Jantar Secreto - Raphael Montes

23 de abril de 2019

Título: Jantar Secreto
Autor: Raphael Montes
Páginas: 460
Ano: 2016
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Thriller
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse: Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.

Resenha:

“Sou seu termômetro de criminalidade, seu espelho de morbidez, sua bússola de loucura. Mas a verdade é que, se estivesse no meu lugar, você teria feito o mesmo.”

Este foi o meu primeiro contato com a escrita do autor brasileiro Raphael Montes, o livro foi publicado pela Companhia das Letras, em 2016, e não poderia ter sido mais interessante conhecer o estilo de escrita do autor.

Normalmente eu tenho um gosto peculiar e meio sombrio para leitura, gosto de livros que me tirem da zona de conforto e que me façam refletir.
Por isso os gêneros: Terror, Thriller e suspense são alguns dos meus favoritos.

A premissa de o jantar Secreto, por si só já é um taboo, e todo o livro é uma critica a indústria do consumo desenfreado da carne, dos meios ilegais e do sofrimento infringido para se obter a matéria prima que se baseia a pirâmide alimentar da maior parte da população.
O texto de Raphael, choca! Foi construído para nos levar em uma direção, para chamar a nossa atenção sobre os dilemas morais e éticos, que governam nossa sociedade e assim o comportamento da grande massa.

Você comeria carne humana? Não? E porque não se você não vê problemas em comer os outros tipos de carnes? Esse me pareceu o maior questionamento do livro.

“As pessoas toleram muito sofrimento em sua comida. Em nome do paladar, tudo é possível, meu amigo. É esta supremacia que você verá hoje.”

Não que eu concorde que a questão seja simples assim, ou seja, realmente o ponto em questão para debate para o livro, mas foi à impressão que eu senti enquanto eu lia, que ali estava um questionamento, levantado pelo autor.

Tirando todo esse lado complexo, de como podemos ou não interpretar o tema do livro, vamos a ele em questão.

Jantar Secreto, é livro que nos leva em uma jornada para conhecer o quão o ser humano pode ser corrompido por suas necessidades e desejos, diante de situações criticas. O que você seria capaz de fazer para ter a vida que acha que merece?

No livro temos a historia pelo ponto de vista de um único narrador: Dante, vindo de uma família com uma vida estável financeiramente, de uma pequena cidade no interior, ele acredita que merece uma vida livre das restrições ou julgamentos de sua família. Ele deseja independência e por isso, junto com mais três amigos de infância, todos se mudam para o Rio de Janeiro para fazer faculdade. Ele escolhe Administração, Miguel, filho da empregada de sua família, passa para medicina em uma universidade federal, Hugo, vindo de uma família violenta e preconceituosa, segue seu sonho e escolhe Gastronomia e Leitão, cuja religiosidade de sua mãe parece ter moldado suas escolhas vai estudar TI.

Cada um tem uma personalidade bem diferente. Porém como só o conhecemos pelo ponto de vista de Dante, que achei nada impessoal obviamente, aviso que devemos sempre ficar atentos nesses casos.

Dante, é ambicioso e busca um reconhecimento em sua carreira, porém, não está acostumado a trabalhar duro para ter algo, acaba se ressentindo da crise do país, e de vários outros motivos, para explicar que apesar de ter se formado ainda não é um grande empresário. Acaba por ser repetitivo, não o vejo realmente buscando um diferencial que o torne único e indispensável, pelo contrario. Só sabe reclamar de seu trabalho em uma livraria quando deveria agradecer.   

Hugo é um chefe de cozinha extremamente talentoso, que conseguiu até mesmo uma bolsa para estudar na França, mas seu temperamento e arrogância o tornam persona non grata no circulo de chefes e restaurantes de primeira classe do Rio, o que o deixa vivendo de trabalhos em bufes, e ansiando por ser reconhecido.

Miguel, batalha todos os dias em uma jornada pesada de estudos, e residência para se tornar um médico. Está em uma situação lamentável, sua bolsa e salário se encontram meses atrasados, e o stress parece ser o seu estado habitual.

