas dos túmulos onde corpos carbonizados foram enterrados sem identificação. Algo que nem todos sabem, é que muito antes do Joelma arder em chamas no centro de São Paulo, o terreno já havia sido palco de um crime hediondo, no qual um homem matou a mãe e as irmãs e as enterrou no próprio jardim. Devido às recorrentes tragédias que marcaram o local, há quem diga que ele é assombrado por ter servido como pelourinho, onde escravos eram torturados e executados. E sua maldição já fora identificada pelos índios, que deram-lhe o nome de Anhangabaú: águas do mal. Se as histórias são verdadeiras não se sabe... A única certeza é que a região onde ocorreu o incêndio tornou-se uma mina inesgotável de mistérios. E, neste livro, alguns deles estão expostos à loucura de autores que buscaram uma explicação..



Resenha:

“Enquanto forem amados pelos que ficam, os que morrem nunca desaparecem por completo.”

As Vozes do Joelma - Os Gritos que não foram ouvidos, é uma antologia de contos de quatro autores nacionais excelentes, Marcos DeBrito, Rodrigo Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini. Publicada pela Faro Editorial, o livro tem uma apresentação intensa de Tiago Toy, para cada conto e serve como ligação entre eles.

Foi o meu primeiro contato com a escrita de Marcos DeBrito e Marcus Barcelos e gostei muito, já pretendo ler mais livros deles. Victor Bonini, eu conheço mais seu trabalho como jornalista do que escritor, mas isso irá mudar em breve. Rodrigo Oliveira é um autor que já conheço e que particularmente sou fã, e inclusive temos resenha e Leitura Coletiva deles no blog, para ler basta clicar na imagem abaixo:



Pelo tema escolhido e os autores envolvidos eu estava bastante empolgada por essa leitura e não me arrependi. 

As vozes do Joelma, os gritos que não foram ouvidos, temum lindo projeto gráfico, a capa possui uma arte que impacta, boa qualidade do papel e diagramação que combina perfeitamente com o livro. Temos fotografias sinistras, uma paleta de cores muito bem escolhida. É um dos livros que mais gostei da editora.



O incêndio do edifício Joelma é até hoje considerado uma das maiores tragédias do país, com mais de 200 mortos e 300 feridos, tornou o local e os arredores palcos de lendas urbanas e muitas historias de terror.

Com diversos casos de violência ocorrendo na região, muitos acreditam que o local é mal assombrado e amaldiçoado desde muito antes da tragédia do incêndio.

É com essa inspiração que os quatro autores criaram os contos do livro. Então apesar de alguns, serem levados a acreditarem, não há comprovações de que são baseados em casos reais... Pelo menos assim espero.

“Certas histórias são inventadas, e todo mundo acaba acreditando. Acostume-se...”

Vou falar brevemente de cada conto, porém, não vou entrar em detalhes das tramas para terem uma experiência tão boa, quanto eu tive os lendo e me surpreendendo com a criatividade e escrita dos autores.

Falarei apenas da minha experiência os lendo.



O primeiro conto é Os Mortos Não Perdoam do Marcos DeBrito, cuja trama acontece cerca de vinte anos do incêndio do Joelma. E usa como referência um crime real, conhecido como o Crime do Poço. 

Pablo é um jovem químico, que por acaso também é um assassino, enquanto acompanhamos uma narrativa perturbadora me senti bem próxima de entender a mente insana dele, e o modo como foi escrito tornou o horror da situação bem real. Eu adorei!

Gostei do primeiro conto ser antes da tragédia, o que reforça a ideia de que o local todo em si está amaldiçoado, e já prepara os nossos corações para os horrores que iremos ler depois.



É do Rodrigo Oliveira o segundo conto do livro. Nos Deixem Queimar, aqui vou falar brevemente sobre o Rodrigo. Já conheço a escrita dele da serie de livros de zumbis. E preciso dizer que ele tem um talento acima da média para entregar uma historia empolgante em um formato de conto. Normalmente os contos não possuem um grande desenvolvimento da trama pela limitação de páginas. Mas gosto bastante dos contos dele, e aqui ele entrega uma angustiante perseguição, com toques sobrenaturais, porém, como em suas outras obras, a maldade humana é tão forte quanto os horrores sobrenaturais, até mesmo se mesclam. Este conto nos leva ao dia da tragédia do Joelma. Me senti muito conectada a Samara, e seu destino foi aterrorizante.



O terceiro conto é Os Treze de Marcus Barcelos, que me faz refletir mil vezes antes de entrar em um elevador, ainda mais em prédios antigos – e não o Joelma não era antigo, pelo contrario, era um prédio novo de menos de três anos da construção, so foi negligencia mesmo de quem construiu. – este conto tem inspiração nas trezes vítimas  que foram encontradas carbonizadas no elevador, o espaço pequeno e o confinamento fez com que a ação do fogo fosse extremamente intensa e os corpos sequer puderam ser identificados. Enterrados juntos, essas trezes almas sofreram muito e o conto nos leva a ao que houve com os corpos após serem enterrados, e o terror foi real, ainda mais para Amilton, o coveiro.

Gostei muito da escrita do autor e já quero ler mais 



O último  conto, é do jornalista e escritor Victor Bonini, O Homem na Escada, a história acontece anos após a tragédia do Joelma, que agora é uma ocupação. Temos então Solange como protagonista, cuja vida não foi fácil, e está ainda pior, já que ela precisa lutar para compreender o que está acontecendo em sua vida. Com uma escrita fragmentada, Bonini, tece uma historia de terror violenta eperturbadora. Conforme Solange vai se recordando do que fez ou foi feito a ela, a sombria figura na escada vai ganhando mais força. 

