Um Tom Mais Escuro de Magia - Os Tons de Magia, 1 - V.E. Schwab

19 de janeiro de 2021

 

Título: Um Tom Mais Escuro de Magia
Autor: V.E. Schwab
Páginas: 455
Ano: 2017
Editora: Record
Gênero: Fantasia
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse: Um universo de aventuras audaciosas, poder e múltiplas cidades de Londres. Kell é um dos últimos Viajantes ― magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza, suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco ― George III. A Londres Vermelha, onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez... a Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela. Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto. Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos.


Resenha
Nosso mundo está dividido. Nele, conseguimos ver cidades diferentes, separadas pela magia e pela história que a cerca. No caso, temos a Londres Cinza, uma cidade comum onde a magia não passa de histórias imaginárias, a Londres Vermelha, gloriosa e com uma fonte quase viva de poder mágico, a Londres Branca, um lugar onde a magia começa a dar fome às pessoas que a desejam, e a Londres Negra, a cidade onde a magia já engoliu tudo e todos, e tem suas próprias vontades. Uma cidade morta, uma tediosa, uma perigosa e uma encantadora. São essas quatro cidades que são pano de fundo para Um Tom Mais Escuro de Magia, o livro que vamos falar agora e que você vai querer ler depois dessa resenha.

Um homem faz um corte em seu braço e, com sangue, traça um símbolo simples e sem um significado específico. Através desse pequeno ritual, ele atravessa a parede com facilidade e se depara com uma cidade igual, mas completamente diferente da sua. Isso poderia parecer estranho, se Kell não fosse um Antari, um dos únicos que sobrou no mundo, um mago que possui magia em sua forma mais pura e forte e tem a capacidade de caminhar por vários mundos.

"Kell levou a lâmina até o dorso de seu antebraço. Já havia entalhado uma linha naquele dia para a porta que o levara até ali. Agora cortava uma segunda. Seu sangue vermelho-vivo brotou e se espalhou, então ele devolveu a faca à sua bainha e tocou o corte com os dedos e depois a parede, redesenhando o círculo e a linha que o cruzava. Kell baixou a manga da camisa sobre a ferida — trataria todos os cortes quando chegasse em casa — e olhou de relance para o rei balbuciante antes de pressionar sua palma estendida na marca na parede. A marca zumbiu com magia.
— As Tascen — proferiu. Transportar.
O papel de parede adornado enrugou-se, suavizou-se e cedeu ao seu toque, e Kell avançou através dele."

No caso, Kell trabalha para o rei da Londres Vermelha, sua cidade natal, um lugar onde a magia é uma benção, as pessoas parecem felizes e casacas vermelhas andam para lá e para cá para manter uma ordem que já é mantida com facilidade. Mas Kell não mantém sua farda vermelha enquanto exerce seu ofício, e não troca de roupa! Ele muda o seu casaco, trocando lados, revirando, até encontrar uma cor mais cinzenta, mais discreta, mais... tediosa. Kell está agora na Londres Cinza, e o  rei da cidade está debilitado e deixando um trono para um herdeiro ambicioso e curioso demais pelo outro lado e pela magia que corre nas veias de Kell.

Mas Kell não pode dizer nada sobre a magia, aliás, o Antari é proibido de transportar informações mais abertas e, principalmente, objetos de Londres para Londres. E é justamente isso o que ele faz. Kell é fascinado pelos objetos da Londres Cinza (que no caso seria a nossa Londres), uma cidade que não possui magia, e justamente por isso produz objetos simples e encantadores: caixas de música que precisam de corda para tocar, mapas e livros.

"O quarto em si era rude, gasto e demasiadamente pequeno, mas era todo seu, só seu. Um feitiço — não exatamente permitido por lei — marcava a janela e a porta para que ninguém mais pudesse encontrá-lo ou mesmo perceber que existia. À primeira vista, o cômodo parecia praticamente vazio, porém uma inspeção mais cuidadosa revelava que o espaço debaixo da cama estreita e as gavetas da cômoda estavam cheias de caixas. E, nessas caixas, havia tesouros de todas as Londres."