“Meu instinto de sobrevivência subornava meu senso de justiça. Ninguém buscaria aquele sujeito. Um cara preto, pobre, um mendigo. Ninguém sentiria falta dele. E, bem, nosso problema estava resolvido.”

Leitão, abandona os estudos, vive uma vida sedentária e não se importa de aplicar golpes para sobreviver. Em cartas para sua mãe, inventa uma vida que acha que ela espera dele e segue sem se importar com nada.

São esses quatro personagens que diante de uma reviravolta vão decidir cruzar todas as linhas morais em jantares exclusivos para uma clientela seleta.


“As paixões agem sobre os músculos. Ao mastigar, sua expressão era êxtase, e o olhar tinha certa profundidade...”

Não falarei mais sobre a trama, já que acredito que como um bom thriller, os leitores devem prestar atenção para desvendar a trama e segredos em todos os detalhes. O autor deixa muitas pistas durante o livro para que possamos ir montando um quebra cabeça. Já um pouco mais da metade do livro, eu tinha decidido quem era o maior culpado de tudo e etc. E fiquei feliz, ao chegar ao final e ver certa punição para o personagem que peguei um desgosto total. Leiam e prestem atenção a todas as pistas.

Entre alguns capítulos podemos ver pequenas poesias, elas passam a impressão que apenas estão ali para enfeitar em alguns casos, mas não é bem assim.

“Certa vez, em um banheiro público, havia um poema: A Carne mais barata do mercado. É a carne negra.”

Preciso dizer que devorei esse livro apesar do tema peculiar e ao final dele, agradeci internamente que nem sou uma fã assídua de comer carne todos os dias.

Porém, o principal mérito do livro além de ser muito bem escrito e divertir em alguns momentos, foram realmente os debates que ele incitou. Não tem como ler este livro sem parar para refletir.

Desejo uma boa experiência gastronômica devorando esse livro para todos.

Até a próxima.

Nota: Não citei um personagem muito importante, de propósito. Tudo sobre ela é para ser lido com atenção. Quem leu tem alguma ideia de quem seja?

16 comentários

  1. Olá Vivian!
    Realmente Raphael é aclamado por suas obras, porém ainda não li nada do autor. Esse livro é bem original, não sabia que o dilema da carne era tão explorado assim mas a reflexão é mais que necessária. Adoro quando encontro as pistas e faço algumas deduções certas. Pelo visto não há nenhum personagem bom moço nesse livro, muito pelo contrário. Espero ter a oportunidade de lar algo do autor em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Aline.

      Eu me senti bem impactada com esse livro, e sim, ao meu ver não tem bons moços nesse livros não hahaha.
      Espero que tenha em breve a oportunidade de ler algo desse autor.
      😉

      Excluir
  2. Oi Vivian, ainda não li essa obra, e pra falar a verdade não sei se iria gostar dessa história :/ Sou mais adepta dos florzinhas e fico preocupada com o que vou achar de comer carne depois de ler esse livro kkkk. Mas, esse autor sempre recebe elogios pelos blogs e fico feliz por ele, é nacional e é sempre bom vermos autores brasileiros sendo reconhecidos. Eu curti muito a resenha, deu pra ter uma ideia do que esperar do livro e tenho certeza que quem curte esse gênero, vai gostar muito ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili, te juro, ainda bem que eu não sou uma fã assídua de carne viu! Demorou uns dias para tirar as imagens da cabeça.
      Eu tenho adorado conhecer os novos escritores brasileiros, alguns têm me surpreendido.
      Beijos. 😉

      Excluir
  3. Já li um livro dele que nem esperava ser o que era porque não li sinopse e que susto! Ótimo pra tirar da zona de conforto mesmo. Lembro de ler o livro com a cara torcida para as cenas, aquele nojo mesmo, gente...Se o livro faz isso é dos bons xD
    Achei a premissa desse bem louca, mas o mais legal é poder ver essa análise do ser humano, o quanto pode ser corrompido, até que ponto chega. Isso foi uma coisa que gostei no outro que li dele e ver mais um assim parece bem legal. As coisas que faz pensar. Prestar atenção nos personagens e nos detalhes é bem legal também, ir montando um quebra cabeça, essa curiosidade e o horror são detalhes bons da trama. Leria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Cristiane 😊