O conto encerra o livro de forma brilhante, e foi um dos meus favoritos.

É um livro para quem gosta de terror e sobrenatural. Possui contos muito bem escritos, mas alguns são mais pesados que os outros. Para quem é kardecista, ou simplesmente acredita em outras vidas e existência após a morte, o livro trás alguns pontos interessantes, mas é necessário ter em mente o tempo todo que é ficção. É um livro que prova a força e o talento dos nossos autores nacionais. Super indico a todos.

Espero que gostem da indicação e ate à próxima.

13 comentários

  1. Uma das minhas releituras deste ano com toda certeza do mundo! Só esperando meu livrinho voltar de um empréstimo rs
    Eu amo os autores, principalmente o Bonini que já li e tenho alguns livros na estante e estou de olho já no lançamento que vem chegando por aqui.
    Eu li um livro antigo sobre o incêndio mesmo, na biblioteca da escola e já lutei para encontrar. Mas acredito que só em algum sebo e minha cidade? Nem livraria :/
    O conto do elevador é dolorido e as Treze Almas, ai ai.
    Eu amei o livro,mas é preciso gostar de sentir o medo para apreciar a leitura. Eu? Amo sentir medo! rs
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Sei dessa tragédia do edifício Joelma só mesmo através dos jornais .foram relatos angustiantes.
    Reuniram quatro grandes escritores para essa antologia de contos e imagino que deve ter saído contos horripantes .porque posso imaginar que esses autores capricharam nos contos.
    Já que eles gostam de escrever terror e ainda por cima nesse livro escrevem sobre um local que foi recheado de mistérios e lendas.
    Mas deixo passar a dica .terror não é para mim
    Ah as fotos ficaram ótimas
    Bem no clima rsrs

    ResponderExcluir
  3. Olá! Eita até que estava empolgada com esse livro, principalmente por conta dos livros do Zumbi, que me deixaram bem tentada na época das resenhas, mas esse segundo conto me deixou literalmente se olhos arregalados tamanho horror, então acho que vou repensar essa leitura… ai ai ai Yukito, definitivamente o gênero não é para mim!

    ResponderExcluir
  4. Vivian!
    Desde o lançamento desse livro sempre tive vontade de conferir os contos, primeiro porque gosto muito da escrita de todos os autores, são impressionantes e porque, quando o Joelma pegou fogo, morava em São Paulo e mesmo pequena, lembro da comoção que foi e da dor estampada na TV... foi um caos.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Nossa! Que livro forte e impactante!
    Deve ser uma leitura angustiante, visto que de certa forma podem ter acontecido

    ResponderExcluir
  6. Nossa, as imagens do livro estão lindas 😊. O terceiro conto me deixou bastante curiosa esses negócios de elevador. Nossa tudo chama bastante atenção principalmente o nome do livro. Desse ser uma experiência muito boa mesmo ler esse livro é tão vom ver sempre conteúdo sobre obras nacionais 😍.

    ResponderExcluir
  7. Que edição bonita, viu? Não é meu gênero de leitura. Acho que nunca li nada assim, mas gosto muito de acompanhar todas as resenhas. Lembro que essa série que você colocou a imagem foi extremamente comentada. Outra coisa muito boa é saber que é nacional. Meu coração tem um carinho especial por eles.

    ResponderExcluir
  8. Oii,
    Conheço os autores e o livro de ouvir falar, nunca li nada deles, mas quero muito ler esse.
    Gosto de contos, e embora tenho medo de terror, a história do edifício Joelma é muito triste e interessante. Vi alguns relatos sobre essas coisas sobrenaturais que acontecem lá no YouTube, acho que irei curtir o livro. Apesar de ser tudo muito triste.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá Vivian!
    Eu lembro o quanto os Livros do Rodrigo foram apreciados por aqui. Os outros autores eu não conhecia e achei muito bacana a temática do livro girar em torno de um acontecimento real. A obra é perfeita para os fãs de terror se jogarem e conhecerem os autores nacionais do gênero.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Vivs!
    Essa obra é um prato cheio pra mim, afinal você sabe muito bem que adoro livros de terror. Não tenho o costume de ler contos justamente por essa questão da limitação de páginas (e consequentemente de profundidade da história) que acaba deixando a trama superficial.
    Mas vejo que aqui isso não é um problema. Por acompanhar a leitura coletiva do livro dos zumbis, claro que o conto que mais me chamou atenção foi Nos Deixem Queimar. O autor sabe como mostrar o lado mais podre dos seres humanos, e vamos combinar, isso é o mais assustador de tudo, pois pode realmente acontecer.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Já conhecia a história do edifício Joelma mas o livro não, parece bem legal mas não acho que seja um livro que eu leria

    ResponderExcluir
  12. Oii
    Não conhecia esse livro, mas confesso que não é um livro que me interessa tanto. Não gosto de ler terror, sou muito medrosa. E não sei se gostaria de ler um livro que usa como base uma tragédia real que já aconteceu. Mas parece ser um ótimo livro, todos os contos parecem bem escritos, realmente é uma ótima dica para os fãs do genero.

    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  13. Olá,

    Não sabia desse incêndio e já vou pesquisar mais sobre ele.
    Confesso que não sou muito corajosa para livros de terror.
    O terceiro conto me pareceu o mais assustador e terrível, só imaginar morrer queimado e ainda por sima do elevador. Que triste que as vítimas não puderam ser reconhecidas.

    Beijos

    ResponderExcluir