Seu hábito de contrabandista o deixa em apuros quando Kell transporta um objeto carregado de magia para a Londres Vermelha, um objeto que não devia estar sendo transportado. E esse objeto o seduz, canta para ele, pois o Antari é feito de magia, e o objeto pode fornecer a ele sua essência. Mas a que preço?

Lila é uma garota peculiar: seu sonho não é ter vestidos de seda e frequentar bailes da corte onde as damas são apresentadas. Pelo contrario, Lila tem um desejo enorme de ter seu próprio navio e ser um pirata para conhecer novos lugares.

"O corpo de Lila ansiava por uma noite de sono, mas a jovem prosseguiu com seu ritual de todas as noites, atravessando as docas até a proa do navio e fechando os dedos ao redor do timão. A madeira fria sob os dedos, o movimento suave do convés sob os pés, tudo parecia certo. Lila Bard sentia em seus ossos que nascera para ser pirata. Tudo que precisava era de um navio em bom estado. E quando tivesse um... Uma brisa roçou em seu casaco e, por um instante, ela se viu longe do porto de Londres, longe de qualquer terra, singrando o mar aberto. Ela fechou os olhos e tentou imaginar o toque da brisa marinha correndo por suas mangas puídas. O pulsar do oceano contra os costados do navio. A emoção da liberdade — da verdadeira liberdade — e da aventura."

As viagens e aventuras fazem parte de seus sonhos e regem todas as suas atitudes quando ela enfia as mãos leves em bolsos alheios e rouba o que tem vontade de roubar. Lila está economizando para realizar o seu sonho. E está sendo procurada na Londres Cinza, sua descrição faz com que ela ache tudo uma piada: um homem alto, com cartola e que anda com uma máscara.

Porque Delilah Bard é uma garota que veste calças e uma determinação absurda. Seu destino muda quando ela, ao ajudar um homem que julgou estar embriagado, enfia a mão em seu bolso e rouba o que seus dedos conseguem alcançar. Esse homem é Kell, e o que Lila rouba faz com que o destino dos dois se entrelacem de uma forma impossível de fugir.

O problema é que Lila é uma garota da Londres Cinza, magia é algo irreal, uma brincadeira apenas de histórias contadas para crianças ou de livros de fantasia. Kell é o mago mais poderoso da Londres Vermelha, uma cidade que vive de magia assim como ele se sustenta dela. Kell quebra todas as regras quando decide circular com Lila pelas Londres, inclusive a Londres Branca, a cidade que está perecendo por causa da magia, deteriorando com a ganância e possui irmãos gêmeos sustentando a coroa.

Ver as quatro Londres narradas pela ótica de um mago e pela ótica de uma garota comum é um espetáculo à parte. Pelos olhos de Kell, conhecemos as Londres de uma forma mágica, até quase política. Ele ama sua Londres Vermelha, acha fascinante algumas coisas simples da Londres Cinza, teme a Londres Branca e nunca pisou na Londres Negra. Ele sabe o que rege cada Londres, a história de cada uma.

"A Londres Vermelha tomou forma ao redor de Kell, imersa na noite alta. Cheirava a terra e fogo, a flores desabrochando e a chá de especiarias. E, sob tudo isso, exalava o cheiro de lar."

Para Lila, tudo é novidade. Ela abandona a sua Londres Cinza sem pensar duas vezes, e fica encantada com a Londres Vermelha, gloriosa e carregada de magia, com cheiros diversos e pessoas diferenciadas. A Londres Branca é um caso à parte. E a Negra... Bom... Vocês vão precisar ler o livro.

Os dois saem juntos por essa aventura, Kell precisa correr contra o tempo para consertar a bobagem que fez ao ser imprudente, e Lila finalmente consegue as suas aventuras, o que ela não esperava é que junto delas viria mundos impossíveis de acreditar, e um perigo que ela não havia visto nas ruas da sua Londres. 