      Parece que o estilo do Raphael é bem esse, nos tirar da zona de conforto. Pretendo em breve ler algo dele novamente.
      Eu amo esses quebra cabeças literários 💚

      Excluir
  4. Olá! Mas gente que livro é esse Brasil! Definitivamente não é o meu estilo de leitura e sem dúvida ficaria bem desconfortável durante praticamente toda a leitura, não tem como ser diferente. Mas achei bastante válida a proposta do autor, até fiquei um pouco curiosa em relação ao desfecho, mas não sei se terei coragem para encarar não (risos, de nervoso).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elizete, tem que ter coragem, porque o tema é bem desconfortável, porém, tirando a parte do tema em si, o livro não é de terror, mais um suspense psicológico hahaha
      Eu gostei bastante, porém... Não comi carne por uns dias!

      Excluir
  5. Oiee!
    Até o momento não li nenhum livro do autor, na verdade conheço bem pouco sobre ele.
    A capa desse livro já nos dá uma ideia do que nos espera e para quem gosta desse tipo de literatura, é maravilhoso, eu gosto de thriller e suspense, apesar de ler menos livros do que gostaria, e esse me parece ser do jeitinho que gosto.
    Quero ler com certeza.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee, Iêda, tudo bom?
      Foi o meu primeiro livro do autor e já estou com mais um dele para ler em breve, gostei bastante. Vale a pena ler!

      Excluir
  6. Oi Vivian,
    Raphael Montes sabe como chocar e surpreender o leitores com sinopses diferentes e inusitadas. Ainda não tive nenhuma experiência com suas obras, mas tenho muita vontade. Jantar secreto é um pouco polêmico tanto pelo tema abordado quanto pelas atitudes e escolhas dos personagens. Oferecer uma jantar onde o prato principal é a carne humana vai além da minha compreensão e só consigo pensar no nível de desespero de uma pessoa para ter que adotar medida tão extrema para pagar suas dívidas. Não posso falar mais que isso por ainda não ter lido o livro, mas sei que quando o fizer terei muitas coisas a considerar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gislaine, ele sabe mesmo. O livro nos tira do nosso lugar de conforto e dá uns belos tapas na cara. Vale a pena ler quando tiver a oportunidade. :D

      Excluir
  7. Nunca li nada do Raphael Montes mas já ouvi falarem super bem da escrita dele.
    Esse é um tema polêmico. A gente nunca sabe o que pode fazer uma pessoa que realmente tenha necessidade. Eu não sou muito fã de carne vermelha, só um churrasco que nunca dá pra resistir. Mas fora isso...
    Fico pensando se a opinião de um único dos personagens realmente vai mostrar a verdade sobre todos eles.
    Vou ler e conferir quem é o culpado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nil, sim, você está indo na direção certa para ler este livro, sempre existe algo de tendencioso com uma única opinião de personagens. A escrita de Raphael é bem legal, alguns momentos fiquei tensa. E senti muita raiva de alguns personagens.
      Que possa ter uma ótima experiência de leitura.
      Beijos

      Excluir
  8. Vivian!
    Já li outros livros do autor e agora quero conferir mais esse que apesar de repugnante a um primeiro momento, nos leva mesmo a questionar sobre nossa hipocrisia, porque se comemos carne de outros animais, por que questionar quem come carne humana?
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Oi, Vivian
    Ainda não conheço a escrita do autor, mas leio várias resenhas dos seus livros pelos blogs que acompanho.
    Esse livro tem um enredo que chama muita atenção, parece ser uma leitura fluida e bem interessante.
    Amo um thriller e estou muito curiosa para desvendar esse mistério.
    Espero poder ler, beijos.

    ResponderExcluir