"— Algumas pessoas dizem que a magia vive na mente, outras, no coração — falou Holland calmamente. — Mas você e eu sabemos que ela vive no sangue."



 
Um Tom Mais Escuro de Magia é  primeiro livro da trilogia Tons de Magia, da autora V.E. Schwab,  lançado pela editora RecordSchwab  vem se destacando no cenário dos livros de fantasia pelas suas histórias incomuns e viciantes. O livro possui capa em uma arte quase vetorial, com uma paleta de cores bem significativa: branca, cinza, preta e vermelha, as cores das Londres mencionadas.

É um livro para quem gosta de histórias ricas em detalhes e que inserem um mundo completamente novo. Eu acredito que bons escritores de fantasia são aqueles que dão uma roupagem bem diferente de uma ideia que poderia ser clichê aos olhos dos leitores do gênero, e Schwab consegue isso com maestria.

Você pode encontrar os livros físicos nas melhores lojas e os e-books na Amazon. O primeiro volume, esse da resenha, está disponível no Kindle Unlimited.

Eu nunca havia lido nada da autora, mas me interessei por todos os livros dela quando li as sinopses justamente por causa da originalidade dos universos criados. E não me arrependi de ter começado a ler os livros. Em breve vocês verão resenhas da sequência dessa trilogia que já me cativou, e é obrigatória para os amantes da fantasia!

24 comentários

  1. Eu amo uma fantasia, mesmo admitindo que em 2020 não li tantos livros do gênero. Eu conheço um pouquinho das letras da autora e ouso afirmar que ela é uma das grandes no gênero e com louvor.
    Não é apenas sobre um reino à parte, é sobre crescimento e sobre enxergar tudo isso de forma diferente!!!
    Espero ler todos em breve!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!

      Eu também amo uma fantasia, os livros da autora foram uma surpresa para mim! Quando ler, conta aqui para gente o que achou!

      Bjim

      Excluir
  2. Quero muuuuito ler essa serie! Nao li nada ainda da autora, mas eu to muito afim de ler algo dela que ela faz mais pro alvo adulto, com essa assinatura né. A cada resenha desse livro de outros livros dela que quero ler, mais curiosa fico. Eu ja amei a Lila aqui na resenha, o que fazer né!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ariela!

      Sim, a autora está na boca do povo, tanto por essa trilogia quanto pela duologia Vilôes hehe
      Acredito que seja uma boa experiência ler!

      Bjim

      Excluir
  3. Realmente a escrita da VE é viciante! Li Vilão ano passado e mesmo fugindo e muito do que curto ler, foi uma ótima leitura.
    Achei fascinante a premissa do livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Chelle!

      Estou com esse livro para ler, me disseram que Vilão é melhor do que Tons de Magia, e estou empolgada para ver se isso é verdade!

      Bjim

      Excluir
  4. OLA
    Pelo enredo parece que é um livro com bastante assunto a ser desenvolvido ,com uma Londres dividida em quatro. não sou muito de ler fantasia mas esse ano eu quero ver se consigo ler algumas.
    agora é aguardar a sequencia .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eliane! Acredito que começar a ler fantasia é um caminho sem volta! Espero que você dê uma chance ao gênero esse ano.

      Bjim

      Excluir
  5. Mareeeee!
    Até desceu uma lágrima depois dessa resenha porque depois desse é só ladeira abaixo rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs. O primeiro livro da trilogia até que soa inovador em alguns aspectos, porém sabemos que existem váaaaaaaarios problemas com a história.
    O protagonistas possuem um bom desenvolvimento, mas é um pouco difícil de criar empatia pela Lila (desafiador, eu diria rsrsrsrs). E confesso que achei a resolução do plot da Londres Branca muito conveniente.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alison

      Não é? Hahaha. Mas você sabe que eu amei o livro 2, apesar do que te falei no zap?
      A Lila é a pedra no meu sapato nessa trilogia, mas fazer o que. Claro que abordei isso na resenha do livro 3, não podia passar de liso né?

      Bjim

      Excluir
  6. Acho que eu sempre tava vendo as resenhas dessa série a partir do segundo em diante, então eu queria muito a opinião do primeiro livro. Que bom que encontrei aqui!
    Adoro quando o autor coloca vários ambientes em um livro de fantasia, sabe? A gente descobre as características de cada uma, se envolve mais em uma do que em outras, fica tentando descobrir quem é do bem mesmo e quem não é... outra coisa que eu gosto muito é de personagens femininas que têm sonhos diferenciados, que não seguem um padrão. Fiquei muito, muito curiosa com essa resenha :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna! Ah, eu gosto de resenhar tudo! Hahaha
      Morro de aflição quando tem resenha de trilogia pela metade. MAs eu creio que seja porque os livros ficaram famosos há pouco tempo.

      A Lila foge do padrão total nesse livro.. Espero que leia e goste da trilogia!

      Bjim

      Excluir
  7. Mariana!
    Adoro livros com magia e pelo visto, a autora soube trazer uma fantasia bem diferenciada das que estamos acostumados a ler.
    Toda trilogia parece bem envolvente e esse primeiro livro, algumas infrações entre as Londres e seus personagens.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy!

      Se você gosta de livro com magia, a trilogia Tons de Magia é uma ótima pedida! Espero que acompanhe as outras resenhas!

      Bjim

      Excluir
  8. Eu jurava que já tinha comentado!

    Eu estou com planos para ler muito em breve esses livros então se tudo der certo logo terei a minha decepção ou felicidade os lendo.
    Acho que existe uma boa base para a mitologia da fantasia e gosto muito como a autora escreve.
    Li a dialogia dela Vilões e amei!
    Espero amar esses livros!

    😘😘😘😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vivis! Boa sorte com a leitura! Haha
      O primeiro é bom, o segundo também, mas algumas coisas passam na goela e a gente precisa engolir para continuar, o terceiro a gente já não consegue digerir.

      Eu desanimei da duologia Vilões justamente porque me falaram que tem uma personagem igual a Lila nela. Odiei.

      Bjim

      Excluir
  9. Olá! Ok, você me convenceu, se bem que nem precisava de muito, afinal, estamos falando de um dos meus gêneros favoritos (risos), estou bem curiosa para finalmente conhecer a escrita da autora e esse universo que ela criou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elizete!

      Dê uma chance a ela, haha
      Acredito que são bons livros!

      Bjim

      Excluir
  10. Não sou tão fã de fantasias, mas leio alguns ainda e gosto bastante. Li a resenha desse livro há algum tempo é confesso que gostei, mas não pude comprar, já que são tantos livros que estão a frente para compra e que não estou dando conta. Mas vou comprar assim que possível e tentar entender melhor essa fantasia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! O primeiro livro está disponível no KindleUnlimited.
      Os livros físicos por agora estão com preço um pouco salgados... Recomendo deixar a poeira da autora baixar para comprar

      Bjim

      Excluir
  11. Oii,
    Achei maravilhosa essa história do Kell e da Lila. E quero é demais ler.
    Parece ser muito bem escrita e cheia de reviravoltas alucinantes.
    Logo comprarei.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!

      Sim, a trama tem reviravoltas em todos os três livros, é muito legal!

      Bjim

      Excluir
  12. Oi Mariana!
    Estou em uma vibe de fantasia. Simplesmente tenho devorado todos os livros do gênero que vejo pela frente. Essa trilogia mesmo não conhecia, mas achei a premissa super interessante. Já adicionei no skoob.
    Beijokas

    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Priscila!

      Eu estou em vibe de fantasia desde que nasci hahaha
      Então sou suspeita a falar.
      Mas espero que goste da trilogia!

      Bjim

      Excluir